DIGNIDADE MENSTRUAL

UFRPE lança auxílio higiene menstrual para estudantes de baixa renda

O programa ofertará R$ 110 reais por semestre para que universitárias e universitários que menstruam possam fazer a compra de itens para a contenção do fluxo

Julianna Valença
Julianna Valença
Publicado em 01/10/2021 às 9:51
PIXABAY
Bolsonaro veta distribuição de absorventes a mulheres de baixa renda - FOTO: PIXABAY
Leitura:

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), por meio da Pró-Reitoria de Gestão Estudantil (PROGESTI), lança o programa de auxílio de higiene menstrual para estudantes de baixa renda. Estima-se que cerca de 1.200 alunas e alunos que menstruam sejam assistidos pelo benefício. A ação é motivada pelas medidas municipais de promoção da dignidade menstrual que vêm se desenvolvendo no estado de Pernambuco.

>> Pobreza Menstrual: um problema de saúde pública que perpassa pela falta de dignidade à condição de existir sendo uma mulher

O auxílio foi pensado pela instituição junto aos próprios estudantes, em uma reunião que aconteceu na última quarta-feira (29). A pobreza menstrual é um dos agravantes da exclusão educacional. A ONU estima que uma a cada dez meninas já faltaram à escola durante a menstruação. E no Brasil, este índice é ainda mais grave: uma a cada quatro já deixaram de ir ao colégio por não ter absorventes.

“Considerando o perfil socioeconômico dos alunos da UFRPE, em recente pesquisa realizada pela PROGESTI, temos um recorte social de que cerca de 86% dos alunos matriculados da universidade têm renda per capita de até um salário mínimo e meio”, explica o professor Severino Mendes, pró-reitor da PROGESTI.

Segundo o professor, o programa ofertará R$ 110 reais por semestre para que universitárias e universitários que menstruam possam fazer a compra de itens para a contenção do fluxo. “O recurso financeiro é para a compra de absorventes, coletores ou qualquer outro método que garanta a higiene de quem menstrua para que realize seu curso com mais conforto, sem faltas às aulas”, informa.

O benefício é um dos primeiros criados por uma universidade no país e, segundo a UFRPE, se trata de uma política afirmativa de gênero. A proposta do programa segue nesta sexta-feira (1º) para aprovação no Conselho Universitário e o benefício deve ser disponibilizado aos estudantes a partir do mês de novembro.

Comentários

Últimas notícias