RECUPERAÇÃO

Representante empresarial demonstra otimismo sobre recuperação econômica do ano em Pernambuco

Empresário Avelar Loureiro Filho acredita que, caso medidas sejam implementadas, é possível recuperar a economia em 2020 no Estado

JC
JC
Publicado em 08/06/2020 às 10:41
Notícia
 BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Comércio do centro do Recife na terça-feira, 2 de junho - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

O empresário Avelar Loureiro Filho, representante do movimento Pró-Pernambuco, demonstrou otimismo e afirmou que acredita ser possível recuperar a economia em 2020 no Estado — prejudicada pela pandemia do novo coronavírus — caso medidas como o aumento de subsídio do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) para o Nordeste e a redução da taxa de juros do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que têm anúncios previstos pelo setor para os próximos dias, sejam implementadas ainda no mês de junho. A declaração foi feita em entrevista à Rádio Jornal, na manhã desta segunda-feira (8).

Parte da caderneta de poupança é destinada para o financiamento de imóveis, através do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo, o SBPE. Desta forma, o dinheiro aplicado pelo poupador se transforma, indiretamente, em crédito para o setor imobiliário. Para Avelar, este é o momento da Caixa Econômica Federal reduzir as taxas do SBPE. "Está na hora da Caixa reduzir as taxas no SBPE, que é o grosso da construção civil, porque se ela reduzir um ponto, ela aumenta em 30% a capacidade dos clientes no crédito imobiliário, o que é fundamental. Acreditamos que isso será anunciado nos próximos dias, em um plano de retomada do Governo Federal". Quando questionado se havia possibilidade de recuperação econômica, respondeu: "Eu acredito que sim, se essas medidas forem implementadas ainda no mês de junho".

Lançado em março de 2009 pelo governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o Minha Casa Minha Vida atende, atualmente, famílias com renda de até R$ 9 mil. Os critérios do programa garantem que, quanto menor o orçamento familiar, maior o subsídio concedido pelo governo federal. Para Avelar, o MCMV é o segundo pilar para a recuperação, e "muito importante na cadeia produtiva, responsável pelo sustento do período de crise de 2015 até 2019 e foi o carro chefe que fez com que o setor imobiliário não afundasse de vez".

» Veja as etapas do plano de reabertura do governo do Estado

» Movimento Pró-Pernambuco quer contribuir para a retomada das atividades econômicas

Por meio de videoconferência, em abril, o secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Alfredo Eduardo dos Santos, contou que o novo programa deverá dar tratamento diferenciado às regiões Norte e Nordeste. Sobre isso, Avelar comenta que "já sabemos que o ministério da Economia, quem gere o Minha Casa Minha Vida, já está pensando em um subsídio diferenciado para o Nordeste, em relação ao Sudeste. Acreditamos também que será anunciado nos próximos dias".

Ouça entrevista completa

Retomada econômica em Pernambuco

O movimento Pró-Pernambuco, que reúne 40 entidades empresariais, sindicatos, incluindo a OAB representando a sociedade civil, vem dialogando com o Governo do Estado com o intuito de contribuir para a retomada das atividades econômicas em Pernambuco. Após críticas ao plano inicial de convivência com a covid-19, que prevê a retomada gradual das atividades econômicas em 11 etapas, a gestão ouviu o apelo dos empresários e antecipou algumas datas do cronograma de reabertura.

Entre as principais mudanças estiveram a definição da data de retorno do comércio varejista de Centro, para o dia 15 de junho, para lojas com até 200 metros quadrados. Na primeira versão do plano, não havia uma data específica. Também foi definida a volta, na quarta (10), dos atendimentos em clínicas e consultórios médicos, odontológicos, veterinários, de fisioterapia e de psicologia. Os shoppings centers puderam dar início às vendas com coleta dos produtos nos estacionamentos e com drive thru nesta segunda-feira (8).

Avelar, que se tornou o porta-voz do movimento, informou que há outras reuniões marcadas com a gestão estadual nesta semana para discutir propostas do empresariado para a retomada da economia em Pernambuco. "O que discutimos com o Governo do Estado não é o quando, porque sabemos que a questão sanitária é soberana, a gente discute o como, o que deve vir antes do que" [...] não só sobre a retomada, que estamos vivendo agora, mas o momento da recuperação. Isso nos preocupa, temos sugestões para o Governo e uma agenda esta semana, para levarmos nossas propostas. Temos que participar, ser corresponsáveis".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias