promessa de campanha

Compaz do Cordeiro sofre novo atraso e só ficará pronto em 2016

Prefeito pode ter ajuda do Governo do Estado para cumprir promessa de construir cinco Compaz

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 01/07/2015 às 21:10
Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR
Prefeito pode ter ajuda do Governo do Estado para cumprir promessa de construir cinco Compaz - FOTO: Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR
Leitura:

A um ano e meio de concluir o mandato, o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), trabalha para conseguir cumprir uma das principais promessas de campanha: a construção de cinco Centros Comunitários da Paz (Compaz). Após uma vistoria nesta quarta-feira (1º), a prefeitura anunciou que uma das duas unidades do Compaz em construção voltou a atrasar e o equipamento do Cordeiro, que leva o nome do escritor Ariano Suassuna, só será inaugurado em março de 2016. O do Alto de Santa Terezinha, que homenageia o ex-governador Eduardo Campos, é prometido para o final do ano. Os móveis e utensílios para equipa-lo estão em fase de licitação.

Para cumprir a promessa eleitoral, Geraldo pode contar com uma ajuda do Governo do Estado. Uma estação do programa Governo Presente que a Secretaria Estadual das Cidades estava construindo no Coque pode ser cedida ao município. “Tem, na realidade, três (Compaz) em obras”, já contabiliza o prefeito socialista. Mas a construção da unidade está parada porque a empresa decretou falência e o Estado ainda fará uma análise do que foi construído antes de abrir uma nova licitação.

“Há um equipamento no Coque que já está com 70% das obras concluídas que seria um Centro da Juventude. Há uma grande possibilidade de o Governo do Estado repassar esse equipamento para a gente e a gente transformar em um Compaz. Porque ele está dentro de toda a filosofia que a gente pensou para o Compaz”, afirmou o Secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti.

As duas unidades em andamento estão orçadas em R$ 22 milhões, dos quais R$ 16 milhões foram pagos pelo Governo de Pernambuco através do Fundo Estadual de Apoio aos Municípios (FEM). A PCR também investiu outros R$ 13 milhões na compra do terreno no Cordeiro. Inicialmente, a obra no Alto de Santa Terezinha ficaria pronta em março de 2014 e a do Cordeiro seria inaugurada em abril do ano passado.

O município planeja construir os outros dois Compaz no terreno da fábrica de estopa na Caxangá e no local do Centro Social Bidu Krause, no Totó. Segundo Murilo, os dois projetos arquitetônicos já estão prontos e as obras devem começar em 2016.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias