PREVENÇÃO

Como aposentados e pensionistas podem se proteger para evitar golpes no empréstimo consignado

A antecipação de metade do 13º. salário de aposentados e pensionistas do INSS aumentou o número de tentativas de golpes contra os idosos. Mas é possível barrar a investida dos bandidos

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 12/05/2021 às 7:25
Notícia
 Edilson Rodrigues/Agência Senado
Golpistas entram em contato geralmente por telefone oferecendo vantagens inexistentes no intuito de coletar dados dos beneficiários do INSS - FOTO: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Leitura:

A antecipação de metade do 13º. salário de aposentados e pensionistas do INSS para este mês de maio aumentou o número de tentativas de golpes contra os idosos. Os bandidos ligam para o segurado na tentativa, não de pôr a mão no benefício, mas de conseguir dados para fazerem um empréstimo consignado em nome do idoso e, com outras manobras, transferir o valor para contas de empresas ou de pessoas físicas. Um desses golpes, o empréstimo premiado, já é conhecido das autoridades e promete rendimentos acima do mercado para quem investir todo o valor do empréstimo. O Procon-PE fechou no últimos 10 dias, sete empresas que praticavam esse e outros tipos de irregularidades no Recife.

“Na verdade, a antecipação de 50% do 13º. Salário dos beneficiários do INSS é apenas mais uma desculpa para que os golpistas iniciem uma conversa com o aposentado na tentativa que ele forneça números de documentação como CPF e RG e até a assinatura”, revela Elizeu Leite, advogado previdenciarista. Elizeu explica que os casos têm aumentado nas últimas semanas e os golpistas sempre usam o artifício de que é necessário fazer uma prova de vida para receber a antecipação do INSS ou então oferecem uma facilidade para que o aposentado receba todo o 13º. de uma só vez imediatamente, mas para isso ele precisa fornecer algumas informações. Em alguns casos, diz o advogado, os bandidos pedem até o pagamento de uma taxa pelo “serviço”.

BLOQUEIO

O que poucos beneficiários do INSS sabem é que é possível criar barreiras para impedir que esses golpes aconteçam. “A primeira coisa é a informação. É importante saber que o INSS nunca entra em contato com o beneficiário através de telefonemas ou mensagens de Whatsapp. E se a pessoa do outro lado se apresentar como a serviço do INSS ou de uma empresa de crédito ou clube de benefícios, desconfie”. Eliseu recomenda ainda que o aposentado, ou algum familiar, deve desligar a ligação sem fornecer qualquer dado e entrar em contato por telefone com a previdência social através do telefone 135. “É lá que o beneficiário pode tirar todas as dúvidas sobre seu benefício, antecipação de pagamentos, prova de vida ou qualquer outra dúvida”. Outra providência importante é bloquear o número do telefone que efetuou a chamada para o aposentado, evitando assim que o golpista entre em contato novamente. A maioria dos celulares permite esse bloqueio de forma fácil.

Outra providência ainda mais importante é bloquear a aposentadoria ou pensão pagas pelo INSS para operações de empréstimo. Isto pode ser feito no portal www.meu.inss.gov.br. O beneficiário entra no portal, faz o cadastro, caso ainda não tenha, entra em “agendamentos e requerimentos” e coloca na busca “bloquear”, vai aparecer a opção “bloquear benefício para empréstimo”. Segundo Elizeu Leite a grande vantagem desta ferramenta é a flexibilidade. “O benefício fica protegido. Mesmo que o golpista consiga arrancar do aposentado dados para tentar fazer o empréstimo fraudulento ele não vai conseguir. Mas, caso o aposentado ou pensionista precise realmente fazer um empréstimo por necessidade e vontade própria, ele pode, a qualquer momento, desbloquear seu beneficio também pelo portal INSS”, explicou Elizeu Leite.

Comentários

Últimas notícias