Palanques

Em ato de filiação de Miguel Coelho, Mendonça Filho descarta divisão de palanques ao citar Anderson e Raquel Lyra

Presidente do diretório do DEM de Pernambuco, Mendonça Filho, afirma que não há briga e nem divisão das forças de oposição

Mirella Araújo Renata Monteiro
Mirella Araújo
Renata Monteiro
Publicado em 25/09/2021 às 13:47
Notícia
Divulgação / Democratas
O ex-ministro da Educação Mendonça Filho, fez diversos elogios a trajetória política do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho - FOTO: Divulgação / Democratas
Leitura:

Sem brigas e divisões. É o que defendeu o presidente estadual do DEM, o ex-ministro Mendonça Filho, ao discursar no ato de filiação do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, realizado neste sábado (25), no Recife. Ao destacar o perfil de liderança do gestor, Mendonça também citou o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), e a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB), como referências positivas da política. 

Entretanto, o dirigente democrata ressaltou que é natural um partido como o DEM, com quadros como o do ex-governador Roberto Magalhães e do ex-governador Joaquim Francisco, que faleceu em agosto, possa apresentar "uma alternativa de futuro" para Pernambuco. "Quero dizer que as portas do partido estão abertas para um jovem competente, um prefeito talentoso, que ao se filiar ao partido se coloca na condição de pré-candidato ao Governo do Estado de Pernambuco. Essa jornada só está no começo, e esse ato, ele não pode ser entendido de forma alguma, como um ato divisionista das forças de oposição", declarou Mendonça. 

Nessa quinta-feira (23), Raquel Lyra e Anderson Ferreira, estiveram reunidos para formalizar um novo bloco oposicionista, composto pelos partidos PSDB, PSC, PL e Cidadania, visando as eleições de 2022. "Hoje estamos dando o primeiro grande passo para formar uma ampla frente e incorporar todas as forças políticas que quiserem integrar esse movimento. O nosso Estado tem nas lutas e conquistas uma grande História. Por isto, precisamos voltar a colocar as pessoas à frente e os interesses de Pernambuco e de seus municípios como prioridade", afirmou o grupo, por meio de nota. 

O ex-ministro da Educação declarou que caberá a Miguel Coelho levar ao povo pernambucano "uma mensagem de esperança e de um horizonte". "Você representa isso, você é jovem, talentoso, determinado. Você tem coragem de enfrentar os desafios que precisam ser enfrentados", disse Mendonça, acrescentando que irá percorrer o Estado para apoiar, o agora, correligionário. 

DESGASTE

O presidente nacional do DEM, o ex-prefeito ACM Neto, que também participa do ato de filiação do prefeito de Petrolina, questionou Mendonça Filho sobre quanto tempo o partido está na oposição no Estado. De acordo com o dirigente pernambucano, ao destacar que o PSB está a quase initerruptamente no poder há 16 anos, ele afirmou que Pernambuco tem apresentado grandes retrocessos em diversas áreas. 

"Infelizmente o quadro atual de Pernambuco, é um quadro de baixo astral, quadro de lembranças das glórias do passado da nossa história grandiosa, da nossa história sempre de referência e líder do cenário regional e nacional, que sempre foi respeitado", disse. "O Estado vive do dia a dia do nosso povo, do sofrimento da nossa gente nas periferias das cidades, do crescimento da violência, do desprezo pela nossa infraestrutura. Infelizmente é a marca da atual gestão do PSB", disparou. 

Para Mendonça Filho, as recentes movimentações do governador Paulo Câmara (PSB), em anunciar investimentos e medidas como a anistia do IPVA de motocicletas, não passaria de uma estratégia eleitoreira. "Quando se aproxima do período de eleição, vem o saco de bondades, concessão de benefícios, perdão para proprietários de motocicletas com relação ao IPVA. Passada a eleição, começa a perseguição em cima daquele pequeno comerciante e empresário pernambucano", criticou. 

Comentários

Últimas notícias