FLEXIBILIZAÇÃO

Horário de funcionamento dos shoppings e restaurantes é ampliado no Grande Recife

A partir desta segunda-feira (10), estabelecimentos localizados na Região Metropolitana do Recife e Zona da Mata poderão funcionar em novo horário

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 06/08/2020 às 17:42
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
CONTROLE Ampliação do horário não muda a exigência dos protocolos para os funcionários e os clientes - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

A partir desta segunda-feira (10), os shoppings, centros comerciais e serviços de alimentação, a exemplo de restaurantes e lanchonetes, passam a poder funcionar até as 22h. Seguindo o Plano de Convivência das Atividades Econômicas do governo de Pernambuco, a ampliação do horário de funcionamento é válida para os estabelecimentos localizados na Região Metropolitana do Recife e Zonas da Mata Norte e Sul. Antes, o funcionamento estava restrito até as 20h. 

>> Brasil registra 1.237 mortes por covid-19 em 24 horas; total é de 98.493

>> Pernambuco registra mais 1.075 casos de coronavírus e 70 óbitos

>> Veja o calendário da retomada das aulas presenciais para cursos livres em Pernambuco

>> Competições de esportes individuais serão liberadas em Pernambuco a partir do 10 de agosto

>> Araripina e Ouricuri, no Sertão de Pernambuco, preparadas para lockdown de dez dias

No último dia 27 de julho, o governo do Estado já havia ampliado a possibilidade de atendimento no comércio, assim como o horário de funcionamento dos shopping centers. Até agora, estava permitido o funcionamento dos centros de compras e malls das 10h às 20h. Com o novo avanço, o horário para fechamento se estende até as 22h. 

"Estamos conseguindo implantar a volta das atividades econômicas com muita responsabilidade. Acompanhando reflexos que essa retomada tem trazido. Nosso esforço tem sido fazer isso de forma gradual, mas efetiva. Temos conseguido avançar, mesmo sendo necessário eventualmente algumas ações mais restritivas em alguns municípios", avaliou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach.  

Na avaliação do presidente da Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), Paulo Carneiro, o movimento nos shoppings vem crescendo dia a dia, com um bom reflexo sobre o volume de vendas, mas permanece o rígido controle no acesso e permanência das pessoas, seguindo os protocolos que proporcionam segurança. "Com um fluxo maior, mas sem aglomerações, existe uma necessidade de melhor distribuição do público neste momento em que é preciso manter cuidados, mas os números apresentados pelo governo mostram a redução sustentada de casos da Covid-19, o que traz mais confiança para a população e para as classes produtivas. Os shoppings e os seus lojistas estão preparados para o aumento da demanda, mantendo vários canais de vendas e buscando voltar aos patamares anteriores à pandemia, mas priorizando as práticas seguras", diz em nota.

Seguindo a avaliação da retomada das atividades econômicas em relação à curva epidemiológica do novo coronavírus no Estado, o comitê que avalia o avanço do plano de convivência também atendeu o pleito de empresários do setor de bares e restaurantes. Para esse segmento, também a partir da segunda-feira (10), passa a ser permitido o encerramento das atividades às 22h em toda a Região Metropolitana e Zona da Mata. 

"O horário até 20h da noite para bares noturnos e restaurantes era muito difícil. A partir de agora teremos como aferir como está sendo realmente a volta do movimento, já que há um peso muito grande no setor desse tipo de estabelecimento. Acredito que se não chegamos aos 50% da movimentação normal, já devemos estar próximos de alcançar isso", avalia o presidente da Abrasel-PE, André Araújo. 

Segundo ele, o pleito inicial da categoria era para que o governo estendesse o horário de funcionamento até a 0h. "Ainda não é o ideal, por conta desse momento de adaptação também. Não é só questão de funcionamento da atividade em si, mas das pessoas sentirem segurança também. Isso vem aumentando a cada dia. Nosso pleito era de que o horário fosse até 0h, mas ganhamos duas horas importantes e acreditamos que isso é efeito da adoção dos protocolos. Agora esperamos poder avançar mais rápido para atingir o que demandávamos como horário", detalha.

Avanço segmentado no Estado

Com a ampliação do horário de funcionamento para serviços de alimentação e shoppings e centros comerciais, o Grande Recife e Zona da Mata (macrorregião 1) se encontram na etapa 7 dentro do escalonamento de flexibilização que compreende 11 etapas. 

As demais regiões do Estado, no entanto, seguem em ritmos diferentes de liberação. No caso da macrorregião 2 (que compreende o Agreste do Estado), a determinação é pela continuidade dos municípios da região na etapa 6 do plano. No entanto, também a partir da próxima segunda-feira, será liberado o funcionamento das feiras do polo de confecções do Agreste. No município de Toritama, a feira pode voltar a funcionar no domingo, dia 09. 

"O governo irá publicar um novo decreto permitindo o funcionamento das feiras. A regulamentação deverá ser feita pelas prefeituras, conforme já foi acordado com os prefeitos. Estamos dando oportunidade para volta de atividades numa região tão importante para o Estado, mas com uma volta gradual e efetiva", reforçou Bruno Schwambach.

A Macrorregião 3, que tem como municípios centrais Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada se insere na 6ª etapa do plano de convivência, com liberação dos serviços de alimentação (com 50% da capacidade) e academias de ginástica, das 6h às 20h.

No caso da macrorregião 4, as gerências 7 e 8, que envolvem os municípios de Salgueiro e Petrolina avançam para etapa 5, com a volta das atividades em escritório (50% da capacidade) e 100% da capacidade do comércio de veículos e locadoras. Os demais municípios seguem na etapa 4, exceto por Araripina e Ouricuri, que entram na quarentena rígida (lockdown) nesta sexta-feira (7). 

 

 

Comentários

Últimas notícias