COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Covid-19: Pernambuco tem quase metade dos trabalhadores de saúde com esquema vacinal completo

No Estado, 195 mil profissionais da categoria receberam a primeira dose e 144.872 já estão com o esquema completo de imunização

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 24/03/2021 às 22:52
WELLINGTON LIMA/JC IMAGEM
O reforço é feito com vacina da Pfizer - FOTO: WELLINGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:

Um balanço atualizado da imunização contra a covid-19 em Pernambuco mostra que, dois meses após iniciada a campanha de vacinação, quase metade dos trabalhadores de saúde do Estado já estão com o esquema vacinal completo. São pessoas que já tomaram as duas aplicações do imunizante. Segundo a reportagem deste JC apurou com a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES), 49,2% desses profissionais estão protegidos com ambas as doses e 66,3% já receberam pelo menos a primeira. Ao todo, o Estado tem a missão de vacinar 294.095 trabalhadores de saúde. Segundo a SES, já foram enviadas para Pernambuco, pelo Ministério da Sáude, vacinas para imunizar 80% dos profissionais com duas doses e 94% com a primeira aplicação.

Para a superintendente de Imunização da SES, Ana Catarina de Melo, o percentual de profissionais desse grupo vacinados contra a covid-19, no Estado, até o momento, denota uma boa adesão ao processo de imunização da categoria. "Em relação à meta, o objetivo é chegar em 90% (com o esquema completo). Mas vale pontuar que a vacinação está sendo gradativa, de acordo com as remessas de imunizantes recebidas do governo federal. Então, esse objetivo também será atingido de maneira progressiva", esclarece Ana Catarina.

Mesmo com uma cobertura vacinal abaixo do esperado, ela acredita que, para este cenário de poucas doses recebidas, o quantitativo de profissionais de saúde imunizados, no Estado, é satisfatório. "O percentual de 49,2% de trabalhadores da saúde com o esquema completo é um bom índice, mas sempre é bom reforçar a importância daqueles que ainda não receberam a segunda dose da vacina completarem o seu esquema vacinal em tempo oportuno", acrescenta. No caso da CoronaVac, as aplicações devem ser administradas em um período de 14 a 28 dias entre a primeira e a segunda dose. Para o imunizante da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, é indicada a segunda aplicação apenas três meses após a primeira.

Na visão da médica epidemiologista Ana Brito, pesquisadora da Fiocruz Pernambuco, era esperado que, neste momento, o quantitativo de trabalhadores da saúde imunizados contra a covid-19 fosse maior. "A expectativa era que, no fim do segundo mês de campanha, a gente já tivesse vacinado 100% desses profissionais. Mas é importante considerar que a maioria dos que já foram contemplados nesse percentual (de 49,2%) está desde a linha de atenção primária à saúde à especializada. São poucas doses, e já deveríamos ter vacinas o suficiente para ter atingido 20% da população vulnerável", salienta Ana Brito. Para ela, infelizmente a população brasileira agora está submetida à disponibilidade de doses de vacina. "Temos um número muito aquém da nossa necessidade."

Já o Recife está com uma cobertura, entre os trabalhadores da saúde, menor do que a do Estado. Na cidade, que tem a meta de vacinar contra a covid-19 95.236 pessoas dessa categoria, 35% receberam ambas as doses e 52% têm apenas a primeira. Os dados são do Vacinômetro, ferramenta digital que permite acompanhar o número de vacinados na capital.

Comentários

Últimas notícias