Televisão

TV Jornal 60 anos: Vigor, tradição e modernidade

Calcada numa história de pioneirismo e sempre com olhos para o futuro, emissora preza por levar conteúdo de qualidade aos pernambucanos

ROBSON GOMES
ROBSON GOMES
Publicado em 22/06/2020 às 9:30
LUISI MARQUES/TV JORNAL
Do jornalismo ao entretenimento, a TV Jornal tem quase 30 horas semanais de programação local - FOTO: LUISI MARQUES/TV JORNAL
Leitura:

A TV Jornal completa 60 anos de existência calcada em uma história de pioneirismo, tradição e modernidade. Desde sua estreia oficial em 18 de junho de 1960, a emissora segue fazendo uma televisão de qualidade para os pernambucanos.

>> TV Jornal amplia horários do 'Bronca 24 Horas' e 'Meio-Dia'

>> Sitcom 'Tá Puxado', com Jeison Wallace e Matheus Ceará, estreia na TV Jornal

>> O apagar da luz de Graça Araújo


Fundada pelo empresário F. Pessôa de Queiroz, a TV Jornal do Commercio foi a primeira do Brasil a ter um prédio construído exclusivamente para abrigar uma emissora de televisão. E nessas seis décadas de vida, o canal situado na Rua do Lima abriu espaço para os talentos locais e nacionais, os valores do Estado na política, economia e cultura, bem como os problemas e necessidades da comunidade. De fato, Pernambuco passou e passa por aqui.

No famoso auditório da TV Jornal, que segue em atividade até hoje, passaram pelo palco grandes nomes da música como Wanderléa, Elis Regina, Luiz Gonzaga e o rei Roberto Carlos; da política, o presidente Juscelino Kubitschek, participação essa que garantiu na época o índice de 92% de audiência. Na dramaturgia, a emissora também colecionou sucessos como a novela A Moça do Sobrado Grande, que teve 135 capítulos e foi ao ar no final da década de 1960, tendo como protagonista a atriz e apresentadora Carmem Peixoto, interpretando o papel de Laura de Castro e Silva.

"A Moça do Sobrado Grande foi a primeira novela a fazer cenas externas. Gravávamos perto da Escola de Aprendizes Marinheiros e na antiga Fábrica da Fosforita. Era uma novela de época, que exigia um guarda-roupa belo, cabelos trabalhados. Chegávamos ao estúdio logo cedo de manhã, e saímos tarde da noite. Mas todos os atores sentiam-se recompensados pelos altos índices de audiência e o carinho do público", relembra Peixoto. Exibida ao vivo, a trama foi escrita por Semíramis Alves e dirigida por Jorge José.

Além do sucesso e inovação nas áreas de variedades e jornalismo, a cobertura esportiva também já fazia sucesso nos anos 1970. Foi nesta época que o radialista Geraldo Freire iniciava a sua carreira como repórter esportivo.

"Eu vivi bons momentos na TV Jornal, no começo dos anos 1970, no início da minha carreira. Nos tempos do sucesso do videotape. Eu era repórter de campo, o narrador era Darci Lago, o comentarista esportivo era Brivaldo Franklin, também humorista, conhecido como Zé do Gato. Eu fazia reportagens de campo, na maioria das vezes, com uma camisa amarela que tinha um '2' bem grande nas costas, com um índio. Além de ter que correr para ficar em cima do lance, quando caía um jogador ou qualquer problema em campo, a camisa tinha a função de acirrar a concorrência, que era muito grande entre o Canal 2, a TV Jornal do Commercio, e o Canal 6, a TV Rádio Clube. Eram tempos bons com os três grandes clubes", relata Geraldo.

Na década seguinte, em 1987, a TV Jornal foi comprada pelo empresário João Carlos Paes Mendonça, junto com os outros veículos do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação. Ganhou cara nova, equipamentos mais modernos, e voltou os olhos ainda mais para a comunidade e cultura do nosso Estado.

"Os primeiros dias da TV Jornal foram marcados pela inovação no entretenimento, com equipamentos modernos, programas ao vivo e que eram realizados em auditório próprio, de forma pioneira no País. Na década de 1980, a TV passou a viver grandes dificuldades. Os equipamentos de ponta tornaram-se obsoletos pela falta de investimentos. A emissora, que já fazia parte de um sistema de comunicação, assim como a rádio e o jornal, perdia potência pela falta de recursos. No final dos anos 1980, ao adquirirmos os veículos, passamos a investir e dotar a televisão de infraestrutura moderna novamente e a apostar na sua relevância para o jornalismo pernambucano. Hoje, é uma das emissoras de maior alcance no Estado, com acompanhamento de problemas das cidades, sempre em defesa da sociedade. Programas jornalísticos pautados por notícias mais relevantes e pelo interesse da coletividade são e continuarão sendo o norte da TV Jornal. Isso sem deixar de lado espaços para o entretenimento com características regionais, diferenciando-se das demais. A TV Jornal fez história e continuará sua missão de estar ao lado dos pernambucanos", declara João Carlos Paes Mendonça.

ANOS 90

Nos anos 1990, o jornalismo volta a ser destaque na emissora com a estreia do TV Jornal Meio-Dia. No início, o telejornal era comandado por Graça Araújo, Rhaldney Santos e também Geraldo Freire, que ficou quase dois anos. A inesquecível Graça ficou à frente do jornalístico por 23 anos, até sua precoce partida. Mas deixou um legado de comprometimento com a comunidade e a seriedade da notícia.

