FLEXIBILIZAÇÃO

Músicos autorizados a realizar apresentações em bares e restaurantes de Pernambuco

A volta dessas atividades está autorizada desde a última segunda-feira (10)

Rute Arruda
Rute Arruda
Publicado em 13/08/2020 às 16:12
Notícia
YACY RIBEIRO
Apesar da liberação, ainda é necessário respeitar algumas determinações como o limite de 60 decibéis e os clientes dos estabelecimentos não podem ficar em pé - FOTO: YACY RIBEIRO
Leitura:

As apresentações musicais nos bares, restaurantes e lanchonetes em Pernambuco estão liberadas desde a última segunda-feira (10). Na Região Metropolitana do Recife e zonas da Mata Norte e Sul, os artistas podem se apresentar até as 22h, horário de fechamento desses estabelecimentos. Já no Agreste e Sertão, o horário permitido é até as 20h. A liberação das apresentações, publicada em Diário Oficial na última sexta-feira (7), foi motivo de comemoração entre músicos e donos de restaurantes.

O personal trainer Milton Nóbrega, 43 anos, também conhecido como Mr. Elvis, trabalha fazendo cover do cantor Elvis Presley há quase oito anos e, aos domingos, se apresentava em um restaurante no Recife Antigo, área central da capital pernambucana. Para ele, a autorização para as apresentações foi um alívio. "Foi um período muito difícil não só para o músico, mas para todos aqueles que fazem a música. Porque não é só o artista no palco, outras pessoas também estão envolvidas. Só não foi mais difícil para mim, porque eu sou uma pessoa extremamente organizada financeiramente, e o ano passado foi muito forte. Então eu consegui viver dessa reserva e também das aulas de educação física online", relatou.

O primeiro show presencial após quase cinco meses parado acontecerá no próximo domingo (16). "Eu acredito que o retorno não vai ser fácil porque o músico em Recife já não era muito bem remunerado. Então, eu acho que a volta vai ser muito difícil, mas como todo trabalho, não só a música, a coisa caiu um pouco", comentou.

Segundo a secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Maíra Fischer, apesar da liberação, ainda é necessário respeitar algumas determinações como o limite de 60 decibéis e os clientes dos estabelecimentos não podem ficar em pé. Em relação às outras medidas, como o distanciamento de 1,5 metro entre as mesas e o limite de dez pessoas por mesa, elas permanecem. A fiscalização do cumprimento do limite de decibéis está a cargo do poder municipal. No Recife, a responsável é a Secretaria de Meio Ambiente.

Para a secretária-executiva, apesar da flexibilização, o momento ainda é delicado. "Nosso pedido é que os clientes, estabelecimentos e músicos sigam as regras, continuem com o uso da máscara, é importante colaborar seguindo todos os protocolos daqueles estabelecimentos e tendo a consciência de que nós estamos com números altos do coronavírus. A situação está melhor, claro, mas os números ainda não estão baixo. Então a gente precisa, nesse momento, ir retomando nossas atividades, ir retomando essas situações de convívio social, mas ainda de uma maneira diferente. Então, ainda não é hora de fazer grandes confraternizações", disse.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Pernambuco (Abrasel-PE), André Araújo, a autorização do governo vai atrair os clientes aos estabelecimentos. "A música é parte integrante dos bares e restaurantes. A música ao vivo e o trabalho dos músicos, mesmo sendo voz e violão, além de promover o emprego dessa classe que ficou muito prejudicada, nós temos essa tradição de músicos em Pernambuco", comentou. Segundo André, o retorno financeiro nos primeiros dias de reabertura dos bares e restaurantes ficou em torno dos 15%. 

Comentários

Últimas notícias