COLUNA MOBILIDADE

Semana Santa: ida ao interior pela BR-232 vai testar paciência do motorista. Veja rotas para não ficar preso no engarrafamento

Muita gente já está pegando a estrada e precisa ficar atenta às obras de alargamento e condições da rodovia

Roberta Soares
Cadastrado por
Roberta Soares
Publicado em 13/04/2022 às 10:41 | Atualizado em 14/04/2022 às 15:01
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Semana Santa: Obras e problemas nas rodovias BR 232, BR 104, PE 145. // Na foto: imagens de drone das obras de Alargamento da BR 232. - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

O motorista que já está no caminho ou pretende pegar a estrada para o interior de Pernambuco neste feriadão da Semana Santa deve sair de casa com paciência e espírito leve.

Afinal, é feriadão. E, além disso, a saída do Recife pela BR-232 está sendo alargada pelo governo do Estado em parceria com a Prefeitura do Recife.
São 6,8 quilômetros da rodovia, no trecho entre a bifurcação com a BR-101 (km 4,70) e a entrada da BR-408 (km 11,50).

Uma obra esperada há anos e de grande impacto na circulação - o que não poderia ser diferente. O transtorno era certo e fica ainda maior nos feriadões, quando o volume de 40 mil veículos diários aumenta em 40%.

Ou seja, são quase 60 mil veículos circulando no trecho, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE).

A intervenção teve todo um planejamento para minimizar as retenções, mas elas estão acontecendo e devem piorar porque, nessa primeira etapa, a obra está num trecho mais amigável - com faixas locais para o desvio do tráfego.

A obra, iniciada em março, ainda está na primeira fase e, neste momento, a pista principal da rodovia está interditada em pontos distintos. No sentido Recife-Caruaru, a interdição é em um sub trecho de quase 600 metros, nas imediações do Jardim Botânico.

Já no sentido contrário (Caruaru-Recife), o bloqueio é após o Atacado dos Presentes, na altura do acesso ao Bairro do Totó. A previsão, inclusive, é de que os trabalhos durem um ano.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Semana Santa: Obras e problemas nas rodovias BR 232, BR 104, PE 145. // Na foto: imagens de drone das obras de Alargamento da BR 232. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Semana Santa: Obras e problemas nas rodovias BR 232, BR 104, PE 145. // Na foto: destaque para buraco na BR 232. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Semana Santa: Obras e problemas nas rodovias BR 232, BR 104 e PE 145. BR 104. Obras e problemas na BR 232. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM


Segundo a Secretaria de Infraestrutura de Pernambuco (Seinfra), estão sendo executados os serviços de fresagem, no sentido interior, além de demolição, escavação, terraplanagem e compactação de sub-base nos dois sentidos.

A previsão é de que esta etapa seja finalizada ainda neste mês de abril.

Por sorte, o tráfego está sendo desviado pela pista local, existente na altura dos dois trechos em obras.

Mas não tem sido suficiente para evitar o impacto dos trabalhos na circulação, fazendo com que motoristas e passageiros do transporte público metropolitano e intermunicipal sofram.

ROTAS ALTERNATIVAS

Preocupado com as retenções que já são registradas devido à obra - que ainda tem, no mínimo, onze meses pela frente -, o governo de Pernambuco está iniciando uma comunicação massiva para indicar rotas alternativas para os motoristas.



O objetivo é estimular a população a fazer outros caminhos para passar no trecho em obras. Principalmente agora, às vésperas do feriadão da Semana Santa, e até os meses de junho e julho, quando são comemoradas as festividades juninas e o interior vira destino principal no Estado.

Confira as sugestões do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PE) :

*Quem sai da Zona Norte do Grande Recife:

Seguir pela PE-005 - a Avenida Belmino Correia, a principal de Camaragibe -, depois pegar o Ramal da Copa e, em seguida, a BR-408. De lá, retornar para a BR-232 na altura dos Curados, no limite do Recife com Jaboatão dos Guarapes.

* Quem sai da Zona Sul do Grande Recife:

Seguir pela BR-101 na direção da Zona da Mata Sul e entrar na PE-063, no sentido do município de Primavera. Após a cidade de Amaraji, pegar a PE-071, até chegar ao entroncamento com a BR-232, em Chã Grande (próximo a Gravatá).

O alargamento da BR-232 prevê a requalificação do pavimento em placa de concreto na pista principal e asfalto nas marginais, construção de três passarelas, de um novo sistema de drenagem, implantação de retornos, realocação e o redimensionamento das paradas de ônibus existentes, implantação de ciclovia e calçadas em concreto, paisagismo, iluminação pública em LED e sinalização viária horizontal e vertical.

Segundo a Seinfra, o alargamento garantirá o acréscimo de 33% na capacidade viária da rodovia. E essa ampliação significará uma redução do tempo de viagem de uma hora para 25 minutos nos horários de pico - queda de 58% na duração do trajeto dos quase 6,8 quilômetros.


PERCURSO ATÉ FAZENDA NOVA

O JC fez o trajeto entre o Recife e Fazenda Nova (distrito do município de Brejo da Madre de Deus, no Agreste pernambucano e onde é realizado o espetáculo da Paixão de Cristo) para mostrar como estão as condições de trafegabilidade e segurança viária a quem vai cair na estrada neste feriadão e nos próximos - época em que o interior vira o destino principal do Estado.


Por isso, recomenda cuidado porque a malha rodoviária continua ruim e, em alguns trechos, péssima.

Ou seja, são muitos desafios até lá.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Saída da BR 232 para a Semana Santa, no dia 13.04.2022 - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

BR-232

A BR-232, principal eixo rodoviário não só do percurso até Fazenda Nova, mas da interiorização do desenvolvimento de Pernambuco, está bem melhor do que estava no ano passado.

Também melhor do que em 2020 e em anos anteriores - quando passou períodos sequenciais literalmente abandonada pela gestão estadual (embora seja uma BR, está sob responsabilidade do Estado por 30 anos).

Mas segue sendo uma rodovia perigosa, com desgastes que se transformaram em verdadeiras armadilhas para o motorista, e sem sinalização - o que deixa o condutor ainda mais exposto aos perigos.

O pavimento ainda é o maior problema da rodovia.

A sinalização praticamente inexiste e são poucos os trechos que estão capinados. Em resumo: a rodovia segue com uma imagem de velha e maltratada.

A grata surpresa é o trecho entre Encruzilhada de São João e Gravatá (sentido interior-capital), onde foram executados os serviços de fresagem, recapeamento e sinalização.

Segundo a Seinfra, o governo de Pernambuco investiu R$ 1 milhão na requalificação daquele trecho, que era um dos mais destruídos de todos os 130 quilômetros entre o Recife e Caruaru.

Além disso, a rodovia acabou de ganhar um contrato de manutenção no valor de R$ 26,5 milhões por ano, com prorrogação de até cinco anos, a contar de abril de 2022.

Nos últimos três anos foram executados os serviços de conserva ao longo dos 130 quilômetros, que contemplam roço, capinação, desobstrução do sistema de drenagem, tapa-buraco, fresagem, recapeamento e sinalização horizontal. O valor investido nos últimos três anos é de aproximadamente R$ 50 milhões.

O CAMINHO ENTRE CARUARU E FAZENDA NOVA 

Mesmo incompleta, a duplicação da BR-104 é o melhor trecho do percurso entre o Recife e Caruaru. A rodovia já apresenta problemas no pavimento, mas ainda são pequenos e pontuais.

O governo de Pernambuco garante que irá, em breve, finalizar a duplicação - que é de responsabilidade do Estado - entre Pão de Açúcar (distrito do município de Taquaritinga do Norte, localizado após Toritama) e a divisa com a Paraíba.

Mas para quem quer chegar a Fazenda Nova a inconclusão não interfere.

O terceiro desafio dos caminhos da Semana Santa é encarar a PE-145, que faz a conexão da BR-104 com Brejo da Madre de Deus, passando por Fazenda Nova.

É importante destacar que o desafio poderia ser maior. Três meses atrás, seria bem maior, é fato.

Isso porque a rodovia está sendo restaurada pelo governo de Pernambuco.

Os 43 km até Brejo da Madre de Deus estão quase que totalmente recuperados e, dessa vez, refeitos por completo.

 

DIVULGAÇÃO/CONCESSIONÁRIA ROTA DO ATLÂNTICO
A tarifa básica passará a custar R$ 8,70 - DIVULGAÇÃO/CONCESSIONÁRIA ROTA DO ATLÂNTICO
AMERICO VERMELHO/ROTA DOS COQUEIROS
As praças de pedágio contarão com serviço de papa-fila nos horários de pico - AMERICO VERMELHO/ROTA DOS COQUEIROS
Foto: Divulgação
Condutores que transitam pelo Litoral Sul precisarão desembolsar mais no pedágio a partir do dia 14 de junho - Foto: Divulgação

LITORAL COMO DESTINO


A situação para quem vai viajar para o Litoral de Pernambuco deverá ser mais tranquila porque, apesar do aumento do volume de veículos para destinos como Porto de Galinhas, por exemplo, não há obras como a da BR-232 no percurso.

Além disso, no caso do Litoral Sul, o motorista tem a opção de usar duas rodovias pedagiadas, o que significa garantia de mais segurança viária e qualidade de pavimento, já que paga por isso.

As concessionárias do Grupo Monte Rodovias em Pernambuco, que operam o Sistema Viário do Paiva (Rota dos Coqueiros) e o Complexo Viário de Suape (Rota do Atlântico), por exemplo, estão com uma operação especial de quinta-feira (14) até o Domingo de Páscoa (17) para receber um volume de 80 mil veículos.

As praças de pedágio contarão com serviço de papa-fila durante todo os quatro dias de operação especial. O reforço possibilita o pagamento da tarifa antes da chegada na cabine. As duas concessionárias dispõem ainda de pistas automáticas, com seis opções de operadoras: Conectcar, C6 Taggy, Move Mais, Sem Parar e Veloe.

Para evitar os horários de pico, antes de pegar a estrada os condutores podem conferir o movimento através das imagens em tempo real disponíveis nos sites www.rotadoatlantico.com.br e www.rotadoscoqueiros.com.br.


Comentários

Últimas notícias