CRIME

Polícia mira suspeitos de tráfico de droga e homicídios em operações em Pernambuco

Todas as ações têm atuação no município de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, com exceção da Impacto X, que acontece no Recife e na Região Metropolitana

JC
JC
Publicado em 16/10/2020 às 7:26
Notícia

DIVULGAÇÃO
Ao todo, são cumpridos 19 mandados de prisão e 17 mandados de busca e apreensão domiciliar. - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco realiza, na manhã desta quarta-feira (16), quatro operações táticas denominadas Impacto X, Grilhões, Andrós e Melaço. Todas têm o objetivo de prender suspeitos de envolvimento em tráfico de drogas e homicídios; duas também com foco em roubo e três em posse ou porte ilegal de armas. Todas têm atuação no município de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, com exceção da Impacto X, que acontece no Recife e na Região Metropolitana. Ao todo, são cumpridos 19 mandados de prisão e 17 mandados de busca e apreensão domiciliar.

Os detalhes das operações serão divulgados pela Assessoria de Comunicação da Polícia Civil, em momento não especificado.

Confira detalhes sobre cada uma das operações

Impacto X

A Impacto X está sendo realizada no âmbito da Diretoria Integrada Metropolitana (DIM), atuando no Recife e na Região Metropolitana com o objetivo de cumprir três mandados de prisão, sete mandados de busca e apressão e também realizar prisões em flagrante. A operação tem foco na repressão ao tráfico de drogas, homicídios, roubos e porte ilegal de armas de fogo.

Atuam diretamente dez Delegados Seccionais da DIM e suas equipes das Delegacias Circunscricionais sob coordenação da Diretoria Integrada Metropolitana, e trabalham 202 policiais civis, entre delegados, agentes  e escrivães.

Grilhões

São cumpridos quatro mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar, todos expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Vitória de Santo Antão, na Grilhões, 57ª Operação de Repressão Qualificada do ano, vinculada à Diretoria Integrada do interior I (DINTER I). A ação é presidida pelo Delegado Marcos Maggi, Titular da Delegacia de Polícia 69ª Circunscrição (69ª CIRC), integrante da 12ª Delegacia Seccional de Polícia, de Vitória de Santo Antão.

A investigação foi iniciada em agosto de 2019, com o objetivo de identificar e desarticular integrantes de Organização Criminosa voltada à prática dos crimes de homicídio, tráfico de drogas, posse e porte de arma. Na execução, trabalham 34 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL).

Andrós

A Polícia também desencadeou a 56ª Operação de Repressão Qualificada do ano, denominada "Andrós", vinculada à Diretoria Integrada do interior I (DINTER I), sob a presidência do Delegado Marcos Maggi, Titular da Delegacia de Polícia 69ª Circunscrição, integrante da 12ª Delegacia Seccional de Polícia, de Vitória de Santo Antão. Na execução, estão sendo empregados 46 (quarenta e seis) Policiais Civis, entre delegados, agentes e escrivães.

Na Andrós, são cumpridos oito mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Vitória de Santo Antão. A investigação foi iniciada em agosto de 2019, assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL), com o objetivo de identificar e desarticular integrantes de organização criminosa voltada à prática dos seguintes crimes: homicídio, tráfico de drogas e porte de arma.

Melaço

Por fim, a Melaço cumpre quatro mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão domiciliar expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Vitória de Santo Antão. A investigação foi iniciada em agosto de 2019, com o objetivo de identificar e desarticular integrantes de Organização Criminosa voltada à prática dos crimes de homicídio, tráfico de drogas e roubo.

55ª Operação de Repressão Qualificada do ano, Melaço também é vinculada à Diretoria Integrada do interior I (DINTER I), sob a presidência do Delegado Marcos Maggi. Na execução, trabalham 20 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias