IMUNIZAÇÃO

Washington, nos Estados Unidos, oferece maconha para estimular vacinação contra covid-19

As lojas poderão oferecer um baseado grátis para qualquer pessoa com 21 anos ou mais que seja vacinada em suas clínicas habilitadas

AFP
AFP
Publicado em 09/06/2021 às 1:48
Notícia
Pixabay
O uso recreativo da planta foi legalizado no estado norte-americano em 2012 - FOTO: Pixabay
Leitura:

O estado de Washington, nos Estados Unidos, oferece "baseados em troca de vacinas", na mais recente tentativa de levar mais pessoas a se vacinar, à medida que as taxas de imunização contra a covid-19 no país diminuem.

As lojas que vendem maconha neste estado do noroeste, onde o uso recreativo da planta foi legalizado em 2012, poderão oferecer um baseado grátis para qualquer pessoa com 21 anos ou mais que seja vacinada em suas clínicas habilitadas.

A medida segue uma decisão do mês passado, também naquele estado, que autorizou bares e outras empresas a darem uma bebida de graça a adultos que vão se vacinar nas próximas seis semanas.

Até agora, pouco mais da metade dos adultos do estado de Washington (54%) receberam ao menos uma dose da vacina covid-19, de acordo com dados recentes do Departamento de Saúde. No entanto, nas últimas semanas a taxa de vacinação diminuiu em grande parte do país, o que levou à implementação de uma série de propostas para incentivar uma maior participação.

Vários estados, incluindo Califórnia e Ohio, criaram "loterias" de vacinas, oferecendo prêmios em dinheiro ou bolsas de estudos para indivíduos imunizados selecionados aleatoriamente. Outros incentivos incluem ingressos grátis para esportes, passagens aéreas e cupons gratuitos para cervejas, enquanto um dispensário de maconha do Arizona já experimentou dar produtos grátis para quem for imunizado.

A oferta temporária dos "baseados por vacinas" do Estado de Washington, proposta por fornecedores de maconha, com participação opcional para cada comerciante, vai até 12 de julho. O presidente Joe Biden estabeleceu uma meta para que 70% dos adultos sejam vacinados até 4 de julho, o Dia da Independência do país.

De acordo com os dados mais recentes dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, o número atual de vacinados é de 63,7%.

 

 

Últimas notícias