PANDEMIA

Pernambuco aguarda desafogo em UTIs de covid-19 para liberar cirurgias eletivas com anestesia geral, diz Longo

Secretaria de Saúde anunciou nessa quinta (17) a permissão para retomada de cirurgias eletivas com anestesia locorregional nas redes pública e privada do Estado. Procedimentos que necessitem de anestesia geral seguem proibidos

Katarina Moraes Renata Monteiro
Katarina Moraes
Renata Monteiro
Publicado em 18/06/2021 às 11:02
Notícia
HÉLIA SCHEPPA/SEI
Atualmente, Pernambuco tem 3.030 leitos destinados a pacientes com sintomas da covid-19 - FOTO: HÉLIA SCHEPPA/SEI
Leitura:

A partir desta sexta-feira (18), está permitida a retomada das cirurgias eletivas com anestesia locorregional nas redes pública e privada de Pernambuco, mas seguem proibidos os procedimentos que necessitem de anestesia geral, pela ainda alta ocupação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Estado. Em entrevista à Rádio Jornal, o secretário de Saúde, André Longo, revelou preocupação em desafogar a lista de procedimentos pendentes deste ano, mas disse também que é preciso reduzir ainda mais a taxa de internados em leitos intensivos da covid-19 que necessitam do “kit intubação” para, então, liberar todos os tipos de cirurgias eletivas.

“A gente sabe que os impactos da pandemia não são só sobre as doenças efetivamente envolvidas com ela, mas naquelas que a gente deixa de poder atender. Há um passivo de cirurgias eletivas importante que a gente precisa vencer neste segundo semestre. Pensando nisso, a gente tão logo viu a possibilidade de iniciar algumas delas. Mas, neste momento, ainda temos uma dificuldade com os medicamentos do chamado kit intubação, então a gente precisa, ainda, esperar que os números de pacientes em UTI caiam mais”, afirmou.

Portaria publicada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco desta sexta considera como "cirurgia eletiva" aquelas que "possam ser adiados e/ou reprogramados sem prejuízo à saúde do paciente". O texto ainda diz que "fica condicionada a realização de cirurgias e procedimentos eletivos sob anestesia locorregional à disponibilidade de leitos e de insumos, medicamentos do chamado kit intubação com estoque suficiente para permitir seu uso, caso necessária a conversão para anestesia geral."

Dados da Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco (Seplag-PE) mostravam que, nessa quinta (17), o Estado tinha uma ocupação de 87% nos leitos públicos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados a pacientes com problemas respiratórios - sintomas de covid-19 - zerando novamente a fila de espera por vagas. A taxa não chegava a esse patamar desde 20 de fevereiro. Houve queda também nos indicadores de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e no número de solicitações de leitos.

O secretário associou essa melhora a um “conjunto de fatores”. “Além da rede ampliada de UTIs, precisamos considerar o efeito vacinal. A vacina não impede casos, mas começa a diminuir o número de pessoas que vai depender de internação de uma forma muito intensa. Pernambuco já vai com 27% da população com a 1ª dose, o que já dá algum grau de cobertura —obviamente se completa essa imunidade com a 2ª dose, que é fundamental, mas a primeira já protege, especialmente a de Astrazeneca e da Pfizer. Com o desaquecimento progressivo da doença nas regiões do interior, temos, também, maior folga nos leitos de UTI na RMR”, disse.

O chefe da pasta revelou ter “expectativa de termos um segundo semestre melhor” em relação ao comportamento da covid-19, relacionando o otimismo a uma suposta sazonalidade observada por cientistas na doença, que parece atacar mais no primeiro semestre, e ao avanço da campanha de vacinação.

“A saúde pública tem aprendido muito com a covid-19. Temos procurado ouvir todos os cientistas sobre a doença. Ela tem características e uma delas parece ser a sazonalidade. Quando a gente está falando do período em que ela tem maior ocorrência, no primeiro semestre, a gente está muito mais alerta. Temos a expectativa de termos um segundo semestre melhor, como tivemos em 2020. É preciso considerar que neste ano o que nos dá um otimismo um pouco melhor é o avançar da vacinação”, disse o chefe da pasta.

Segundo ele, o padrão acontece com doenças respiratórias, mesmo em anos não pandêmicos. “Pernambuco vive mesmo em anos sem epidemia uma situação de sazonalidade, ou seja, de maior ou menor ocorrência de doenças respiratórias. Esse padrão é diferente em vários locais do país, temos, pelo menos, quatro padrões de sazonalidade. Além dessa questão, é fundamental que aqui, inclusive no Nordeste, haja os melhores indicadores de mortalidade e de controle da doença desde o início da pandemia. Temos combatido o negacionismo e tendo a coragem de enfrentar cada momento com as medidas restritivas que precisam ser adotadas”, explicou.

