ELEIÇÕES 2022

PSB mira em Luciano Huck para 2022; João Campos é visto como ponte para essa aproximação

Uma ala do PSB não descarta a possibilidade de o partido vir a lançar uma candidatura própria para 2022

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 12/02/2021 às 15:51
Notícia
Foto: Filipe Jordão/ JC Imagem
Huck já intensifica conversas para 2022 - FOTO: Foto: Filipe Jordão/ JC Imagem
Leitura:

Sem liderar um projeto político para disputar a presidência da República desde a trágica morte em um acidente aéreo do ex-governador Eduardo Campos, em 2014, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) se manteve em busca de quadros competitivos e da formação de alianças que deem sustentação a um palanque robusto. Se, em 2018, o “outsider ideal” era o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, em 2022, o apresentador Luciano Huck pode estar na mira dos socialistas.

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), tem sido apontado como o principal interlocutor dessa aproximação. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, Campos e sua namorada, a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), já teriam tido uma conversa com Luciano Huck. A pedetista tem uma relação de proximidade com o apresentador, por já ter integrado o projeto Renova BR (que tem o apoio de Huck).

>>Após pedido de Lula, Haddad aceita ser candidato a presidente em 2022

>>PSDB decide manter Bruno Araújo na presidência nacional do partido

>>Após racha no PSB, João Campos se encontra com Lira nesta quarta

A fragmentação do DEM após o processo eleitoral envolvendo a presidência da Mesa Diretora, teria mudado o foco do apresentador em encontrar um partido que tenha estrutura para viabilizar seu projeto político. Para o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), há uma aceleração para o processo de 2022, o que contribui para as especulações. No entanto, ele avalia que Huck começa a se colocar agora de acordo com os movimentos que os partidos também já iniciaram após a eleição da Mesa Diretora.

O socialista cita o PT, com o convite do ex-presidente Lula ao ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad para ser o candidato a presidente do partido. Também há o PSDB, com o governador de São Paulo, João Dória; e o PCdoB, com o governador do Maranhão, Flávio Dino, colocados como postulantes. “Ele está vendo esse cenário todo, procurando um partido de porte médio ou grande para se posicionar e que lhe dê o mínimo de condição. Não sei se está tendo essa conversa com a direção partidária, mas é de se reconhecer que esses movimentos cada vez mais vão se aprofundar”, comentou Delgado, em entrevista ao JC.

>>Luciano Huck fala em desejo de 'liderar uma geração' na política: 'estou aqui'

Sobre João Campos ser a figura entusiasta entre os socialistas para trazer Huck à sigla, o parlamentar disse apenas que o prefeito tem musculatura dentro do PSB para ser uma liderança ativa não só no Recife, mas a nível nacional. “Todo mundo sabe da relação deles, que Tabata tem uma relação mais aprofundada com Huck.”, afirmou Delgado.

Na atual conjuntura, o PSB tem atuado para estabelecer uma nova via do campo progressista que se coloque como contraponto ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Neste bloco, além dos socialistas, há também PCdoB, PV, Rede Sustentabilidade e o PDT, que tem o nome do presidenciável Ciro Gomes colocado à mesa.

“Ter uma candidatura própria à presidência da República faz parte da estratégia do PSB há algumas eleições. Em 2014, lançamos Eduardo Campos, que não se materializou devido ao acidente. Em 2018, articulamos o nome de Joaquim Barboza, que desistiu da pré-campanha. Então, lançar candidato no próximo ano é um processo natural”, afirmou o líder do PSB na Câmara dos Deputados, Danilo Cabral.

“Time que não joga, não tem torcida. Entretanto, é necessário que o nome, qualquer que seja, represente o pensamento do partido sobre os desafios e propostas para o Brasil”, completou Cabral, sem confirmar se a aproximação com Huck seria o campo mais viável.

O deputado federal Felipe Carreras (PSB) concorda que o partido tem que estar disposto ao diálogo nesse momento. "Acho que o partido tem que estar conversando, se tiver alguma liderança política nacional que tenha compromisso com as bandeiras programáticas do nosso partido, e o partido achar interessante ter como opção, temos que estar abertos para isso. Nessa etapa, isso é importante", afirmou. No entanto, para o socialista trazer a pauta das eleições nesse momento é ruim. "A agenda prioritária é salvar vidas, é ter a vacinação de toda a população. Essa é a prioridade.", completou. 

LUIS MACEDO/AGÊNCIA CÂMARA
HISTÓRICO João Roma Neto foi assessor no governo Joaquim Francisco e chefe de gabinete de ACM Neto - FOTO:LUIS MACEDO/AGÊNCIA CÂMARA
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO
ALTERNATIVA. O apresentador Luciano Huck renovou o seu contrato com a Rede Globo e não pensa em ir às urnas - FOTO:GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO
SÉRGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO
PETISTA Para a PGR, casos deveriam ir para a Justiça Federal em São Paulo - FOTO:SÉRGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO

Comentários

Últimas notícias