Eleições 2022

Novos encontros estão na mira, não só com o PT, diz Paulo Câmara um dia após conversa com Lula

O governador de Pernambuco afirmou que as discussões que estão sendo realizadas com foco nas eleições de 2022 ainda são preliminares, mas que os encontros com lideranças vão ocorrer com regularidade

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 04/10/2021 às 17:36
Notícia
REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT
Paulo Câmara, Lula e Humberto Costa se encontraram em Brasília - FOTO: REPRODUÇÃO/RICARDO STUCKERT
Leitura:

Matéria atualizada às 18h21

No dia seguinte ao encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, afirmou que o PSB deverá realizar novas discussões com outras lideranças políticas e partidos com mais regularidade. "Até porque política é isso.  Em breve vamos ter outras discussões não somente com o presidente Lula, mas com outros atores que queriam discutir o melhor para Pernambuco e para o Brasil", disse o socialista ao JC, nesta segunda-feira (4).

Questionado se o encontro com o líder petista em Brasília, nesse domingo (3), poderia ser mais um passo nessa reaproximação dos partidos focando não apenas no palanque nacional, com o PT sendo apoiado pelo PSB,  mas como a replica dessa aliança em Pernambuco, o governador disse que este é o momento de começar a organizar as forças políticas para as eleições de 2022. 

"Nós recebemos a visita do presidente Lula no mês de agosto, tivemos a oportunidade de ontem estar com ele, conversando sobre o Brasil, conversando sobre o partido. Depois ele teve um encontro com outros governadores e ao longo desta semana vai conversar com os outros partidos, então é dessa forma com articulação e discussões que vamos nos preparar para o próximo ano. Agora, são discussões preliminares dentro de um processo que ainda vai levar tempo. E as definições só vão ocorrer em 2022, até porque a dinâmica é essa", declarou.

O governador é um dos principais articuladores na reaproximação entre o PT e o PSB, defendendo inclusive, que as chances dos partidos estarem juntos nos âmbitos nacional e local "são muito grandes", segundo detalhou o senador Humberto Costa (PT), em entrevista à Rádio Jornal, nesta segunda. "Essa conversa passou pela questão nacional e a avaliação do governador é de que a chance de nós estarmos juntos nacionalmente hoje, é muito grande", disse.

O parlamentar, que  também esteve presente no encontro entre Lula e Paulo Câmara, disse que não houve conversas sobre nomes e nem como se dará o desenho desta aliança. "Mas foi importante para que todos fiquem sabendo que o desejo do presidente Lula é um palanque único para Pernambuco, para a disputa local, e um palanque único para disputa nacional", afirmou Costa. 


Por outro lado, o governador deixou claro ao ex-presidente Lula, que está focado na administração do Estado. " A gente está tirando as oportunidade que temos de conversar sobre política, mas também temos focado na administração e isso eu coloquei para o presidente. Nós temos muito o que fazer por Pernambuco não somente em 2021, mas em 2022", completou. Vale lembrar que o futuro político de Paulo Câmara contempla uma disputada para o Senado ou para a Câmara dos Deputados. Vice-presidente nacional do PSB, ele também tem seu nome ventilado para compor a chapa com Lula, no posto de vice. 

Sucessão

O martelo sobre a sucessão estadual terá seu martelo batido em 2022, segundo o governador Paulo Câmara, que é apontado pelos correligionários e pela base aliada como o condutor desse processo. Sobre as reiteradas negativas do ex-prefeito e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio, de que não será o candidato a governador no ano que vem, Paulo Câmara declarou apenas que o foco, agora, será nas ações em prol do Estado. 

"Nós estamos com o plano de retomada, estou me dedicando a vários dias na semana visitar municípios, anunciar obras, fiscalizar obras em andamento, inaugurar obras novas. Essa é a dinâmica do governo, nesse momento. Sucessão nós vamos discutir efetivamente em 2022 e temos muitos atores envolvidos nesse processo, muitos partidos políticos, então isso é um trabalho de construção mas que só temos certeza que vai ocorrer em 2022", declarou. 

 

 


Comentários

Últimas notícias