"Minha relação com o Meio-Dia é tão antiga quanto a que eu tenho com a TV Jornal. Já estava há um ano na emissora quando o projeto começou a ser traçado. O objetivo era levar notícia de qualidade com uma linguagem informativa que conseguisse alcançar Dona Maria do morro de Casa Amarela até o morador de Boa Viagem. A prestação de serviço sempre foi um dos principais focos do jornal. Sobre Graça, o papel dela era o de dar voz aos mais necessitados, aos moradores das comunidades, que andam de ônibus e dependem da rede pública de saúde. A indignação dela era a de todos nós. Os questionamentos dela também. Foi uma porta-voz de muitas lutas. E assim seguimos até hoje, nos pautando pela essência desse produto que nasceu para ser uma voz para a população que muitas vezes desconhece o poder que tem", ressalta Luciana Maciel, diretora executiva do Meio-Dia.

Junto ao telejornalismo diário, a TV Jornal também se destaca através de suas coberturas e suas séries de reportagens, que dão luz à assuntos de relevância não só do Estado, mas questões que afetam o Brasil e o mundo. "Com os pés fincados em Pernambuco, procuramos enxergar o mundo. Já mostramos, com nossas reportagens, a falta de médicos em cidades do interior do Estado, o horror do trabalho infantil, as mazelas que impedem que tenhamos a imprescindível educação de qualidade que tanto necessitamos, as enchentes que se repetem ano após ano. Já ultrapassamos as fronteiras do Brasil, registrando os gigantes da economia asiática, por exemplo. Recentemente, em série produzida antes da pandemia e ainda inédita, estivemos na China. Nascemos em Pernambuco e aqui nos mantemos, com uma das equipes mais dedicadas e aguerridas com que já trabalhei - se jornalismo só se faz com mais de um, telejornalismo é ofício absolutamente coletivo. Buscamos, sempre, olhar para além dos nossos limites", destaca a editora executiva Adriana Victor.

NOVOS TEMPOS

Sempre com o cuidado de estar à frente nesses 60 anos, a TV Jornal seguiu evoluindo para os pernambucanos. A prova disso está nos números: a emissora está entre as seis afiliadas do SBT com mais audiência no Brasil. Segundo dados do Kantar Ibope Media, o canal é vice-líder desde 2015. No ano passado, 3,6 milhões de pessoas foram alcançadas pelas ondas da TV, atingindo uma média de 693 mil pessoas por dia.

Além da presença na televisão, a TV Jornal também faz sucesso nas redes sociais. A página da TV Jornal no Facebook tem 706 mil seguidores. Só no mês passado, gerou mais de 303 mil interações, entre curtidas, comentários e compartilhamentos. Ainda em maio, os vídeos publicados na fanpage foram vistos por mais de 9,9 milhões de usuários. No Instagram, o perfil do canal tem 407 mil seguidores e alcançou na visualização de um de seus vídeos mais de 583 mil usuários. Na internet, a página oficial da TV Jornal teve mais de 3,2 milhões de pageviews no último mês de maio, segundo dados do Google Analytics.

Com esta ampla presença on e off-line, a TV Jornal segue fazendo a diferença em sua programação e colecionando bons resultados de audiência e faturamento. O êxito também tem sido encontrado nos recentes investimentos na área do esporte, com um grande destaque aos direitos de exibição da Copa do Nordeste.

"Quem quer entender Pernambuco, seja a história, o presente ou as perspectivas para o nosso Estado, sabe que tudo isso passará pela TV Jornal. A nossa cobertura esportiva tem papel importante no dia a dia da emissora, graças ao sucesso que representa junto à nossa audiência, que se traduz num importante retorno para os nossos anunciantes. A Copa do Nordeste é um grande exemplo dessa dinâmica e nem a pandemia do novo coronavírus interferiu nesse desempenho. Com a suspensão temporária das atividades esportivas, exibimos reprises de várias partidas e os resultados foram expressivos", afirma o diretor executivo Vladimir Melo.

Hoje, a TV Jornal possui nove programas que levam ao público quase 30 horas semanais de programação local. Uma grade forte e consolidada, que tem a cara de Pernambuco. "Sempre trazemos conteúdos que se diferenciam das demais por estar sempre próximo do seu telespectador com assuntos de interesse da população. Nossa missão é levar informação e entretenimento com credibilidade para o nosso povo. E, ao longo desses 60 anos, temos crescido em números e variedades de programas, em coberturas jornalísticas de assuntos que repercutem local e nacionalmente, e também em projetos especiais como a Copa do Nordeste, o Carnaval e os grandes eventos culturais. Tudo isso faz com que a TV Jornal tenha um papel de destaque na televisão de Pernambuco, sem parar de pensar no futuro", aponta Erilson Gouveia, gerente de produção e programação.

Com 60 anos de existência, a TV Jornal chega a esta idade mais que renovada, buscando manter o seu pioneirismo, relevância, e o compromisso de levar Pernambuco através de suas lentes, pela TV ou via internet, por mais décadas à frente. "Completar 60 anos com este vigor, antenada com as novas tecnologias, sendo cada vez mais relevante para Pernambuco, é um privilégio. Mais que isso, é a comprovação de que uma história sedimentada na credibilidade e no compromisso com o bom jornalismo - junto a uma boa programação de esportes e entretenimento - é fundamental para a longevidade de um veículo de comunicação", conclui a diretora de jornalismo Mônica Carvalho. "Nessa pandemia causada pelo coronavírus, tivemos que nos reinventar. Nossas equipes estão na linha de frente e mostram, todos os dias, que somente a informação correta, bem apurada, é capaz de ajudar a sociedade a passar por esse momento tão difícil", conclui Mônica.

ARQUIVO TV JORNAL
REPÓRTER Geraldo Freire no campo - FOTO:ARQUIVO TV JORNAL
LUISI MARQUES/TV JORNAL
EQUIPE TV JORNAL - FOTO:LUISI MARQUES/TV JORNAL

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias