SAÚDE

Com sequelas da covid-19, Miró da Muribeca é transferido para o HGV, na Zona Oeste do Recife

Poeta se encontra estável, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado

Danielle Santana
Danielle Santana
Publicado em 30/11/2020 às 18:07
Notícia

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM @MIRODAMURIBECA
CUIDADOS Medicos investigam sequelas da covid no poeta Miró - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM @MIRODAMURIBECA
Leitura:

Diagnosticado com covid-19 no início do mês, o poeta Miró da Muribeca precisou ser transferido no último sábado (28) para o Hospital Getúlio Vargas, localizado no Cordeiro, na Zona Oeste do Recife. Anteriormente, Miró estava internado no Hospital de Referência à Covid-19 - Unidade Boa Viagem (antigo Alfa). O local é referência no tratamento do novo coronavírus no Recife. 

Com 60 anos, o poeta testou positivo para a doença no início do mês, quando ainda estava internado no IMIP, no bairro dos Coelhos. Miró foi encaminhado para o local por apresentar um comprometimento pulmonar, febre e perda de peso.

De acordo com o médico e amigo, Wilson Freire, Miró apresenta comorbidades importantes. "Tanto sequelas da covid-19 como de problemas anteriores. Ele apresenta um comprometimento pulmonar, urológico e até mesmo ósseo", afirmou. Wilson destaca que o poeta já foi submetido a exames de imagem e deverá ter o diagnóstico fechado em breve. "A próxima etapa é seguir para o tratamento", finaliza.

Durante a pandemia, impossibilitado de vender suas poesias nas ruas do Recife, o poeta teve uma recaída no alcoolismo. Após passar por avaliação médica, foi constatada a necessidade de cuidados especiais. Através da ajuda de amigos e fãs, um cuidador foi contratado para auxiliar na recuperação do poeta. Desde agosto, ele estava sendo acompanhado por profissionais da clínica de reabilitação Raid e havia se reabilitado. 

>> Campanha e live solidária são lançadas para custear tratamento de Miró da Muribeca
>> Campanha #MiróAlive é lançada para judar o poeta Miró da Muribeca

De acordo com o amigo Wellington de Melo, apesar de apresentar melhora em relação ao alcoolismo, Miró ainda apresentava complicações da doença, incluindo dificuldades para recuperar o peso perdido no processo de reabilitação. Como Miró não possui parentes vivos, uma rede de apoio incluindo amigos e fãs foi mobilizada. 



O poeta vinha sendo acompanhado de perto por seus apoiadores até o sábado (28), quando teria sido transferido para o HGV sem comunicação prévia. Wellington se disse surpreso ao ser comunicado por um fã que Miró estava internado no local. Apesar de elogiar o tratamento que está sendo oferecido a Miró, o amigo do poeta destacou que nenhum dos contatos de emergência foi comunicado de maneira prévia sobre a transferência.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que "o paciente João Flávio Cordeiro, o Miró da Muribeca, foi admitido no Hospital Getúlio Vargas com histórico de covid-19 apresentando alterações das condições clínicas que estão sendo investigadas pelas equipes de clínica médica, cirurgia geral e urologia. No momento, segue internado, sendo monitorado pela equipe multiprofissional do serviço para definição diagnóstica e tratamento especializado. Seu quadro é considerado estável".



Sobre a transferência, a SES-PE afirmou que ela aconteceu após o período da doença, que foi diagnosticada no início do mês de setembro, atendendo à necessidade de acompanhamento com profissionais de referência em Clínica Médica, Cirurgia Geral e Urologia. A unidade reforçou que o encaminhamento do poeta ao novo serviço e "todos os procedimentos necessários para tal foi devidamente comunicado à representante registrada em seu prontuário para recebimento de informações".

Íntegra da nota da Secretaria Estadual de Saúde

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informa que paciente João Flávio Cordeiro, o Miró da Muribeca, foi admitido no Hospital Getúlio Vargas (HGV) no último sábado (28/11) com histórico de Covid-19 e apresentando alterações das condições clínicas que estão sendo investigadas pelas equipes de clínica médica, cirurgia geral e urologia. No momento, segue internado, sendo monitorado pela equipe multiprofissional do serviço para definição diagnóstica e tratamento especializado. Seu quadro é considerado estável. O poeta vem recebendo todo o acompanhamento, tendo seu tratamento assegurado na emergência do HGV. A direção do Getúlio Vargas está à disposição dos familiares para o esclarecimento de dúvidas sobre o acompanhamento médico do paciente.

Sobre o Hospital de Referência à Covid-19 - Unidade Boa Viagem (antigo Alfa), é importante destacar que unidade é referência para casos de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). O tratamento de outras doenças, mesmo que associadas, deve ser realizado em outras unidades da rede após finalizado o tratamento da Covid.

Em relação ao período de permanência no Hospital de Referência para Covid-19, a unidade esclarece que o paciente recebeu todo o suporte médico para restabelecimento das condições clínicas e tratamento da Covid. Sua transferência para o HGV - após o período da doença, que foi diagnóstica no início do mês -, foi atendendo à necessidade de acompanhamento com profissionais de referência em Clínica Médica, Cirurgia Geral e Urologia. A unidade reforça, no entanto, que o encaminhamento do poeta ao novo serviço e todos os procedimentos necessários para tal foi devidamente comunicado à representante registrada em seu prontuário para recebimento de informações.

 

Comentários

Últimas notícias