TRANSPORTE PÚBLICO

Assim como agora, em 2018, ano de eleição, Paulo Câmara também barrou aumento da passagem de ônibus

Desde 2014, três de quatro anos com eleições não registraram aumento nas passagens de ônibus no Grande Recife

JC Online
JC Online
Publicado em 16/01/2020 às 21:01
Notícia
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Desde 2014, três de quatro anos com eleições não registraram aumento nas passagens de ônibus no Grande Recife - FOTO: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Após os empresários de ônibus defenderem reajuste de 14,13% no valor das tarifas de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR), o governo de Pernambuco, gestor do sistema de transporte da RMR, anunciou, nesta quinta-feira (16), que os valores não terão reajuste neste ano. Desta forma, desde 2014, três de quatro anos com eleições não registraram aumento nas passagens de ônibus no Grande Recife. 

>> Passagens de ônibus do Grande Recife não serão reajustadas em 2020

>> ''Débito que o governo está tentando pagar'', Frente de Luta pelo Transporte Público sobre o não aumento da passagem de ônibus

Em 2014, quando o PSB lançou a candidatura de Paulo Câmara ao governo do Estado pela primeira vez, não houve aumento. O mesmo ocorreu em 2018, quando o governador disputava a reeleição. Na época, os empresários do setor tinham solicitado um reajuste médio de 11,02%

No ano passado, as passagens de ônibus foram reajustadas em 7,07%, proposta sugerida pelo governo do Estado. Com a decisão, as tarifas do Anel A e B passaram de R$3,20 e R$4,40 para R$ 3,45 e R$ 4,70 respectivamente. O reajuste começou a valer no dia 2 de março. As linhas do Anel D foram transferidas para o Anel A; o Anel G passou de R$ 2,10 para R$ 2,25.

Em 2017, apesar do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) ter proposto um aumento de 33,93%, o martelo foi batido para o valor de R$ 3,20 para o anel A, o equivalente a um reajuste de 14,26%, tendo em visto a tarifa anterior, que custava R$2,80. Na época, o governador Paulo Câmara (PSB) afirmou que a tarifa única a R$ 2,15 foi exemplo na época da campanha e que trabalharia para implantar o modelo, complementando que faltava dinheiro para o subsídio.  Em 2015, o Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), decidiu a favor de um aumento de 12,93% nos preços das passagens

No ano anterior, 2016, foi aprovado um reajuste de 14,42% nas tarifas, com o realinhamento de preços, o anel B passou de R$ 3,35 para R$ 3,85, o D foi de R$ 2,60 para R$ 3 e o G, deixou de ser R$ 1,60 e para custar R$ 1,85.

Passagens de ônibus sem reajuste em 2020

A proposta do governo de Pernambuco para que a passagem de ônibus são sofra reajuste em 2020 será defendida no Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), colegiado onde o Estado tem maioria e que geralmente valida o que o Executivo estadual defende. O setor empresarial ficou indignado com a proposta, mas não quis se posicionar oficialmente. Leia mais no Blog MoveCidade.

"O que vamos discutir este ano são as melhorias do sistema e não reajuste. Enquanto não tivermos avanços concretos no transporte público, não falaremos em aumento da tarifa", afirmou o governador.

Com a decisão, as passagens do sistema de transporte de público da RMR permanecerão R$ 3,45 no Anel A; R$ 4,70 no Anel B; e R$ 2,25 no Anel G.

Na última segunda-feira (13), os empresários do setor de transportes de passageiros da RMR apresentaram uma proposta de reajuste médio de 14,13% na tarifa. O Anel A passaria de R$ 3,45 para R$ 3,90.

Ranking de preço de passagens de ônibus

A primeira posição do ranking, levantado pela reportagem do JC, é ocupada por Porto Alegre (RS), onde o valor da passagem é R$ 4,70. Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG) vêm em seguida, com o bilhete custando R$ 4,50. Na quarta colocação está São Paulo, que já teve a passagem reajustada em 2020, para R$ 4,40. É importante lembrar que, na maioria das capitais comparadas, os reajustes ocorreram ainda no ano de 2019 ou anteriormente.

No Nordeste, quem ocupa o topo da lista com passagens mais caras são os municípios de Salvador (BA), Aracaju (SE) e Natal (RN), que atualmente têm bilhetes custando R$ 4,00. Logo em seguida vem a cidade de João Pessoa (PB), com R$ 3,95. Em Teresina (PI), a tarifa de ônibus custa R$ 3,85, seguida de Maceió (AL), com R$ 3,65, e de Fortaleza (CE), com R$ 3,60. Só então vem o Recife (PE), que ocupa a penúltima colocação na lista do Nordeste, sendo cobrado R$ 3,45 pelo Anel A. Por último, São Luiz (MA), com R$ 3,40.

Veja os valores das passagens nas capitais do Nordeste

Conferidos em 14/01/2020

1 - Porto Alegre (RS) - R$ 4,70
2 - Curitiba (PR) - R$ 4,50
3 - Belo Horizonte (MG) - R$ 4,50
4 - São Paulo - R$ 4,40
5 - Goiânia (GO) - R$ 4,30
6 - Florianópolis (SC) - R$ 4,25
7 - Cuiabá (MT) - R$ 4,10
8 - Campo Grande (MS) - R$ 4,10
9 - Rio de Janeiro (RJ) - R$ 4,05
10 - Salvador (BA) - R$ 4,00
11- Aracaju (SE) - R$ 4,00
12 - Natal (RN) - R$ 4,00
13 - Rio Branco (AC) - R$ 4,00
14 - João Pessoa (PB) - R$ 3,95
15 - Palmas (TO) - R$ 3,85
16 - Teresina (PI) - R$ 3,85
17 - Porto Velho (RO) - R$ 3,80
18 - Manaus (AM) - R$ 3,80
19 - Vitória (ES) - R$ 3,75
20 - Boa Vista (RR) - 3,75
21 - Macapá (AP) - R$ 3,70
22 - Maceió (AL) - R$ 3,65
23 - Belém (PA) - R$ 3,60
24 - Fortaleza (CE) - R$ 3,60
25 - Brasília (DF) - R$ 3,50
26 - Recife (PE) - R$ 3,45
27 - São Luiz (MA) - R$ 3,40

Recife ostenta recorde nacional de espera por ônibus e metrô 

No Brasil, os passageiros de metrô e ônibus do Recife são os que passam mais tempo esperando pelo transporte público. De acordo com uma pesquisa do aplicativo de mobilidade urbana Moovit, que analisou milhões de viagens realizadas em 2019 por seus usuários em 99 cidades de diversos países, o tempo médio de espera na capital pernambucana é de 24,88 minutos. No ranking mundial, o Recife fica em segundo lugar, atrás da cidade mexicana de Aguascalientes, que tem um tempo médio de espera de 25,62 minutos.

O Recife também aparece como a segunda cidade no País e a sétima no mundo com o maior tempo médio gasto em deslocamento, que inclui caminhadas, espera e tempo de deslocamento.

No País, o Moovit também analisou dados de usuários de realizado em Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Além do Brasil, participaram da pesquisa Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, França, Alemanha, Grécia, Indonésia, Israel, Itália, Malásia, México, Peru, Portugal, Cingapura, Espanha, Tailândia, Turquia, Estados Unidos, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Uruguai.

Tempo médio de espera em minutos no Brasil 

Se um deslocamento inclui baldeações, o tempo de espera em diferentes paradas/estações também é computado.

Recife - 24,88
Brasília - 23,48
Salvador - 22,93
Fortaleza - 19,91
Campinas - 19,8
Belo Horizonte - 18,81
Rio de Janeiro - 17
Porto Alegre - 16,84
São Paulo - 15,65
Curitiba - 13,19

Tempo médio de espera em minutos no mundo

Aguascalientes (México) - 25,62
Recife - 24,88
Palermo (Itália) - 24,19
Brasília - 23,48
Salvador - 22,93
Nápoles (Itália) - 22,53
Cali (Colômbia)- 22,46
Bogotá (Colômbia)- 21,04
Bangkok (Tailândia)- 20,31
Querétaro (México) - 20,03

Tempo médio de deslocamento em minutos no Brasil

Rio de Janeiro - 67
Recife - 62
São Paulo - 62
Brasília - 61
Belo Horizonte - 59
Salvador - 55
Curitiba - 54
Fortaleza - 53
Campinas - 51
Porto Alegre - 46

Tempo médio de deslocamento em minutos no mundo

Istambul (Turquia)- 72
Cidade do México - 69
Rio de Janeiro - 67
Bogotá (Colômbia) - 67
Jakarta (Indonésia) - 65
Bangkok (Tailândia) - 63
Recife - 62
São Paulo - 62
Lima (Peru) - 62
Santiago (Chile) - 62

Últimas notícias