Jogos Olímpicos

Judoca Mayra Aguiar perde de alemã, mas tem chance de bronze em Tóquio; veja o horário

A brasileira ainda tem chance de conquistar uma medalha na madrugada desta quinta-feira

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 29/07/2021 às 2:33
Notícia
AFP
Brasileira não conseguiu passar pela difícil oponente alemã - FOTO: AFP
Leitura:

ESTADÃO CONTEÚDO

Candidata brasileira à medalha no judô, Mayra Aguiar foi derrotada em sua segunda luta nos Jogos Olímpicos de Tóquio, na madrugada desta quinta-feira, pelo horário de Brasília, e não tem mais chances de brigar pelo ouro. Mas, se superar a repescagem, poderá subir ao pódio para buscar o bronze.

A experiente gaúcha, de 29 anos, estreou direto nas oitavas de final por ser uma das cabeças de chave da categoria até 78 kg. Com facilidade, superou a israelense Inbar Lanir por ippon em apenas 40 segundos.

LEIA MAIS

Renato Rezende avança às semis do BMX nos Jogos de Tóquio; Priscilla Carnaval é eliminada

Em jogo disputado, seleção brasileira feminina de handebol perde para Espanha na Olimpíada de Tóquio

Adriano Imperador posta mensagem de apoio para Simone Biles: "Passei por isso e até hoje sou questionado"

Horários Olimpíadas 2020: veja as partidas e disputas desta quinta (29)

"Questão da saúde mental há muito tempo tem sido subestimada", diz psicóloga sobre drama de Simone Biles

Nas quartas, teve pela frente a alemã Anna-Maria Wagner, que vive grande fase no circuito. Ela é a atual número três no ranking mundial, enquanto a brasileira é a 8ª. As duas fizeram duelo muito equilibrado e truncado, decidido apenas no golden score. Mayra levou duas punições por falta de combatividade e a alemã, uma.

As duas exibiam pouca agressividade e quase nenhuma entrada relevante, numa disputa muito estudada. O maior duelo aconteceu nas pegadas. E, numa delas, a alemã foi mais feliz e obteve um waza-ari, o suficiente para encerrar a luta.

Wagner, de 25 anos, é a atual campeã mundial da categoria. Levou o ouro no Mundial de Budapeste, às vésperas da Olimpíada. Neste ano, venceu também os Grand Slams de Tel Aviv e Kazan. Por isso, despontava como grande favorita ao ouro também em Tóquio.

Mayra, por sua vez, vinha de contexto menos favorável. Em novembro, precisou operar o joelho esquerdo para corrigir uma lesão no ligamento cruzado anterior. Ficou nove meses sem competir. Voltou no Mundial de Budapeste, quando foi eliminada ainda nas oitavas de final.

Apesar disso, ela apostava na sua grande experiência para tentar sua primeira final olímpica. Em sua quarta participação nos Jogos, ela vem de duas medalhas de bronze, em Londres-2012 e no Rio-2016, sem nunca alcançar a decisão. Em Tóquio, a bicampeão mundial não atingiu este objetivo.

No entanto, segue na briga por mais um bronze. Para tanto, precisa superar a repescagem. Assim, tem que vencer duas lutas para subir ao pódio. A primeira delas será contra a russa Aleksandra Babintseva.

Se conquistar a medalha, Mayra vão se igualar à jogadora de vôlei Fofão, única mulher brasileira medalhista em três edições diferentes dos Jogos Olímpicos (bronze em Atlanta-1996 e Sydney-2000 e ouro em Pequim-2008).

BRASILEIRO

Também nesta madrugada, Rafael Buzacarini foi eliminado logo em sua estreia na categoria até 100 kg. Em sua segunda Olimpíada, o paulista foi superado pelo belga Toma Nikiforov, 16º do ranking mundial, por waza-ari, a 37 segundos do fim da luta. Atual 17º do mundo, o brasileiro havia alcançado as oitavas de final no Rio-2016.

Comentários

Últimas notícias