Berço do Exército

Raquel Lyra visita área da Escola de Sargentos do Exército e se informa sobre projeto

Governadora sobrevoou a região em helicóptero e andou pela mata na manhã desta terça-feira (28)

Imagem do autor
Cadastrado por

Jamildo Melo

Publicado em 28/11/2023 às 11:45 | Atualizado em 28/11/2023 às 12:44
Notícia
X

Uma semana depois de o blog de Jamildo ter revelado e alertado para o real risco de perda da Escola de Sargentos do Exército (ESA) a ser construída em Abreu e Lima, a governadora Raquel Lyra deu uma forte sinalização de que não vai abrir mão do projeto estruturador.

Raquel saiu do hangar do GTA às 9h desta terça-feira (28) e fez um sobrevoo de helicóptero na região. Depois, foi andar na mata, onde foram apresentados pelo Exército mais detalhes sobre o projeto.

Ela está acompanhada da secretária de Meio Ambiente, Ana Luíza Ferreira.

Em reportagem exclusiva, o Exército explicou que impedimentos ambientais ou judicialização poderiam prejudicar Escola de Sargentos.

Reprodução/Redes Sociais
Raquel Lyra sobrevoa área em que será construída a Escola de Sargentos do Exército - Reprodução/Redes Sociais

As reportagens do Blog de Jamildo sobre o risco de perda do empreendimento fizeram Pernambuco acordar para a defesa do projeto.

Primeiro foi a ACP, depois a Fiepe e depois a Aspa que divulgaram notas de apoio ao projeto, mas com um texto pouco claro, que misturava dois assuntos distintos.

Reprodução/Redes Sociais
Raquel Lyra visita área em que será construída a Escola de Sargentos do Exército - Reprodução/Redes Sociais

Um dos equívocos que o esforço de reportagem mostrou foi que o projeto da Escola de Sargentos do Exército independe da viabilização do Arco Metropolitiano, promessa de campanha ainda de Eduardo Campos e que nunca saiu do papel, entre outros motivos, por conta de intermináveis discussões ambientais em torno dos vários traçados já discutidos.

O blog de Jamildo apurou que a governadora sempre foi a favor do projeto, mas está cumprindo todas as fases e fazendo as análises ambientais necessárias e com a prudência que uma ação com esta envergadura demanda. "Poderá haver uma negociação com o Exército sobre detalhes, mas o governo é favorável sim", afirma uma fonte exclusiva do blog, no processo.

Escola de Sargentos do Exército em Pernambuco

Nada de agressão ao meio ambiente

Em audiência pública nesta segunda, na Alepe, o gerente do projeto da Escola de Sargentos, general Joarez Alves Pereira Júnior, repetiu que a legalidade é a base da proposta apresentada pelo Exército e se disse tranquilo quanto ao atendimento com folga de todas as exigências contidas no Código Florestal e em leis específicas.

O general também descartou contar com o Arco Metropolitano na decisão sobre a localização das instalações da instituição de ensino militar.


“Eu não posso contar com uma estrada que não tem nem traçado feito, se é que ela vai sair”, afirmou o general.

Segundo Joarez Pereira Júnior, o princípio basilar do projeto é estar próximo a uma cidade de médio ou grande porte que já tenha instituições do Exército que vão dar suporte à Escola, a exemplo do Hospital Militar do Recife.

“O que não pode é alguém ter que se deslocar 70 km da Escola, ou seja, 140 km com a ida e volta, para vir numa consulta médica”, exemplificou.

Segundo o general, a proposta de instalar as vilas militares ao longo da Estrada de Mussurepe ainda será avaliada.

Governo não abre mão

No mesmo evento, a secretária Ana Luiza Ferreira, o Governo não irá abrir mão da preservação, e nem da Escola.

A secretária de Meio Ambiente, Ana Luiza Ferreira, disse que é preciso encontrar as convergências por meio das reuniões do grupo de trabalho criado pelo Governo do Estado com todos os atores interessados, porque “não é possível abrir mão da preservação ambiental e nem da Escola de Sargentos”.

Tags

Autor