Educação

Vereador critica Prefeitura do Recife por suposto atraso na entrega de tablets; apenas 1,5 mil de 42 mil teriam sido entregues

Equipamentos foram prometidos pela gestão e fariam parte do programa de ensino híbrido EducaRecife, lançado no último mês de junho com investimentos de R$ 55 milhões

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 13/09/2021 às 16:56
PHILLIPE JONATHAN/DIVULGAÇÃO
Alcides Cardoso, vereador do Recife - FOTO: PHILLIPE JONATHAN/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Atualizada às 17h53

Durante sessão virtual da Câmara de Vereadores do Recife desta segunda-feira (13), o vereador Alcides Cardoso (DEM) cobrou da Prefeitura do Recife a entrega de mais de 40 mil tablets a alunos da rede municipal de ensino. Os equipamentos foram prometidos pela gestão e fariam parte do programa de ensino híbrido EducaRecife, lançado no último mês de junho com investimentos de R$ 55 milhões.

"A Prefeitura anunciou a entrega de mais de 42 mil tablets a estudantes do Ensino Fundamental e da Educação Especial para o final de julho. As aulas presenciais voltaram no dia 22 de julho e, no dia 29, a Prefeitura iniciou a distribuição. Mas até agora a Secretaria de Educação só entregou mil e quinhentos tablets, menos de 4% do necessário", declarou o parlamentar.

Segundo Cardoso, essa foi a maior licitação de compra de equipamentos feita pela gestão João Campos (PSB). Na visão do vereador, a administração municipal precisa esclarecer dúvidas como o motivo do atraso na entrega, o cronograma de distribuição, se os aparelhos são validados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), se há assistência técnica para eles no Recife, entre outros pontos.

>> Programa EducaRecife inicia distribuição de tablets e computadores para rede municipal de ensino

>> Escolas municipais do Recife voltam às aulas presenciais após um ano e quatro meses

>> Novo programa de educação infantil da Prefeitura do Recife libera parcerias com instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas

"A Prefeitura teve tempo suficiente, inclusive na transição de governo, para planejar a volta das aulas presencias e distribuir os novos tablets. Esse atraso demonstra falha de planejamento, mas o que precisamos agora é de uma informação clara sobre quando e quais equipamentos serão entregues. O estudante recifense merece um produto de qualidade o quanto antes", frisou Cardoso.

Na Reunião Plenária de hoje, o parlamentar ressaltou, ainda, que a rede municipal de ensino já estava prejudicada por conta da pandemia de covid-19, que paralisou as aulas presenciais desde março de 2020. Para o parlamentar, o atraso na entrega dos tablets aumentaria o prejuízo dos estudantes e retardaria a recuperação do aprendizado.

O OUTRO LADO

Por nota, o líder do governo na Câmara do Recife, Samuel Salazar (MDB), afirmou que, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Educação, os tablets que ainda não foram entregues pela prefeitura começarão a ser distribuídos no início de outubro, pois "o processo licitatório precisou cumprir todas as etapas previstas na legislação sobre licitações públicas relacionadas à aquisição dos equipamentos e está em fase de formalização junto ao fornecedor". O vereador acrescenta que também serão entregues chromebooks (uma espécie de notebook) para todas as escolas, equipamento que poderá ser usado para dar apoio pedagógico aos professores em sala de aula.

No texto, Salazar diz que o Recife foi a primeira cidade da Região Metropolitana a retomar o ensino presencial e que a entrega dos tablets é apenas um dos eixos do programa de ensino híbrido da PCR. "O EducaRecife permitiu a ampliação das aulas transmitidas na TV aberta e pela internet, passando de 1h para 14h30 diárias de conteúdos pedagógicos, inclusive com a inauguração de novos estúdios, fazendo com que os estudantes não dependam apenas da transmissão pela internet. A Secretaria de Educação também lembra que a nova plataforma e app do EducaRecife já estão em funcionamento, permitindo a todos os estudantes e professores da rede acesso gratuito ao aplicativo através de dados patrocinados custeados pela gestão municipal", detalha o material.

Por fim, o emedebista diz que a entrega dos tablets reforça essas ferramentas tecnológicas, mas não são "condição" para a retomada do ensino presencial, bem como a ampliação do ensino na modalidade EAD.

Comentários

Últimas notícias