AVIAÇÃO CIVIL

Licitação para obra no aeroporto de Caruaru é vista como início de longo caminho até chegada dos voos comerciais

Governo de Pernambuco publicou no Diário Oficial do Estado processo licitatório para contratação de empresa por até R$ 530 mil

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 14/09/2020 às 20:14
Notícia
YACY RIBEIRO
AULA Protesto pela volta às aulas no início de setembro: setor de serviços encolheu 8,9% no segundo trimestre - FOTO: YACY RIBEIRO
Leitura:

A iniciativa do governo de Pernambuco, publicando o aviso de licitação no valor de R$ 529,7 mil para execução dos serviços de reforma predial do terminal de passageiros e remoção dos obstáculos determinados pelo Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo (PBZPA), em Caruaru, trouxe fôlego para o longo caminho que o aeroporto do município - Oscar Laranjeira - ainda tem pela frente até conseguir tirar do papel o projeto para operar voos comerciais. Interditado em 2018 pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o aeroporto ainda vive uma situação de penúria, com mato avançando sobre a pista, operação restrita à luz do dia e temor, por parte de quem atua no local, até de uma nova interdição após a liberação em 2019.

Com uma nova expectativa de deixar o aeroporto pronto para voos comerciais a partir do próximo ano, a licitação lançada este mês deve caminhar para a assinatura de contrato só em outubro, sendo em seguida iniciada as obras que devem durar mais 60 dias. O projeto é só parte de uma revitalização ainda mais completa que precisa ser feita. Atualmente, o aeródromo de Caruaru está sem balizamento noturno, demanda a aquisição de outros equipamentos, além de uma estação meteorológica.

“A esperança da gente é que as coisas andem. As minhas esperanças nunca vão morrer, agora acreditar nas promessas ainda é complicado. Estamos há mais de 30 anos acompanhando isso e já fui desenganado tantas vezes”, desabafa o diretor do aeroclube de Caruaru, Julio Lino.

Proprietário de aeronave, Lino foi uma das pessoas a encabeçar a iniciativa de empresários numa vaquinha para manutenção e reconstrução de muro no aeroporto. Foram arrecadados R$ 100 mil, mas a demanda do terminal aéreo é muito maior. “Da última vez que foi interditado falamos com prefeitura e governo do Estado. Só acreditaram na situação quando a Anac interditou. Pedimos esmola para fazer limpeza de pista. Agora, a mesma situação. A pista já está cheia de mato e do jeito que vai, capaz de interditar de novo. Conseguimos máquina para fazer limpeza e o governo do Estado não deixou. Só se voa aqui de dia. É muito triste receber ligações de amigos, empresários, querendo conhecer Caruaru, investir, e não poder fazer isso”, reforça o diretor do aeroclube.

As obras a serem iniciadas, segundo a Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos (Seinfra), são estratégicas por integrarem o PBZPA, que garante a segurança das operações aeroportuárias, identificando previamente possíveis obstáculos com potencial de interferir na segurança de voo das aeronaves, e é fundamental para a liberação das operações comerciais.

“Além da reforma do terminal de passageiros, as demais aquisições necessárias para que seja possível a operação comercial no aeroporto estão sendo providenciadas pela pasta, atendendo as normas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)”, diz a Seinfra em nota, destacando que o envio do plano para certificação do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACT).

À espera do poder público também seguem as companhias aéreas. A Azul diz que mantém o interesse em operar em Caruaru, “mantendo conversas com o governo do Estado e as autoridades locais para reavaliar as condições estruturais do aeroporto e prepará-lo para operações comerciais”. A VoePass (antiga Passaredo), que também já teve informações de interesse na operação ventilados, afirma que estuda diversas rotas para expansão das operações regionais, no entanto, “até o momento”, não tem confirmação de voos para o Agreste do Estado.

"A região de Caruaru recebe muitos profissionais e executivos que vêm fazer negócios na cidade, e também muitos empresários locais viajam para diversas localidades do Brasil. Temos sede de empresas grandes na cidade, filiais de empresas nacionais. Caruaru é uma cidade comercial, e um equipamento desse (aeroporto) funcionado adequadamente, dá mais condições para esse trabalho que demanda entrada e saída da cidade", aponta o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Caruaru (Acic), Luverson Pereira. 

Concessão

Paralelo às reformas, o aeroporto de Caruaru também está incluído num estudo para concessão da operação à iniciativa privada. O governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) e da Seinfra recebeu dois estudos técnicos que deverão subsidiar a modelagem de concessão para expansão, exploração e manutenção do aeródromo. No momento, os projetos estão sob a a avaliação da Comissão Especial de Avaliação e Seleção, formada por representantes da Seinfra, Seduh, Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Procuradoria Geral do Estado (PGE) e Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE).

A concessão também abrange os aeródromos de Fernando de Noronha e Serra Talhada. Esse último, conta ainda com R$ 20 milhões de convênio entre os governos do Estado e federal para ações necessárias à reestruturação. A liberação segue, porém, o andamento das obras, atualmente na fase de projeto de engenharia necessário para a contratação. A previsão para entrega do projeto de engenharia é no mês de outubro, precisando ainda da autorização da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) para só depois ser lançado o edital para contratação e início efetivo das obras que poderão abrir caminho para a chegada dos voos comerciais.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) foi questionada sobre o acompanhamento dos terminais e possíveis novas interdições, mas não respondeu à reportagem até o fechamento desta matéria.

 

REPRODUÇÃO/TV JORNAL
AGRESTE Aeroporto Oscar Laranjeira deve passar por novos reparos - FOTO:REPRODUÇÃO/TV JORNAL

Comentários

Últimas notícias