DICAS

Carro no alagamento, raios, perda de placa e outros transtornos em dias de chuva: saiba o que fazer nessas situações

O JC trouxe uma série de orientações para mitigar os problemas ou ajudar os leitores a solucioná-los

JC
JC
Publicado em 13/05/2021 às 10:43
Notícia
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Chuva forte no bairro de Afogados, no Recife - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Basta caírem as primeiras gotas de chuva que as cidades do Grande Recife veem os problemas aparecerem. Quando a precipitação se intensifica, então, como acontece nesta quinta-feira (13), são registrados pontos de alagamentos e muito trânsito em diversas regiões. Pensando nisso, o JC trouxe uma série de orientações para mitigar os problemas ou ajudar os leitores a solucioná-los.

Ocorrências em áreas de risco

Em entrevista à Rádio Jornal, o secretário-executivo da Defesa Civil do Recife (Sedec), Cássio Sinomar, orientou que a população da capital pernambucana evite sair de casa enquanto durarem as fortes chuvas que caem nesta quinta-feira (13). Já para quem mora em áreas de risco, o direcionamento é procurar um local seguro e acionar o órgão pelo telefone 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento 24h.

"A gente pede que, quem puder, espere em casa, porque é muita chuva. Neste momento está torrencial, caindo cerca de 10 a 15 mm em meia hora, então é importante que as pessoas fiquem em casa. As que estão em áreas vulneráveis, como em morros, a orientação já é diferente: procure um local seguro, vá para a casa de um parente ou de um amigo, entre em contato com a Defesa Civil para que a gente vá lá e vistorie”, disse.

A Defesa Civil assegurou monitorar toda a área de risco e que está sempre de prontidão para atender aos chamados. A pasta ainda disse que, sempre que necessário, os técnicos retornam aos locais para fazer o acompanhamento da situação. No caso de risco muito alto (Risco 4), é necessário remover a família para outro local.

Dirigir em alagamento

Primeiro é preciso entender que os carros atuais, de uma maneira geral, enfrentam melhor as chuvas que os antigos modelos, que eram dotados de sistemas elétricos mais vulneráveis. Antigamente, molhar o distribuidor do motor era o temor de qualquer motorista. Hoje, em tempos de eletrônica, o risco é outro.

“O grande problema de quem precisa enfrentar um dia de chuva é o excesso de confiança”, diz o consultor automotivo Alexandre Costa, da Alpha Consultoria. O especialista lembra que a chuva intensa pode trazer problemas mecânicos sérios, sem falar no risco para a segurança de quem dirige e dos ocupantes do automóvel. Assim, se não for possível deixar o carro em casa nos dias de toró ou se for pego de surpresa em uma enxurrada, o melhor a fazer é observar bem a situação antes de enfrentá-la.

Alexandre Costa diz que o limite seguro para encarar a travessia de uma rua cheia de água é usar como referência a metade da roda do carro. “O nível da água não pode ultrapassar esse limite. Acima disso é correr risco”, afirma o consultor. Mas, se for impossível escapar de um volume de água maior? O segredo então é se esforçar para que o motor do carro não morra no meio da travessia.

Para isso, os especialistas recomendam engatar a 1ª ou 2ª marchas (inclusive nos carros automáticos) e manter a aceleração constante. Deve-se evitar a desaceleração ou a troca de marchas durante a travessia para que a água não entre pelo escapamento e faça o motor falhar. E, se o motor morrer, é bom não tentar ligar o veículo. Alexandre Costa diz que tentar fazer o motor pegar pode sugar ainda mais água para dentro do escape, o que torna a partida ainda mais difícil. O jeito é empurrar o carro para fora da área de alagamento e só então acionar o motor.

Dicas:

  1. Observar bem a situação antes de enfrentá-la;
  2. Usar a roda do carro como referência; o nível da água não pode ultrapassar a metade da roda;
  3. Engatar 1ª marcha e não deixar o motor morrer, mantendo aceleração constante evitando troca de marchas;
  4. Se mesmo assim o motor morrer, não tentar ligar o veículo novamente;
  5. Empurrar o carro para fora da área de alagamento para, então, acionar o motor;

O que fazer caso perca a placa do veículo

O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE), por meio da Diretoria de Atendimento, alerta os condutores que perderam placa de veículo em meio aos alagamentos provocados pela chuva que devem tomar providências o mais rápido possível.

Em primeiro lugar, quem perdeu a placa na chuva deve ir até um ponto de atendimento do Detran mais perto de casa. Pode ser na sede, na Iputinga, nas lojas de atendimento dos shoppings centers e nas Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans). Lá, o motorista deve solicitar a ordem de emplacamento. De posse da ordem, é só ir até uma das lojas de placas credenciadas para providenciar o emplacamento.

Para fazer a solicitação de nova placa dianteira, não é necessário realizar vistoria prévia. Já no caso da placa traseira, só é possível obter a ordem de emplacamento após realização de inspeção veicular, ou seja, vistoria. Lembrando que o serviço está sendo disponibilizado sem agendamento, por um período de 10 dias úteis.

No caso dos veículos que ainda estejam com placa cinza, será necessária vistoria, além de colocar o par de placas modelo Mercosul. Já os veículos que têm placa Mercosul e que perderam a placa traseira, deveram fazer vistoria, além da ordem de emplacamento.

Valores

  • Ordem de Placa – R$ 36,68
  • Vistoria para veículos com até 9 lugares – R$ 53,53
  • Vistoria para veículos com mais de 9 lugares – R$ 65,84

Proteção contra raios

Segundo cartilha do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 80% dos casos de mortes por raios podem ser evitados se as pessoas souberem como se proteger. 

O que NÃO fazer durante uma tempestade:

  • Praticar atividades de agropecuária ao ar livre, circunstância que mais mata pessoas no Brasil
  • Ficar próximo a carros, tratores, andando em motos, bicicletas e ao lado de transportes em geral
  • Ficar em campo aberto, como em praias, campos de futebol ou embaixo de árvores e perto de cercas
  • Ficar perto de objetos que conduzem eletricidade (como telefone com fio, ou celular conectado ao carregador) e objetos metálicos grandes
  • Ficar em um abrigo aberto, como uma sacada, varanda, toldo, deque, etc

Opção segura de abrigo:

  • Busque um veículo fechado como abrigo e fique dentro dele com as portas e janelas fechadas, sem encostar-se à lataria e até a tempestade passar

Comentários

Últimas notícias