Televisão

Ataque de tubarão na praia de Boa Viagem é tema do programa de Fátima Bernardes

Jornalista entrevistou o soldado que trabalhou no resgate da jovem Bruna Gobbi e um biólogo especialista em salvamento aquático

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 24/07/2013 às 11:52
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Jornalista entrevistou o soldado que trabalhou no resgate da jovem Bruna Gobbi e um biólogo especialista em salvamento aquático - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O ataque de tubarão ocorrido na última segunda-feira (22), na praia de Boa Viagem, foi tema do programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo de televisão, desta quarta-feira (24). O soldado que ajudou a resgatar a jovem Bruna Gobbi foi um dos entrevistados pela jornalista. Um biólogo especialista em salvamento aquático também comentou o acidente.

"A jovem estava no lugar errado, na hora errada. Tubarões não tentam se alimentar de humanos, apenas reagem ao encontro com um deles. Essa é a atitude natural desses animais e foi o que aconteceu", afirmou o biólogo Marcelo Szpilman, fundador do instituto de preservação marinha Aqualung. Szpilman acredita que Bruna foi atacada por uma fêmea da espécia cabeça-chata, a mais comum na costa pernambucana. "As fêmeas são maiores e mais ariscas. A mordida foi grande, por isso acredito que um exemplar dessa espécie foi responsável pelo ataque", disse.

Antes do depoimento do biólogo, o soldado que ajudou a resgatar a jovem contou como foi realizada a operação de salvamento. "Foi a primeira vez que socorri um ataque de tubarão. Na hora da ação, nosso intuito é dar o nosso melhor. Por isso, pulei na água sem pensar nos riscos", contou o soldado Anderson Figueiredo, que trabalha há dois anos como bombeiro.

Figueiredo ressaltou a atuação de toda a equipe de bombeiros que estava de plantão na praia de Boa Viagem no momento do ataque. Ele disse que todos os presentes colaboraram com o resgate, feito da maneira mais rápida possível. Com ajuda do tenente coronel Arnóbio, o soldado também mostrou um equipamento usado pelo Corpo de Bombeiros para se proteger de ataques.

Ao fim das entrevistas, Fátima Bernardes mostrou tristeza com a morte da jovem paulista Bruna Gobbi, de 18 anos. "Vamos ficar atentos aos cartazes que alertam para o risco de tubarão e respeitar os limites para que novas tragédias não aconteçam", pediu a jornalista.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias