VIOLÊNCIA

"Tem que ter mais policiamento", diz promotor de Justiça sobre onda de assassinatos no Cabo de Santo Agostinho

Somente no último fim de semana, seis homens foram mortos no município, que tem maior taxa de homicídios do Grande Recife

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 23/05/2022 às 15:42 | Atualizado em 23/05/2022 às 21:02
BETO DLC/TV JORNAL
Cabo de Santo Agostinho tem aumento no número de homicídios em 2022 - FOTO: BETO DLC/TV JORNAL
Leitura:

A onda de assassinatos registrada no último fim de semana no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, preocupa moradores do município e autoridades que acompanham a situação. O promotor de Justiça Rinaldo Jorge afirmou, nesta segunda-feira (23), que é preciso reforço de policiamento para diminuir a violência.

Em março, numa audiência coordenada pelo promotor, foram definidas medidas que seriam aplicadas pela polícia, prefeitura e do próprio Ministério Público para combater aos crimes no Cabo de Santo Agostinho, que sofre com a escala da violência. A taxa de homicídios em 2021 foi de 77,95 por 100 mil habitantes - a maior do Grande Recife e uma das maiores do País. 

"Avançamos em ações de prevenção à violência, com ações do governo do Estado e da prefeitura. Um projeto de lei também foi enviado à Câmara de Vereadores do Cabo para a criação do Conselho de Segurança Municipal. Já o Ministério Público solicitou mais medidas cautelares para prisão de suspeitos", disse o promotor, que é coordenador do Centro de Apoio Operacional de Defesa Social e Controle Externo da Atividade Policial. 

"Há uma cultura de que o policial tem que estar nas ruas para garantir a segurança. Por isso, acredito que tem que ter mais reforço de policiamento no Cabo", afirmou Rinaldo Jorge. 

A coluna Ronda JC questionou à Polícia Militar de Pernambuco sobre como está sendo feito o policiamento no Cabo e se houve reforço recentemente. 

Em nota, a PM informou que "vem reforçando o policiamento com guarnições extras nos locais onde houve registros. Também está sendo implementado policiamento motorizado, em horários diversos, no intuito de inibir essas ações delituosas".

Disse ainda que a área "é contemplada por viaturas do Grupo Tático Itinerante(GATI), Contra Resposta, efetivos da Operação Conquista, Jornada Extra de segurança (PJES) e motopatrulhamento. Existe também a Operação Corujão, onde efetivo motorizado atua das 23h às 7h buscando a tranquilidade na madrugada".

Por fim, a PM afirmou que o comandante da unidade foi "cientificado da demanda e reforça a importância de serem prestadas as informações de ocorrências nas delegacias e através do 190, no momento da ocorrência, com intuito de intensificar o policiamento e reprimir ou inibir novas práticas".

ESTATÍSTICAS

ARTES JC
Assassinatos no Cabo de Santo Agostinho - ARTES JC

Nos primeiros quatro meses de 2022, a polícia já somou 70 homicídios no município. No mesmo período de 2021, foram 51 registros. O aumento é de 37,25%.

De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), 30 pessoas foram mortas em janeiro deste ano. Foi o mês mais violento do município desde o início de 2004, quando os números começaram a ser somados pela pasta.

No ano passado, houve 178 vítimas - uma média de um homicídio a cada dois dias.

PERFIL DAS VÍTIMAS 

Dos 70 assassinatos registrados no Cabo de Santo Agostinho entre janeiro e abril deste ano, 95% das vítimas são do sexo masculino.

Além disso, segundo dados da SDS, quase 65% das vítimas tinham idades entre 18 e 29 anos - o que reforça a necessidade de políticas de prevenção, como empregabilidade, para tirar os jovens da situação de vulnerabilidade e evitar mais mortes.

"A maioria dos homicídios tem relação com o tráfico de drogas", contou o promotor de Justiça. 

VIOLÊNCIA NO FIM DE SEMANA

Foram ao menos seis pessoas assassinadas no Cabo de Santo Agostinho no fim de semana. Um adolescente também foi baleado e segue internado.

Na madrugada do sábado (21), na Cidade Garapu, Luís Fernando Nascimento dos Santos, 19 anos, foi morto em casa. Ele foi atingido por quatro tiros.

Outros dois homicídios aconteceram no bairro da Charnequinha. José Francisco da Silva, 56 anos, foi morto a facadas na casa em que morava, na tarde do sábado. Já Silvano José de Araújo foi morto com nove tiros, no mesmo dia, à noite.

No centro do Cabo, no domingo (22), ocorreu um duplo homicídio. As vítimas foram Guilherme de Albuquerque de Oliveira da Silva, 22, e Leonardo José do Nascimento, 41.

No bairro da Cohab, dois irmãos foram atingidos por disparos de arma de fogo. Eles foram socorridos por policiais militares e encaminhados para o Hospital Mendo Sampaio.

O mais velho, identificado como José Robson de Lima da Silva, 24, não resistiu e morreu. O irmão dele, de 17 anos, foi transferido para o Hospital da Restauração.

INCÊNDIO CRIMINOSO

Reprodução
Pizzaria é incendiada na Praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - Reprodução

Além dos homicídios, um incêndio criminoso na praia de Gaibu também chamou a atenção dos moradores do Cabo.

Câmeras de segurança do estabelecimento registraram o momento em que um homem usando um chapéu entrou com um recipiente de gasolina e derramou o combustível pelo local.

Em pouco tempo, as chamas se espalharam, e houve correria entre os funcionários. O incêndio foi considerado de médias proporções; ninguém ficou ferido.

PREVENÇÃO

O secretário municipal de Defesa Social, Pablo de Carvalho, afirmou que o Cabo de Santo Agostinho será inserido no Portal CidadeSusp, iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública. "O sistema vai orientar todas as ações da prefeitura, não só na área de segurança mas também da prevenção", pontuou.

No portal, são inseridos indicadores sociais, de escolaridade e também da violência. E, por meio da inteligência artificial, vai apontar onde deve ser a atuação do poder público. 

Comentários

Últimas notícias