Em 2020, os primeiros meses da pandemia foram marcados por duras restrições em todo o Estado, que foram sendo suspensas, pouco a pouco, a partir do mês de junho, após queda nos índices epidemiológicos. Segundo Longo, a tendência se repete neste ano. “Pernambuco vem adotando medidas restritivas desde dezembro, em maior ou menor intensidade, a depender da situação, de forma proporcional em cada uma das regiões do estado. Chegamos a fechar todas as atividades, depois restringimos horário. Foram várias medidas restritivas ao longo desse semestre, e agora se colhe o fruto desse resultado”, afirmou Longo.

Flexibilizações

Ainda durante a coletiva da quinta, o Governo de Pernambuco comunicou que, devido à queda na demanda por leitos de terapia intensiva, irá flexibilizar o funcionamento de algumas atividades econômicas e sociais no Estado entre os dias 21 de junho e 4 de julho. Entre as mudanças divulgadas, estão a retomada parcial de academias, bares, restaurantes, praias, escolas, universidades, entre outros, inclusive nos finais de semana. Eventos corporativos estarão permitidos, com ressalvas, mas eventos sociais e culturais seguem vedados.

De acordo com as informações divulgadas pelo governo, na Macrorregião I, que engloba a Região Metropolitana do Recife, Zona da Mata e parte do Agreste, além da Macro IV, que abraça um trecho do Sertão, será possível retomar as seguintes atividades econômicas de 21 de junho a 4 de julho:

Academias e similares

- 50% da utilização dos aparelhos de cardio;
- Horário até 22h em dias de semana e 18h nos fins de semana e feriados;

Serviços de alimentação

- 50% da capacidade do local;
- Horário para 22h em dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados;
- Permanece proibida música ao vivo;

Comércio Varejista de bairro

- 1 cliente a cada 5m2 para área interna das lojas e 1 cliente a cada 10m2 nas áreas de circulação;
- Horário das 8h às 20h nos dias de semana e 9h às 19h nos finais de semana e feriados;

Comércio varejista de centro

- 1 cliente a cada 5 m2 para área intrna das lojas e 1 cliente a cada 10m2 nas áreas de circulação;

- Horário das 8h às 20h nos dias de semana e 9h às 19h nos fins de semana e feriados;

Praias/Comércio de praia/ Ciclofaixas e calçadões

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

Escolas e Universidades

- Manter o distanciamento de 1,5m entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes quando necessário;

- Horário das 6h às 22h;

Escritórios comerciais

- 50% da capacidade do local, considerando o distanciamento de 1,5m entre as estações de trabalho;

- Horário das 8h às 20h nos dias de semana e 9h às 19h nos fins de semana e feriados;

Feira de Negócios

- Horário até as 22h em dias de semana 21h em fins de semana e feriados;

Igrejas e atividades religiosas

- 50% da capacidade do local ou 300 pessoas, o que for menor;

- Horário até 22h em dias de semana e 21h em fins de semanas e feriados;

Polo de confecções

- Horário até 20h;

Shoppings centers e galerias comerciais

- 1 cliente a cada 5m2 para área interna das lojas e 1 cliente a cada 10 m2 nas áreas de circulação;

- Horário até 22h nos dias de semana e de 21h nos fins de semana e feriados;

Eventos corporativos

- 50 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Proibido música ao vivo;

- Horário até as 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados;

Eventos sociais/ Buffets

- Permanece vedado

Eventos culturais

- Permanece vedado

Colação de grau, aula da saudade e culto ecumênico

- 50 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Horário até 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados;

- Proibido alimentos, bebidas e música ao vivo;

Cinema, teatro e circo

- 100 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Horário até 22h nos dias de semana e 21h nos finais de semana e feriados;

Museus e demais equipamentos culturais

- 1 visitante a cada 20 m2 nas áreas expositivas internas e 1 visitante a cada 10m2 nas áreas expositivas externas;

- Horário até 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados;

Parques temáticos/Aquáticos/ Jogos eletrônicos/ Itinerantes/ Similares

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

- Permanece vedado show;

Parques infantis

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

Atividades esportivas coletivas e individuais

- Liberadas a prática, treinamento e competição das modalidades esportivas coletivas e individuais em centros esportivos, clubes sociais e associações esportivas;

- Horário até as 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados;

- Sem show;

- Jogos de futebol profissional em estádio - SEM PÚBLICO

Clubes sociais

- Horário até as 22h nos dias de semana e 21h nos fins de semana e feriados. Proibido saunas.

Na macrorregião III, que engloba parte do Sertão pernambucano, serão feitas as seguintes modificações no funcionamento das atividades econômicas e sociais de 21 a 27 de junho:

Academias e similares

- 50% da utilização dos aparelhos de cardio;

- Horário as 18h dias de semana e nos fins de semana e feriados;

Serviços de alimentação

- 50% da capacidade do local;

- Horário para 18h em dias de semana e nos fins de semana e feriados;

- Permanece proibida música ao vivo;

Comércio Varejista de bairro

- 1 cliente a cada 5m2 para área interna das lojas e 1 cliente a cada 10m2 nas áreas de circulação;

- Horário das 8h às 18h nos dias de semana e 9h às 18h nos finais de semana e feriados;

