novo coronavírus

Pesquisa aponta relação entre deficiência da vitamina D e mortalidade na covid-19

Pesquisa recente alerta sobre possível ligação da vitamina D com a mortalidade em pacientes da covid-19 em 10 países

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 19/05/2020 às 11:31
Notícia
DIVULGAÇÃO
Suplementação de vitamina D só com recomendação médica - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A relação da vitamina D com o desenvolvimento dos sintomas da covid-19 vem sendo bastante debatido pela comunidade médica em todo o mundo. Estudo recente realizado pela Universidade de Northwestern, publicado na plataforma medRxiv, afirma que a deficiência da vitamina D no organismo pode estar relacionada ao elevado índice de mortalidade da doença. 

Os pesquisadores levaram em consideração o desenvolvimento dos sintomas em pacientes de 10 países: Iran, França, China, Reino Unido, Coreia do Sul, Espanha, Itália, Estados Unidos, Suíça e Alemanha. O estudo menciona a ligação da vitamina com a tempestade de citocina, que configura uma resposta imunológica que pode causar danos e até culminar em morte.

>> Coronavírus: nutricionista destaca alimentos que são fontes de vitamina D

>> Ministério da Saúde alerta sobre suplementação de vitamina D no combate ao coronavírus: "pode gerar danos"

>> Coronavírus: entenda como a vitamina D3 atua na prevenção da covid-19

Apesar da forte relação apontada pelo estudo, o artigo científico ainda está passando por análises e não pode ser considerado um guia no tratamento clínico. O alerta é importante porque a suplementação da vitamina D deve ser indicada por um médico quando há de fato a deficiência no organismo. 

Alerta sobre suplementação

Vadim Backman, biomédico responsável por liderar da pesquisa, explicou. "Apesar de achar importante que as pessoas saibam que a deficiência da vitamina D pode ter relação com a mortalidade, não precisamos pressionar a vitamina para todo mundo", chamou a atenção o especialista, que completou ."O tema precisa ser estudado mais profundamente. Espero que nosso trabalho estimule o interesse nessa área e que os dados iluminem os caminhos para a mortalidade da doença. Se comprovado, pode levar a novos guias terapêuticos", observou.

Vale destacar que uma alimentação equilibrada oferece todos os nutrientes para suprir as necessidades do organismo. A suplementação só é recomendada quando há carência de vitamina D. 

Vitamina D com banho de sol

O ex-secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Denizar Vianna, é especialista no assunto e explicou que é possível ativar o metabolismo da vitamina D por meio de exposição aos raios do sol. O esclarecimento foi feito durante uma das coletivas de imprensa do órgão durante a pandemia.

"Exposição ao raio solar faz parte da ativação do metabolismo da vitamina D. Vamos pegar um paciente idoso que está em condições de confinamento, ele pode ter exposição em um janela, em uma sacada, uma varada. O Brasil tem uma grande exposição aos raios solares. O que é importante dizer é que a vitamina D não é isenta de problemas. A vitamina D, ao contrário de outras vitaminas, como a vitamina C que é hidrossolúvel, ela é eliminada. Se o indivíduo fizer uso de uma quantidade excessiva de vitamina C é eliminada pela urina. Mas isso não acontece com a vitamina D. Não acontece com a vitamina A, D, E e K, que são vitaminas lipossolúveis e podem se acumular no organismo. Então não façam uso indiscriminado de uma vitamina sem a recomendação médica.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias