Informações e dicas para cuidados do seu bicho de estimação, seja ele um gato, cachorro, pássaro ou peixe de aquário, além de dicas de alimentação, adestramento, saúde e outros serviços
Meu Pet

Fique por dentro das novidades do mundo pet e confira as melhores dicas para cuidado de gatos, cachorros e outros bichinhos de estimação

COMPORTAMENTO

Confira dicas para proteger seu pet do estresse causado pelos fogos de artifício no final do ano

Som pode causar mudanças no comportamento, como agressividade, agitação, salivação em excesso, postura encolhida, tremores, hiperatividade e até a fuga

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 28/12/2021 às 8:00
PIXABAY
O barulho de fogos de artifício podem causar sérias reações nos pets - FOTO: PIXABAY
Leitura:

As queimas de fogos são consideradas um atrativo para as festas de fim de ano, mas para os pets e pessoas com autismo, o barulho causado por elas pode ser insuportável. Nos animais, o som pode causar mudanças no comportamento, como agressividade, agitação, salivação em excesso, postura encolhida, tremores, hiperatividade e até a fuga.

Diretor do Hospital Veterinário do Recife Robson José Gomes de Mello (HVR), o médico veterinário Elielson Ernesto explica que a audição dos gatos, por exemplo, é muito superior à das pessoas, podendo chegar a faixas ultrassônicas. Como comparação, os homens e mulheres têm capacidade de ouvir frequências 50 vezes menos do que os felinos.

“Os animais, de maneira geral, têm a audição muito mais sensível do que a dos seres humanos. Quando eles escutam o barulho dos fogos de artifício, aquilo, para eles, é como se fosse uma agressão muito forte. Por isso, os bichos entram em estresse elevado e tomam atitudes inesperadas, como fugir, ficarem agressivos, entre outras situações”, detalha Elielson Ernesto.

A médica veterinária Karina Mussolino, explica que o estampido dos fogos pode lesionar o tímpano e leva a quadros mais sérios, como a perda total de audição. "Há outros riscos importantes, que precisam ser considerados, como a tentativa de fuga, atropelamento ou mesmo se machucar em portões e janelas", comenta.

O uso de fogos de artifício com efeitos sonoros em eventos públicos promovidos pelo Poder Executivo Municipal foi proibido pela Prefeitura do Recife em novembro. Mas nas festas particulares a permissão continua.

Para minimizar o estresse provocado pelo barulho, o diretor do HVR orienta os tutores a acomodar os animais em ambientes confortáveis, que dê segurança aos bichos, com alimento e água. Outra possibilidade é envolver os pets em tecidos, como mantas ou lençóis, e trazer para próximo ao corpo, fazendo com que se sintam seguros. Em alguns casos, Elielson Ernesto também sugere colocar chumaços de algodão nos ouvidos dos bichinhos. Outra possibilidade é “acostumar” o animal com outros sons ambientes, a exemplo do som da televisão, uma música em volume mais alto ou mesmo de um ventilador. “Todas essas ações minimizam os impactos do barulho dos fogos”, informa o médico veterinário.

Segundo a especialista em comportamento felino da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Roseana Diniz, os gatos geralmente não têm medo dos fogos de artifício na mesma intensidade que os cães. Mas, para os que fugirem à regra, a orientação é "escolher um quarto na casa, fechar cortinas, colocar uma música de relaxamento para abafar mais o som, deixar o ventilador ligado em velocidade máxima, colocar no próprio quarto a caixa de areia higiênica, água, ração, deixar acessível para os animais. Colocar caixas de papelão e fechar com uma camisa", disse.

Cuidados básicos

  1. Sozinhos não: estar perto dos bichinhos neste momento faz com que eles se sintam protegidos. Caso seja necessário deixá-los, a dica é espalhar pela casa alguma peça de roupa, toalha ou coberto com o cheiro do tutor.
  2. Ambiente seguro: ao sair, feche portas e janelas. Os felinos gostam de se esconder, para isso, o ideal é restringir o espaço colocando caixas que possam servir de abrigo a eles, principalmente em pontos altos da casa.
  3. Ligue o som: tente ir acostumando os bichos aos barulhos dentro de casa. Vale ligar TV e música com volume alto; fazer sons que simulem estouro com frequência e, enquanto faz isso, procure interagir e desviar o foco dos pets.
  4. Sem punições: esse é um momento de muito estresse para cães e gatos, portanto, nada de demonstrar indiferença ao comportamento deles. Ao invés disso, ofereça recompensas, carinho e fique sempre por perto.
  5. Nada de medicamentos: evite medicar os pets sem orientação de um veterinário na tentativa de acalmá-los. Para gatos, os tutores podem espalhar feromônios pela casa; para cães, deixe ao alcance brinquedos interativos para mantê-los entretidos.

Dicas para acalmar cachorros:

  1. Mantenha o animal num ambiente confortável e que não possa fugir
  2. Não acorrentar o animal
  3. Crie distrações com atividades junto ao dono ou fornecer osso defumado pela casa
  4. Coloque músicas com som de natureza na televisão que sobreponha o barulho dos fogos
  5. Pedaços de algodão no ouvido dos animais

Dicas para acalmar gatos:

  1. Mantenha o gato em um quarto com a luz apagada
  2. Coloque músicas de relaxamento
  3. Crie espaços para que ele possa se esconder, como caixas de papelão
  4. Deixar potes de água e comida e a caixa de areia no quarto


Comentários

Últimas notícias