URBANISMO

Recife abre licitação para melhorias na orla de Boa Viagem. Veja as obras que serão realizadas

Requalificação nas orlas do Pina, Boa Viagem e de Brasília Teimosa custarão R$ 3,1 milhões aos cofres municipais

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 26/04/2022 às 13:16 | Atualizado em 26/04/2022 às 14:16
Alexandre Aroeira/JC IMAGEM
Os projetos para a orla do Recife devem ser entregues em até 12 meses após a conclusão da licitação - FOTO: Alexandre Aroeira/JC IMAGEM
Leitura:

A realidade de esquecimento em que se encontram há anos as orlas da capital pernambucana, deve, enfim, mudar. Nessa segunda-feira (25), a Prefeitura do Recife publicou, no Diário Oficial, o edital para contratação de projetos básico e executivo para requalificar as orlas do Pina, Boa Viagem e de Brasília Teimosa, na Zona Sul, por R$ 3,1 milhões.

Os projetos devem ser entregues em até 12 meses após a conclusão da licitação, que deve levar em torno de 90 dias, sob coordenação do Gabinete de Projetos Especiais da Prefeitura do Recife.

Segundo a gestão, serão feitos estudos técnicos de toda a orla; projetos de arquitetura e urbanismo, contemplando acessibilidade; paisagismo; sinalização horizontal e vertical de trânsito e orientação; drenagem de águas da chuva, impermeabilização, entre outros itens.

 

Entre os serviços, estão inclusos a melhoria das instalações dos banheiros, bem como do calçadão, e a instalação de chuveiros e lixeiras, por exemplo.

“A orla do Recife precisa e merece esse cuidado. Estamos falando de uma extensão de 9,5 quilômetros, de um dos cartões postais da capital, destino turístico e de lazer procurado por moradores e visitantes vindos de todas as partes. A gestão está empenhada e comprometida em promover mudanças que confiram ao Recife qualidade urbanística para todos e todas”, explica Cinthia Melo, chefe do Gabinete de Projetos Especiais.

Promessa também para quiosques e quadras

Cartão-postal da cidade, a orla tem recebido especial atenção da gestão atual após intensa reivindicação. No início de março, foram iniciadas as obras de requalificação dos 60 quiosques, com o investimento de cerca de R$ 8,6 milhões. O plano prevê a intervenção em dez etapas, que devem ser concluídas em um ano, com obras acontecendo simultaneamente em seis quiosques por vez.

Os quiosqueiros já pediam por melhorias há pelo menos três anos. Em junho de 2020, onze anos depois da última reforma, a PCR assinou um acordo que permitia à Associação dos Barraqueiros de Coco do Recife (ABCR) elaborar o projeto e a forma de captação de recursos - que deveria ser feita, até então, em parceria com a iniciativa privada. Ele foi aprovado em dezembro, e o prazo para que o patrocínio com empresas fosse firmado era outubro de 2021 - o que não aconteceu. Entretanto, como nenhuma tratativa foi feita até então, a prefeitura encerrou o termo de cooperação e, em reunião com a ABCR, assumiu a execução da obra.

Também em março, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) licitou a reforma de três campos de futebol, uma quadra de basquete, duas quadras de voleibol e quatro quadras poliesportivas da orla de Boa Viagem. Os serviços, estimados em R$ 1,4 milhão, contemplarão implantação e recuperação de pisos; bancos; alambrados; implantação de rampas de acessibilidade, pintura entre outros itens.

O anúncio aconteceu poucos dias após o JC descrever a situação dos equipamentos, que mais do que espaços para prática de esportes, são espaços de socialização.

Atualmente, em uma das quadras de vôlei, as hastes de sustentação da rede foram retiradas, deixando apenas buracos no chão. Em outra, os postes ficaram, mas as redes não. Nos campos de futebol e nas quadras de futsal, que são maioria, os alambrados, tela utilizada para cercá-los, estão quebrados, uns pela ação do tempo, outros pela ação de vândalos.

Comentários

Últimas notícias