FLEXIBILIZAÇÃO

Após reabrir bares, expectativa é para liberação de feiras no Agreste de Pernambuco em 10 de agosto

As feiras estão suspensas desde março por causa da pandemia do novo coronavírus

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 31/07/2020 às 7:43
DIVULGAÇÃO
Segundo a prefeita de Caruaru, todas as feiras reabrirão na mesma data - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

com informações da Rádio Jornal Caruaru

Com a data de reabertura de bares e restaurantes no Agreste, que estavam com as atividades presenciais suspensas desde março devido a pandemia do novo coronavírus, já determinada para a próxima segunda-feira (3), a expectativa agora é a liberação das Feiras do Polo de Confecção. Segundo anunciou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), há uma grande possibilidade da reabertura acontecer no dia 10 de agosto.

"A possibilidade é que a partir do dia 10, se os números continuarem caindo como estão caindo, haverá, a partir da suspensão do decreto do governo de Pernambuco, há a possibilidade da gente retomar as feiras", afirmou. Segundo a prefeita, todas as feiras reabrirão numa mesma data. 

Raquel Lyra pediu a colaboração da população e dos comerciantes para que a região avance na reabertura dos setores. "A gente pede a colaboração da população para que não aglomerem nas ruas. Nós sabemos da ansiedade, que muita gente tem trabalhado para se sustentar, mas quanto mais a gente obedecer as regras, o protocolo, mais rápido a gente vai poder ter uma retomada segura", disse a gestora.

Apesar da expectativa, ao fazer o anúncio nessa quinta-feira (30) do avanço da região Agreste da etapa 4 para a etapa 6 no Plano de Convivência com a covid-19, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, não especificou nenhuma data para a reabertura do Polo.

"O plano vai seguir retomando nossa economia de forma gradual, com responsabilidade, fazendo ajustes quando necessário para que o planejamento siga no caminho certo", destacou.

Na avaliação do presidente da Associação dos Sulanqueiros de Caruaru, Pedro Moura, caso a reabertura aconteça no dia 10 de agosto, não haverá tanta movimentação durante as primeiras semanas. "A partir de outubro é que começa uma maior movimentação. Outubro, novembro e dezembro são os meses mais movimentados. Agosto já é um mês esperado para ser mais calmo", afirmou. Segundo Pedro, a reabertura de todas as feiras do Polo de Confecções do Agreste acontecer ao mesmo tempo é necessária para uma melhor avaliação. 

Pedro ainda disse que, com a reabertura, haverá uma campanha de conscientização das pessoas para que não haja um retrocesso na flexibilização. "Quando a data de reabertura for oficialmente divulgada, nós vamos fazer uma campanha de conscientização para que os feirantes possam cumprir rigorosamente o protocolo", comentou. 

As feiras do Polo de Confecções possuem um protocolo próprio para reabertura. Entre as medidas de prevenção determinadas para a Feira de Caruaru, está a aferição obrigatória de temperatura e proibição de embarque de pessoas com temperatura acima de 37,5°C, uso obrigatório de máscara, exibição de cartazes com as orientações de saúde, e implantação de barreiras nos principais acessos. Veja no final da reportagem o protocolo completo. 

Já o protocolo para o Moda Center, em Santa Cruz do Capibaribe, está sob análise do governo de Pernambuco. Segundo o gerente administrativo do local, George Pinto, a resposta da gestão estadual sobre o protocolo deve ser divulgada nesta sexta-feira (31).

Para George, o Polo de Confecções já deveria estar aberto para evitar aglomerações nas ruas. "A reabertura está muito atrasada. Se não tivesse havendo nenhuma movimentação no Polo de Confecções a situação seria outra. Mas o que a gente vê é uma feira intensa em Caruaru, aos domingos em Toritama, e na segunda-feira em Caruaru e Santa Cruz é uma feira livre. Nessa feira livre não se tem os devidos cuidados de distanciamento social, de cobrança do uso de máscaras, de uso de álcool em gel. Então, é muito mais provável que haja uma contaminação num ambiente daquele do que numa contaminação num ambiente seguro", destacou. 

Mesmo sem autorização para funcionarem, a Feira da Sulanca e o Moda Center vêm registrando tumulto e aglomerações. Na última segunda-feira (27), havia uma intensa movimentação de pessoas na região. Segundo informações da TV Jornal Interior, por volta das 8h o trajeto que vai da entrada de Santa Cruz do Capibaribe até o Moda Center, que normalmente é feito em 10 minutos, estava sendo percorrido em 1h por causa do congestionamento.

Já em Caruaru, a movimentação foi registrada Parque 18 de Maio e nas ruas adjacentes. Comerciantes abriram barracas no local, e alguns sulanqueiros vendiam a mercadoria exposta nos veículos. Segundo o secretário de Serviços Públicos do município, Ytalo Farias, disse que a gestão tem atuado para evitar esse tipo de ação, mas o desafio é grande devido ao trabalhadores migrarem para áreas do entorno.

"Temos atuado em operações envolvendo a PM, a Guarda Municipal e os fiscais da feira para interromper o fluxo de pessoas na Feira da Sulanca. Somente neste fim de semana, fechamos 16 ruas. O que ocorre é que montamos um perímetro de bloqueios e os comerciantes atuam no entorno delas", explicou.

Protocolo para reabertura da Feira da Sulanca

Excursionistas
- Aferição obrigatória de temperatura e proibição de embarque de pessoas com temperatura acima de 37,5°C;
- Em viagem de mais de 4h de duração, a aferição deve ser feita a cada 2h;
- Uso de máscara por todos os passageiros e funcionários da empresa;
- Instalar e manter abastecidos, no interior do veículos, dispensador de álcool em gel ou lavatório para higienização das mãos;
- Higienizar o interior e o exterior do veículo;
- Lotação máxima recomendada de 50% da capacidade;
- Comunicar aos passageiros sobre recomendações e riscos do descumprimento das normas;
- Apresentação de guia de transporte dos passageiros com registro da temperatura;
- Monitorar a saúde dos funcionários dos excursionistas.

Lojistas, permissionários e estabelecimentos privados
- Uso obrigatório de máscara;
- Proibição de expositores em áreas externas, não sendo permitido nenhum obstáculo fora dos limites do banco;
- Exibição de cartazes com as orientações de saúde;
- Higienização dos balcões e área interna dos bancos, antes, durante e depois da feira;
- Instalar e manter abastecido dispensador de álcool em geral ou recipiente para higienização das mãos;
- Monitorar saúde das pessoas.

Clientes e consumidores
- Uso obrigatório de máscaras;
- Evitar aglomerações e contatos físicos;
- Higienizar as mãos sempre que possível;
- Ao apresentar sintomas, ficar em casa.

Prefeitura de Caruaru
- Implantar barreiras sanitárias nos principais acessos;
- Instalar estações de higienização em locais estratégicos;
- Realização de ações de sanitização, antes e depois da feira;
- Fiscalização com agentes de vigilância sanitária e fiscais das feiras;
- Reforço na higienização dos banheiros com produtos sanitizantes.

Comentários

Últimas notícias