VIOLÊNCIA

Como se remove tatuagem? Jovem que teve rosto tatuado por ex-namorado recebe ajuda de jornalista, mas processo é longo e doloroso

A remoção de uma tatuagem pode ser feita, mas é um processo longo e doloroso, alerta especialistas

Lívia Maria
Lívia Maria
Publicado em 25/05/2022 às 13:23
Reprodução/RecordTV
Mulher de 18 anos teve rosto tatuado à força por ex-namorado - FOTO: Reprodução/RecordTV
Leitura:

A jovem de 18 anos de Taubaté (SP) que teve o nome do ex-namorado tatuado por ele à força em seu rosto poderá conseguir remover a tatuagem. A jornalista Sônia Bridi, da TV Globo, se ofereceu para pagar a remoção da tatuagem e também um advogado para a jovem.

Porém, o processo de remoção de uma tatuagem é longo e doloroso, podendo levar meses, segundo especialistas. Para remover uma tatuagem é preciso que o profissional tenha um aparelho adequado para o processo, que irá despigmentar a área.

De acordo com a médica Mariana Anabuki, em entrevista ao Universa, o Laser ND Yag é um desses aparelhos capazes de remover o pigmento da tatuagem da pele e pode ser usado em qualquer tipo de pele, mas tem riscos de deixar manchas e cicatrizes em peles mais escuras.

Remoção de tatuagem é um procedimento doloroso

É importante se atentar que a remoção de uma tatuagem é um procedimento doloroso, mesmo com uso de anestésico local. O tratamento pode chegar a durar meses porque, entre as sessões de laser, a pele precisa de tempo para se recuperar e “expulsar” a tinta.

Nesse período, a pele pode sofrer com bolhas e casquinhas, como na cicatrização de uma ferida, portanto é indicado também o uso de cremes que ajudem na recuperação.

“No caso dessa vítima, não é uma tatuagem muito grande nem tem desenho. O fato de o agressor ter usado unicamente pigmento preto facilita a remoção. Nesses casos, geralmente realizamos entre seis e dez sessões”, explica Mariana.

Além do tempo e da dor envolvida do tratamento, não há garantias de que a pele no local voltará a ser como antes da tatuagem. Dermatologistas alertam que, muitas vezes, após o laser, a pele fica com uma cicatriz. Tudo depende de como foi feita a tatuagem, a profundidade que a tinta foi colocada na pele e, claro, fatores genéticos que ajudam na recuperação do tecido epitelial.

Por que não fazer uma cobertura da tatuagem?

Quando alguém realiza uma tatuagem e depois se arrepende, há uma opção menos dolorosa e mais barata para se livrar dela: fazendo uma cobertura. A cobertura nada mais é que a realização de outra tatuagem em cima da antiga, ‘apagando’ o desenho indesejado.

Diversos tatuadores realizam o serviço de cobertura de tatuagem, inclusive de forma gratuita para pessoas que foram vítimas de violência, como é o caso da jovem de Taubaté. Porém, em alguns casos não é recomendado realizar a cobertura.

A tatuadora Karlla Mendes, que está no mercado há 20 anos, enfatiza que nesse caso em específico a recomendação é a remoção da tinta com o laser. Como alguns tatuadores trabalham com cobertura de cicatrizes, com tinta da cor da pele, essa poderia ser uma saída, mas nesse caso, não vai surtir efeito.

“No caso dessa vítima nada vai cobrir o preto. Pode pigmentar, mas quando cicatrizar a cor escura vai permanecer”, explica ela, ao Universa.

O que fazer em caso de querer remover uma tatuagem?

Nos casos para quem se arrependeu de uma tatuagem as indicações são procurar um dermatologista que possua experiência no tratamento ou um tatuador que irá realizar uma nova arte por cima da antiga.

É importante que o profissional escolhido, seja dermatologista para aplicação do laser ou um tatuador para fazer a cobertura, sejam especializados nos procedimentos, visto que os dois têm seus contras e podem deixar a pele com aspecto ainda pior.

Comentários

Últimas notícias