ALÍVIO

Prisão de suspeito de matar eletricista reforça sentimento de segurança para os profissionais, diz Celpe

O crime foi cometido em 29 de setembro do ano passado em um haras em Limoeiro, no Agreste do Estado

Katarina Moraes Douglas Hacknen
Cadastrado por
Katarina Moraes
Douglas Hacknen
Publicado em 15/07/2021 às 10:49 | Atualizado em 15/07/2021 às 10:52
CORTESIA
A vítima, José Reginaldo de Santana Júnior, de 31 anos, foi ao local realizar o corte de energia por inadimplência - FOTO: CORTESIA
Leitura:

Após a prisão nessa quarta-feira (14) do suspeito de ter assassinado um funcionário da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) em um haras de Limoeiro, no Agreste do Estado, a empresa divulgou nota parabenizando o trabalho das autoridades policiais. "Representa não apenas o fim da impunidade, mas reforça um sentimento de segurança para os profissionais da companhia", disse, por nota. 

O crime foi cometido em 29 de setembro do ano passado, dia em que a vítima, José Reginaldo de Santana Júnior, de 31 anos, foi ao local realizar o corte de energia por inadimplência.

A prisão ocorreu em uma ação conjunta da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) com a Polícia Civil do Maranhão. O homem apreendido tem 45 anos e seria proprietário do Haras. No dia do crime, ele teria atirado em José e apontado a arma para outro colaborador, exigindo que ele religasse a energia, e fugido em seguida.

"A Celpe que, por meio do Disque-Denúncia, estava oferecendo recompensa de R$ 100 mil por informações que levasse ao suspeito, reconhece o empenho das autoridades de segurança pública do Estado", afirmou a companhia.

“Os crimes cometidos contra dois trabalhadores no legítimo dever de suas atividades não poderiam ficar impunes. As prisões reforçam o sentimento de justiça e a confiança no trabalho das autoridades policiais. A elucidação dos casos tranquiliza nossos colaboradores. Esperamos, agora, que o acusado seja devidamente julgado e condenado por um crime injustificável que provocou consternação e indignação em toda a sociedade”, comentou o presidente da Celpe, Saulo Cabral.

Comentários

Últimas notícias