SEGURANÇA

Fatos 'precisam ser investigados de forma ampla e irrestrita', diz Antônio de Pádua após deixar SDS

Delegado federal foi exonerado nesta sexta-feira (04), seis dias após ato desastroso da Polícia Militar de Pernambuco contra manifestantes no Recife

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 04/06/2021 às 19:02
Heudes Regis/SEI
Antônio de Pádua foi exonerado da SDS nesta sexta-feira (04) - FOTO: Heudes Regis/SEI
Leitura:

Em texto divulgado à imprensa, na noite desta sexta-feira (04), o delegado federal Antônio de Pádua, agora ex-secretário de Defesa Social, se pronunciou sobre a exoneração. Pádua foi exonerado seis dias após ato desastroso da Polícia Militar de Pernambuco contra manifestantes no Recife

Conheça o novo secretário de Defesa Social

Confira a íntegra do texto de Antônio de Pádua: 

Os fatos ocorridos no último sábado foram graves e precisam ser investigados de forma ampla e irrestrita. Minha formação profissional e humanística repudia, de forma veemente, a maneira como aquela ação foi executada. Seis dias depois do episódio, com um novo comandante à frente da PM, com todos os procedimentos investigatórios instaurados e após prestar contas à Assembleia Legislativa, à OAB e ao Ministério Público, entreguei meu cargo ao governador Paulo Câmara, com a certeza do dever cumprido e mantendo nosso compromisso com a transparência e o devido processo legal.

Agradeço a toda a equipe da SDS e dos órgãos operativos que compõem a secretaria, aos colegas do governo e, principalmente, ao governador pelo apoio no trabalho desenvolvido ao longo desses quatro anos. Na gestão mais duradoura na trajetória desta secretaria, pude colaborar, sob as diretrizes do Pacto pela Vida, com a expansão e qualificação de unidades e serviços de segurança, a ampliação dos recursos humanos e, principalmente, com a redução da violência em Pernambuco, que chegou em maio ao 5º mês consecutivo de retração dos crimes contra a vida.

Meu ciclo à frente da SDS está completo. Jamais deixei de assumir minhas responsabilidades, enquanto coordenador das forças de segurança, mas também, como gestor e servidor público, tenho a plena consciência de que as instituições são mais importantes que as pessoas. E devem seguir, cada vez mais fortes e sintonizadas com os anseios de todos. Finalizo meus trabalhos neste cargo com a tranquilidade do dever cumprido e com a certeza de que a política pública de segurança do Estado seguirá vitoriosa, sendo uma prioridade da gestão. Mais uma vez, obrigado a todos pela inestimável colaboração que tive.

Comentários

Últimas notícias