SÃO JOÃO

SÃO JOÃO 2022: Hospital da Restauração abre leitos para pacientes com queimaduras de fogos e fogueiras

O hospital é considerado a maior referência no País no setor de queimados, com 40 leitos específicos para pacientes com este tipo de tratamento

Bruno Vinicius
Cadastrado por
Bruno Vinicius
Publicado em 20/06/2022 às 12:59 | Atualizado em 20/06/2022 às 13:31
CIRIO GOMES/JC IMAGEM
CORRERIA Servidores comiam no refeitório quando parte do foro desabou - FOTO: CIRIO GOMES/JC IMAGEM
Leitura:

Com informações da Agência Brasil e Rádio Jornal

Pela primeira vez após dois anos, as fogueiras e fogos de artifícios serão liberados no São João nas grandes cidades. Após ter uma redução no número de queimados em 2020 e 2021, o Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, área central do Recife, prepara leitos destinados ao setor para tratar pacientes com queimaduras em decorrência de explosões e acidentes com fogueira.

O hospital é considerado a maior referência no País no setor de queimados, com 40 leitos específicos para pacientes com este tipo de tratamento. Segundo o médico Marcos Barreto, que é chefe do Centro de Tratamento de Queimados do Hospital da Restauração, alas de enfermaria para mulheres e crianças já foram separadas. Para os homens, o médico afirma que está em processo de liberação dos leitos até a quarta-feira (22).

O motivo de alerta é para o possível aumento dos queimados neste ano, tendo em vista que os dois anos anteriores tiveram proibição de vendas de fogueiras e fogos nas maiores cidades pernambucanas. "No ano passado, a redução dos acidentes com fogueira e fogos de artifício teve uma redução na entrada de serviços de queimados no HR de 75%. No ano passado, atendemos aqui 23 pessoas só. Para um montante que vai em 80 só nesses quatro dias de festejos", conta o médico Marcos Barreto, em entrevista à Rádio Jornal.

Mesmo com o dia de Santo Antônio (13 de junho), quando as fogueiras começam a ser acesas, o número de ocorrências foi considerado baixo. "Neste ano, até agora, está indo bem. Só teve um acidente com criança com uma bomba. Estamos preparando leitos para a gente poder receber os pacientes [de acidentes] que podem acontecer. Como todo ano, a gente tem que fazer isso. Temos leitos de crianças e femininos, homens ainda é que estou com enfermaria lotada. Acredito que até quarta tenhamos algumas vagas", explica.

Além de preparar outras alas, o chefe do departamento também fará uma comunicação com outras Gerências Regionais de Saúde (Geres) para oferecer o tratamento adequado aos pacientes nos hospitais descentralizados da capital. "Isso para o pessoal dos hospitais terem os procedimentos corretos para evitar a vinda desnecessária de pacientes queimados do interior para o Grande Recife, no caso Hospital da Restauração", comentou.

Assim como no HR, o Hospital Miguel Arraes, em Paulista, se prepara para o aumento de casos na época de São João. Segundo a comunicação da unidade hospitalar, os especialistas estarão a postos para receber os pacientes em decorrência das queimaduras.

O médico Marcos Barreto também alertou para os explosivos. "O explosivo tem uma capacidade de destruição muito grande. Você tem que analisar que a perda e o deslocamento de ar no momento da explosão: ela tira a capacidade do futuro quando destrói seus dedos. É diferente quando se tem uma queimadura, que você consegue recuperar. No caso da explosão, você tem a perda definitiva. O incêndio é diferente. É menos deletério a certo ponto", disse o chefe.

"É um número bem considerável se levarmos em conta que o acidente poderia ser evitado pelo simples fato de não manipular os fogos ou, até, de ter cuidados redobrados ao fazê-lo", alerta o diretor médico do Hospital Miguel Arraes (HMA/FGH), Adauto Telino.

O que fazer para prevenir as queimaduras?

Os especialistas alertam para a prevenção de queimaduras na época, a exemplo de:

  • Atenção ao manipular alimentos e bebidas com altas temperaturas
  • Evitar brincadeiras próximas às fogueiras
  • Ter cuidado ao manipular produtos inflamáveis, como o álcool 70, e não se aproximar de fogo quando utilizar
  • Manter crianças distantes de fogueiras e uso de explosivos
  • Evitar o uso de explosivos

Quais os primeiros socorros com queimaduras de fogos de artificio e fogueiras?

De acordo com o Ministério da Saúde, em casos de queimadura, o paciente deve colocar, de imediato, a parte queimada debaixo da água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos. Compressas úmidas e frias também são indicadas.

Se houver poeira ou insetos no local, mantenha a queimadura coberta com pano limpo e úmido. No caso de queimaduras em grandes extensões do corpo por substâncias químicas ou eletricidade, a pessoa necessita de cuidados médicos imediatos.

É importante nunca tocar a queimadura com as mãos; nem furar bolhas; tentar descolar tecidos grudados na pele queimada, ou retirar corpos estranhos ou graxa do local queimado. Não se pode colocar manteiga, pó de café, creme dental ou qualquer outra substância sobre a queimadura. O Ministério da Saúde lembra que somente o profissional de saúde sabe o que deve ser aplicado sobre o local afetado.

Comentários

Últimas notícias