Comércio varejista de centro

- 1 cliente a cada 5 m2 para área intrna das lojas e 1 cliente a cada 10m2 nas áreas de circulação;

- Horário das 8h às 18h nos dias de semana e 9h às 18h nos fins de semana e feriados;

Praias/Comércio de praia/ Ciclofaixas e calçadões

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

Escolas e Universidades

- Manter o distanciamento de 1,5m entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes quando necessário;

- Horário das 6h às 18h;

Escritórios comerciais

- 50% da capacidade do local, considerando o distanciamento de 1,5m entre as estações de trabalho;

- Horário das 8h às 18h nos dias de semana e 9h às 18h nos fins de semana e feriados;

Feira de Negócios

- Horário até as 18h em dias de semana e em fins de semana e feriados;

Igrejas e atividades religiosas

- 50% da capacidade do local ou 300 pessoas, o que for menor;

- Horário até as 18h em dias de semana e em fins de semana e feriados;

Shoppings centers e galerias comerciais

- 1 cliente a cada 5m2 para área interna das lojas e 1 cliente a cada 10 m2 nas áreas de circulação;

- Horário até 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados;

Eventos corporativos

- 50 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Proibido música ao vivo;

- Horário até as 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados;

Eventos sociais/ Buffets

- Permanece vedado

Eventos culturais

- Permanece vedado

Colação de grau, aula da saudade e culto ecumênico

- 50 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Horário até 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados;

- Proibido alimentos, bebidas e música ao vivo;

Cinema, teatro e circo

- 100 pessoas ou 30% da capacidade do local, o que for menor;

- Horário até 18h;

Museus e demais equipamentos culturais

- 1 visitante a cada 20 m2 nas áreas expositivas internas e 1 visitante a cada 10m2 nas áreas expositivas externas;

- Horário até 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados;

Parques temáticos/Aquáticos/ Jogos eletrônicos/ Itinerantes/ Similares

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

- Permanece vedado show;

Parques infantis

- Serão objeto de regulamentação e fiscalização por cada município;

Atividades esportivas coletivas e individuais

- Liberadas a prática, treinamento e competição das modalidades esportivas coletivas e individuais em centros esportivos, clubes sociais e associações esportivas;

- Horário até as 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados;

- Sem show;

- Jogos de futebol profissional em estádio - SEM PÚBLICO

Clubes sociais

- Horário até as 18h nos dias de semana e nos fins de semana e feriados. Proibido saunas

artes jc
Novo plano de convivencia - artes jc

artes jc
Plano de convivencia - artes jc

Segundo informações do governo estadual, a macrorregião I engloba as Gerências Regionais de Saúde (Geres) I, II, III e IX. Essas Geres seriam as responsáveis pelos municípios de Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Chã de Alegria, Chã Grande, Glória do Goitá, Igarassu, Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Pombos, Recife, São Lourenço da Mata, Vitória de Santo Antão, Bom Jardim, Buenos Aires, Carpina, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Lagoa do Carro, Lagoa do Itaenga, Limoeiro, Machados, Nazaré da Mata, Orobó, Passira, Paudalho, Salgadinho, Surubim, Tracunhaém, Vertente do Lério, Vicência, Água Preta, Amaraji, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, escada, Gameleira, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Lagoa dos Gatos, Maraial, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré, Xexéu, Aliança, Camutanga, Condado, Ferreiros, Goiana, Itambé, Itaquitinga, Macaparana, São Vicente Ferrer, Timbaúba, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

A macro II, por sua vez, é responsável pelas Geres IV e V, que abraçam as cidades de Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim, Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Félix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Una, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes, Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçado, Canhotinho, Capoeira, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmeirina, Paranatama, Saloá, São João e Terezinha.

A macro III engloba as Geres VI, X e XI, responsáveis pelos municípios de Arcoverde, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Jatobá, Manari, Pedra, Petrolândia, Sertânia, Tacaratu, Tupanatinga, Venturosa, Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixabá, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Tuparetama, Betânia, Calumbi, Carnaubeira da Penha, Flores, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada e Triunfo.

Por fim, a macro IV, que comporta as Geres IX, VII e VII, cuida das cidades de Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena, Trindade, Belém de São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova, Verdejantes, Afrânio, Cabrobó, Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista.

LEITOS DE UTI

O Governo de Pernambuco anunciou, nesta quinta-feira (17), que atingiu a menor ocupação nos leitos públicos de terapia intensiva para pacientes com SRAG desde fevereiro deste ano: 87%. Com esse percentual, o Estado zerou a fila de espera por vagas por leitos deste tipo.

Em pronunciamento feito durante a tarde, o governador Paulo Câmara comemorou a marca, mas reforçou que a população deve seguir cumprindo todos os protocolos para evitar a proliferação do coronavírus, como usar máscara, não estar em aglomerações e ajudar pessoas que ainda não se vacinaram, mesmo que já sejam elegíveis a receber o imunizante.

ARTE/JC
. - FOTO:ARTE/JC
ARTE/JC
. - FOTO:ARTE/JC

Comentários

Últimas notícias