Náutico na TV Jornal

No Castelão, Náutico fez grande jogo e venceu Ceará no Nordestão 2019; Veja na TV Jornal

Partida será retransmitida pela TV Jornal neste sábado (30), a partir das 18h, e o torcedor alvirrubro poderá matar um pouco da saudade

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 30/05/2020 às 7:34
Notícia
Foto: Léo Lemos/Náutico
Timbu venceu o Ceará fora de casa por 2x0 com grande atuação coletiva, além da individual de vários jogadores, como o atacante Thiago - FOTO: Foto: Léo Lemos/Náutico
Leitura:

O torcedor do Náutico ganha, neste sábado, a oportunidade de matar um pouco da saudade que tem do time. Isso porque a TV Jornal vai retransmitir, a partir das 18h, a classificação alvirrubra para a semifinal da Copa do Nordeste de 2019, quando derrotou o Ceará em pleno Castelão por 2 a 0. A partida foi a mais marcante do Timbu na competição, com grandes atuações individuais e coletiva. Porém, vários outros fatores também tornaram esta partida memorável. Entre eles, a descrença por parte de muita gente sobre a classificação do Alvirrubro.

“Antes da gente viajar, muita gente comentou que era melhor a gente nem viajar. Quando a gente classificou em quarto e pegaria o Ceará no Castelão, muita gente disse que era melhor não ter classificado para não passar vergonha em Fortaleza. E vencemos o jogo. Foi um confronto de muita imposição, para a gente mostrar realmente o peso a camisa do Náutico. A gente na Série C, o Ceará na Série A, mas a gente se impôs no jogo. Realmente teve uma importância muito grande para o ano inteiro, em inúmeros aspectos. Alguns jogadores se projetaram muito nesse jogo, mas principalmente a força do clube. Deixamos claro que não estávamos para brincadeira e iríamos buscar nossos objetivos ao longo do ano”, destacou o vice-presidente de futebol do Náutico, Diógenes Braga.

Afirmação

Outro fator que faz a campanha ter um peso maior, é o fato de que o Timbu, desde que a Copa do Nordeste voltou, em 2013, jamais tinha avançado para o mata-mata da competição. Mesmo tendo ficado nas semifinais, eliminado pelo Botafogo-PB, a partida contra o Vozão teve um peso diferente. Diante de um time da Primeira Divisão, o Náutico, ainda na Série C, conseguiu sobrepor um teste difícil para se preparar para o que viria mais na frente. Além da moral e experiência que o elenco ganhou com o duelo, fora de campo também foi importante. Não somente pela cota do avanço de fase, mas também para reafirmar a força que o Alvirrubro teve em 2019.

“Esse jogo com o Ceará tem algumas particularidades importantes. Primeiro, foi o jogo que a gente definitivamente apresentou Thiago ao cenário nacional. Ele chamou muita atenção naquele jogo, decidiu o jogo. E mostramos a todos que tínhamos time para buscar os objetivos da gente, principalmente o principal que era voltar à Série B. Ganhar do Ceará dentro da Arena Castelão é um feito para poucos. Até na Série A mesmo é difícil conseguir isso, e a gente fez com um nível de inteligência muito grande. Lembro bem de toda preparação que Márcio Goiano, treinador da época, montou. Esperava o Ceará vir para cima da gente e segurarmos naquele começo, depois equilibrar e impor o jogo, e a gente conseguiu fazer isso”, relembrou Diógenes.

Destaques individuais

A atuação do Náutico, coletivamente, foi uma das melhores do ano. O time esteve coeso, soube se portar quando sofria com a pressão do Ceará, e não se omitia na busca pelo gol. Mas também, individualmente, alguns atletas se sobressaíram. Além de Thiago que, aos 18 anos, chamou a responsabilidade, outros jovens, como Hereda e Camutanga, e experientes, como Jorge Henrique, Diego Silva e Josa, fizeram a sua parte também. Além do goleiro Bruno, que fez uma grande defesa na etapa final e salvou o Timbu.

“Jorge Henrique fez, talvez, o seu melhor jogo pelo Náutico desde que voltou. Foi muito bem. Thiago foi muito bem, decidiu. Hereda foi bem, a dupla de zaga, Diego e Camutanga, foram amarelados no primeiro tempo, jogaram amarelados no segundo tempo e fizeram um grande jogo. E Bruno, na minha opinião, fez a maior defesa do ano no futebol no Brasil. Uma cabeçada no segundo tempo, de Ricardo Bueno se não me engano. Foi uma defesa incrível”, continuou o dirigente alvirrubro.

Marcado até na pele

O capitão Josa, inclusive, foi eleito o melhor jogador daquela partida pela transmissão oficial da Copa do Nordeste no streaming. O troféu é guardado com carinho pelo volante, que carrega aquela atuação não só na mente, mas também na pele. Isso porque ele levou um corte na cabeça e que o rendeu sete pontos, após se chocar com o cabeça de área ex-Náutico, Auremir. A grande atuação defensiva, com desarmes e interceptações, além da raça dentro de campo, faz com que Josa relembre com felicidade da partida, mesmo o Timbu não tendo chegado até a final.

“A gente já sabia que jogar no Castelão contra o Ceará seria complicado. E poucas pessoas acreditavam que a gente passaria para a semifinal. O elenco, comissão, diretoria, acreditávamos, porque tínhamos um elenco forte. Conseguimos passar para semifinal vencendo o Ceará, com um gol contra e outro do Thiago. Foi emocionante. Tive a oportunidade de ser eleito o melhor jogador da partida, onde ganhei o troféu, então foi um jogo bastante difícil. Saí naquele jogo com sete pontos na cabeça após um corte. São recordações boas e ruins, mas que marcam uma partida de futebol. Depois do jogo, foi uma comemoração como se tivéssemos ganhado uma final. Infelizmente não chegamos na final da competição. Mas temos recordações boas”, comentou o capitão alvirrubro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias