FILIAÇÃO

Prefeito de Petrolina, Miguel Coelho confirma ida para o MDB

Data da filiação ainda será definida, mas, segundo o político, deve acontecer até o final deste mês

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 14/10/2019 às 13:04
Notícia
Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem
Data da filiação ainda será definida, mas, segundo o político, deve acontecer até o final deste mês - Foto: Fernando da Hora/Acervo JC Imagem
Leitura:

Miguel Coelho, prefeito de Petrolina, ex-PSB e até então sem filiação partidária, está indo para o Movimento Democrático Brasileiro (MDB). A informação foi confirmada ao JC Online pelo próprio Miguel, no início da tarde desta segunda-feira (14), logo após deixar o escritório do seu novo partido. Oficialmente, a filiação deve acontecer até o final deste mês, em Brasília e, em sequência, um ato será realizado em Petrolina, na região do São Francisco. 

“Acabei de sair do escritório do partido e ficamos de definir a data para fazer a filiação, em Brasília, com a presença do presidente nacional do partido, o Baleia Rossi e depois um ato em Petrolina”, disse Miguel Coelho. 

De acordo com o prefeito de Petrolina, a escolha pelo MDB se deu pela história e nome do partido, além de ver como forma de fortalecer a oposição. “A união entre Jarbas (Vasconcelos, MDB) e Fernando (Bezerra Coelho, MDB) com um único propósito de fortalecimento do partido e que a gente já vê reverberando, também pelo ponto de vista da oposição e pelo nosso projeto de reeleição em Petrolina, para ampliar e dar sustentação, e também para que a gente possa fortalecer a oposição a nível estadual e o MDB tem essas características para fornecer”, explicou.

O deputado federal Raul Henry, presidente estadual do MDB, afirmou ver com naturalidade a chegada do prefeito à agremiação, demonstrando ter superado, ao menos politicamente, as rusgas que teve com FBC no passado, quando ambos disputaram juridicamente a presidência emedebista em Pernambuco. “Depois que o grupo do senador Fernando Bezerra assumiu o comando do MDB em Petrolina eu passei a enxergar como muito natural a entrada do seu filho, Miguel Coelho, no partido. Hoje ele ligou para mim e perguntou se poderia anunciar a entrada na sigla e me fazer uma visita. Eu disse que não haveria nenhuma dificuldade, que ele seria muito bem-vindo e que o receberia com muito prazer”, disse Raul.

Refazendo o caminho do pai  

A saída de Miguel do PSB e ida para o MDB acontece cerca de dois anos depois que o seu pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo Bolsonaro no Senado, fez o mesmo caminho. 

Em abril deste ano, Miguel Coelho entregou, pessoalmente em Brasília, ao presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira sua carta de desfiliação da legenda que passou sete anos associado. Nos últimos anos já fazia oposição dentro da própria sigla. "Chegou a hora de mudar. Mudar não de ideias ou convicções, mas mudar de partido. Nos últimos anos, percebi que o conceito que tenho da política, infelizmente diverge da pregada pelo PSB, embora respeite", dizia trecho da carta.

FBC deixou a sigla em 2017 e migrou para o MDB tentando levar o partido para a oposição em Pernambuco, algo que não conseguiu. Naquele mesmo ano, o irmão de Miguel, deputado federal Fernando Filho, também pulou do barco após uma queda de braço partidária. Ministro do presidente Michel Temer, na época, Fernando Filho fez parte do grupo de dissidentes do PSB que se recusava a fazer oposição ao governo federal, contrariando orientação da cúpula da legenda.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias