Recurso Hídricos

Obras hídricas entram no radar político de Paulo Câmara e do líder do Governo Fernando Bezerra Coelho

Governador Paulo Câmara (PSB) tem agenda extensa em quatro cidades do Agreste para levar ações de obras hídricas

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 22/01/2020 às 15:42
Notícia
Fotos: Heudes Regis/SEI
Governador Paulo Câmara (PSB) tem agenda extensa em quatro cidades do Agreste para levar ações de obras hídricas - Fotos: Heudes Regis/SEI
Leitura:

Investimentos na área de Recursos Hídricos têm pautado as esferas federal e estadual em Pernambuco. Uma semana após o líder do Governo Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), publicar um vídeo em suas redes sociais - no dia 15 de janeiro -  afirmando que o presidente da República irá entregar a maior obra hídrica de Pernambuco, em referência a construção do Ramal do Agreste, o governador Paulo Câmara (PSB) iniciou nesta quarta-feira (22) uma agenda extensa no Agreste para levar ações do setor hídrico. 

O Governo do Estado decretou, conforme publicado no Diário Oficial, no último sábado (18), que 61 municípios da região estão em situação de emergência por um período de 180 dias devido a forte estiagem. Ainda assim, essa situação retoma as cobranças sobre investimentos que possam amenizar o impacto da seca.

O primeiro compromisso do governador Paulo Câmara foi a inauguração do Sistema de Abastecimento de Água (SAA) de Jucati, São Pedro e Neves. Ele irá beneficiar os municípios de Garanhuns e Jucati, no Agreste Meridional. Com um investimento de R$ 6 milhões, a iniciativa vai levar água para cerca de 15 mil habitantes, sendo 100% da população urbana da cidade de Jucati e das localidades de Neves (distrito) e São Pedro (em Garanhuns). "Nós temos que mostrar que estamos enfrentando essa questão da seca, da falta de água, com planejamento. O primeiro momento, era fazer a água chegar com estruturas novas, onde a água não chegava. Houve uma série de investimentos que foram feitos, outros estão acontecendo ainda, mas aos poucos estão se tornando realidade", afirmou o gestor. 

"E a partir dessa realidade, vamos ter um dever de casa importante, principalmente da Compesa, em garantir a regularidade, qualidade, em garantir efetivamente que não haja mais interrupção nesse planejamento e nesse abastecimento de água. Para que possamos ter efetivamente a melhoria da qualidade de vida, e a certeza de que essa água está chegando com regularidade com a devida qualidade", complementou Câmara.

Em Caruaru, o governador assina a ordem de serviço para a requalificação e complementação da rede coletora do sistema de esgotamento sanitário. A obra que representa um montante de R$ 3 milhões vai beneficiar 90 mil habitantes (30% da população urbana da cidade). O socialista também visita a obra de expansão do sistema de esgotamento sanitário Alto do Moura e Rendeiras, a obra de requalificação de estações elevatórias de esgoto do SES Caruaru e as obras do Parque Janelas para o Rio. Por fim, na cidade de Bezerros, o gestor visita as obras do sistema de esgotamento sanitário do município. A primeira etapa da implantação conta com um investimento de R$ 43 milhões (obra e materiais), beneficiando cerca de 19 mil habitantes. 

Para o deputado estadual Tony Gel (MDB), Pernambuco é o estado que mais tem investido em recursos hídricos. O que tornaria natural que tanto o governador busque divulgar as ações que são de competência de sua gestão, quanto o representante do Governo Federal, na figura do senador Fernando Bezerra, também reforce os investimentos que estão sendo repassados para a região. “O importante é que não falte dinheiro para Pernambuco, quem ganha é a população. O governador (Paulo Câmara) está certo em divulgar as ações, são adutoras sendo construídas, barragens, estações de tratamento de esgoto. O que é natural também para o senador Fernando Bezerra divulgar o que tem sido feito em parceria com o Governo Federal ”, ponderou.

Mas, segundo Fernando Bezerra, o nível de investimentos do governo estadual é muito menor. “O governo Bolsonaro desembolsou R$ 530 milhões para que a obra pudesse estar a todo vapor, mais de 2.400 pessoas trabalhando e mais de 800 equipamentos, vamos continuar priorizando essa obra para que em fevereiro de 2021 o presidente possa entregar a maior obra hídrica do Estado de Pernambuco”, afirmou o senador no vídeo. 

O deputado Lucas Ramos (PSB) rebate as críticas do líder emedebista, lembrando que no Projeto de Lei Orçamentária Anual para o exercício de 2020, a Compesa se destaca como a estatal com orçamento mais volumoso, representando 72,6% de todo o valor previsto para investimentos das empresas - o que representaria um reforço nas ações de estrutura hídrica. “O papel do estado é extremamente importante na articulação desses investimentos. O recurso tem origem do Governo Federal, mas ele passa a ser do Estado na hora que é assinado o convênio”, pontuou. 

“O interessante é que o senador Fernando Bezerra deve sofrer de amnésia, porque quando ele era da base de Paulo, ele reconhecia o esforço do Governo do Estado, agora que é do Governo Federal, desconhece a importância da parceria”, disparou o parlamentar. Para Lucas, a repercussão destas ações conveniadas dirá muito sobre como se dará os próximos processos eleitorais. “Isso diz muito como se dará às eleições próximas e o reflexo em 2022”, afirmou Lucas Ramos, que tem colocado seu nome para a disputa a Prefeitura de Petrolina, no Sertão do Estado. 

Ramal do Agreste

Jair Bolsonaro fez uma publicação, ainda em 2019, explicando o andamento da obra. "O Ramal do Agreste não começou em nosso Governo, mas não deixaremos obras paradas, em respeito aos recursos públicos e aos nossos irmãos do Nordeste", escreveu o presidente quando fez a publicação.

Em entrevista recente ao Jornal do Commercio, o ministro do Desenvolvimento Regional, o paranaense Gustavo Canuto, disse que a obra anda bem e que o governo federal está fazendo de tudo para manter a execução da obra, os pagamentos, mesmo com o arrocho fiscal. "Hoje, o Ramal do Agreste tem 2,6 mil homens trabalhando. O primeiro marco vai ser cumprido agora em fevereiro, quando a água vai chegar ao reservatório que fica no Km 38 do total dos 70 km do Ramal. É a entrega parcial. Tudo indica que vai ser cumprido o cronograma. Vai ser concluído inteiro em fevereiro de 2021", afirmou.

Saiba mais sobre o Ramal do Agreste:

Integrado ao Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco, o sistema adutor Ramal do Agreste irá beneficiar uma população de mais de 2,2 milhões de habitantes de 71 cidades de Pernambuco. A obra é do governo federal, executada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e conta com investimentos na ordem de R$ 1,6 bilhão, segundo o próprio ministério.

O empreendimento de infraestrutura hídrica captará água na barragem Barro Branco, em Sertânia, com desague no reservatório Ipojuca, em Arcoverde. O Ramal será interligado à Adutora do Agreste Pernambucano - sob a responsabilidade do Governo do Estado - mas que conta com apoio financeiro da União. Juntos, os dois empreendimentos garantirão o abastecimento regular da região com as águas do Velho Chico.

O Ramal do Agreste tem 70.8 km de extensão. Suas estruturas são compostas por dois Reservatórios, Negros e Ipojuca; cinco aquedutos-sifões que perfazem 3,2km; uma estação elevatória que elevará as águas em 219 m; seis túneis somando 16 km de extensão; uma adutora com 7 km e 42 km de canal revestido em concreto. 

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias