plano de convivência

Sindicato das academias não concorda com plano de reabertura: "ninguém aguenta mais"

Presidente do Sindicato das Academias de Pernambuco (Sincad-PE), Walter Leite, destacou que o setor promove saúde

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 04/06/2020 às 12:48
Notícia
Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Reabertura das academias ainda não tem data definida - FOTO: Foto: Bernardo Soares/JC Imagem
Leitura:

A reabertura das academias acontecerá na segunda etapa do plano de convivência do governo de Pernambuco e ainda não tem data definida para iniciar. De acordo com o presidente do Sindicato das Academias de Pernambuco (Sindac-PE), Walter Leite, as academias promovem saúde, mas autoridades confundem o serviços com estética e beleza. Ele disse que a categoria não concorda com o prazo estabelecido para a retomada das atividades, que deve acontecer só no final de julho. 

"Achamos que a abertura das academias ficou muito para frente dentro do plano. Estamos na segunda fase e sem data definida. Estão confundindo estética e beleza com o serviço de geração de saúde, que é o que a gente promove. Converso com médicos e eles não entendem por que as academias continuam fechadas", observou o dirigente, que continuou. "Temos um plano de retomada pronto há mais um mês que deixa com que os alunos se sintam mais seguros nas academias do que em transporte público e supermercados. Além da qualidade de vida promovida pelas academias", acrescentou. 

1.282 academias e 11.733 profissionais afetados

O presidente do Sindac-PE lembrou que a paralisação das atividades afetou 1.282 academias em Pernambuco e um total de 11.733 profissionais de educação física, além dos trabalhadores que estão envolvidos com o funcionamento do setor. "Estamos há três meses parados e ninguém aguenta mais. Um setor que além de tudo gera saúde ter sido jogado para o final. Vai ficar por último. Há uma revolta no setor de academias. São 11.377 profissionais, mais a parte agregada. A quantidade de gente que está parada e ninguém está nem aí para isso. É uma coisa que choca. Somos geradores de saúde, não é qualquer coisinha", destacou.

O Sindac-PE, que trabalha em conjunto com a Associação de Academias do Brasil e com o Conselho Regional de Educação Física (Cref-PE), vem tentando se reunir com o governo de Pernambuco para antecipar o início do processo de reabertura.

"Já enviamos vários ofícios para nos reunirmos com as autoridades e reavaliar nossa reabertura. Vamos primeiro abrir 50% da capacidade e só depois vamos abrir com 100%, se tudo acontecer como previso, isso deve ser lá para final de julho. Estamos tentando reunião com o governo para mostrar que não somos esse foco de infecção e para retornarmos antes, o mais breve possível. As academias já está se mexendo internamente. Nós queremos. Nós precisamos, o mercado precisa", concluiu.

Medidas para reabertura

- Limpeza geral das unidades

- Disponibilizar álcool a 70%

- Fechamento de 2 ou 3 vezes por dia para limpeza

- Posicionar kits de limpeza

- Uso obrigatório de máscaras

- Medição de temperatura

- Limite da quantidade de clientes 

- Delimitação do espaço com fitas

- Uso de garrafas de água individuais

- Congelamento dos planos

- Renovação do ar do ambiente 

- Capacitação de colaboradores

 

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias