COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

"Especialmente as crianças estão correndo perigo", avisa secretário sobre 100% das vacinas abaixo da meta no público infantil

Alerta de André Longo leva em consideração o fato de muitas das doenças evitadas pelas vacinas indicadas na infância serem ainda mais graves para as crianças do que a covid-19

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 15/10/2021 às 14:48
Notícia
HÉLIA SCHEPPA/SEI
"É cada vez mais latente o risco do retorno de doenças que estavam erradicadas ou com baixa ocorrência, até porque não atingimos meta para nenhuma das vacinas indicadas para o público infantil em 2021", enfatiza André Longo - FOTO: HÉLIA SCHEPPA/SEI
Leitura:

Como consequência do isolamento social e das medidas de proteção ao longo da pandemia de covid-19, um percentual alto de crianças e os adolescentes deixou de ir aos postos de saúde para colocar em dia a caderneta de vacinação. O resultado é que Pernambuco não atingiu a meta de cobertura mínima para as vacinas indicadas para proteção do público menor de 15 anos. Nessas faixas etárias, é indicada a aplicação de alguns imunobiológicos que já fazem parte do calendário de rotina nos postos de saúde, como poliomielite, hepatites A e B, tríplice viral, rotavírus humano e dTp, entre outras.

Leia também: 

Dermatologistas alertam pais sobre doença que afeta a pele, tira o sono e pode comprometer o processo de aprendizagem das crianças

Covid-19: após quatro meses do pico, casos em crianças caem 84% em Pernambuco

Reação após tomar a 3ª dose da vacina contra covid-19 é normal? Médico do Imip responde

Para reverter esse cenário, o Estado convoca pais e responsáveis para participar, neste sábado (16), do Dia D da Campanha de Multivacinação, que tem como objetivo atualizar a caderneta de vacinação. "Estamos preocupados com a baixíssima cobertura das vacinas para este público. Muitas das doenças que são evitáveis por esses imunizantes são ainda mais graves para as crianças do que a covid-19. Com as atuais coberturas, todos, mas especialmente as crianças, estão correndo perigo. É cada vez mais latente o risco do retorno de doenças que estavam erradicadas ou com baixa ocorrência, até porque não atingimos meta para nenhuma das vacinas indicadas para o público infantil em 2021”, alerta o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo.

Leia também:

É hora de desobrigar o uso de máscaras em Pernambuco? Saiba quando isso pode acontecer

Dessa maneira, neste sábado (16), pais, mães ou responsáveis por crianças e adolescentes menores de 15 anos devem se dirigir aos mais de 2,4 mil postos de vacinação espalhados pelo território pernambucano. No Recife, ao longo do dia, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) vai disponibilizar 150 salas de vacinas para que crianças e adolescentes menores de 15 anos possam atualizar a sua caderneta. “Para revertermos a situação e protegermos nossas crianças, precisamos que vocês, pais, mães ou responsáveis compareçam ao posto de vacinação mais próximo, para que um profissional de saúde faça a análise do cartão e, se necessário, aplique as doses em atraso. O acesso às vacinas é um direito de todas as crianças e adolescentes. Se você ama seu filho, não deixe de levá-lo a um posto de vacinação”, ressaltou Longo. 

Baixíssimas coberturas

Atualmente, a cobertura vacinal em Pernambuco para os imunobiológicos indicados às crianças menores de 1 ano se configura da seguinte forma: BCG (71,95%), pneumocócica (68,63%), pentavalente (66,87%), poliomielite (66,63%), meningocócica (65,43%) e rotavírus humano (65,03%).

A situação se repete quando observado o público maior de um ano de idade: hepatite A (62,89%), tríplice viral – doses 1 e 2 (72,19% e 44,02%), meningococo C (66,30%), pneumocócica (66,08%), poliomielite – 1º reforço (51,98%) e 2ª reforço (40,10%), dTp – 1º reforço (57,57%) e 2ª reforço (47,26%) e varicela (63,86%).

“Os municípios devem elaborar estratégias que possibilitem o acesso desse público-alvo de maneira efetiva e rápida. Alternativas podem ser criadas, como a abertura de postos de saúde ou pontos de vacinação nos fins de semana, e até mesmo ir às escolas realizar a imunização no local”, afirmou a superintendente de Imunizações do Estado, Ana Catarina de Melo.

A campanha de multivacinação segue até o dia 29 deste mês. Durante esse período, estarão disponíveis 18 vacinas. Para as crianças com menos de 7 anos, serão disponibilizadas vacinas de BCG, hepatite B, pentavalente, poliomielite, rotavírus, pneumocócica 10, meningocócica C, febre amarela, tríplice viral, varicela, hepatite A e DTP. Quem tem entre 7 e 14 anos pode receber vacina de hepatite B, tríplice viral, febre amarela, varicela, difteria e tétano adulto, meningocócica ACWY, HPV, e dTpa, por exemplo.

Comentários

Últimas notícias