Protesto

Integrantes do Ocupe Estelita são impedidos de chegar à Prefeitura do Recife

Grupo seguiu em passeata da Praça do Derby até o Bairro do Recife, mas uma barricada impediu o acesso do grupo à sede da PCR

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 01/10/2015 às 21:06
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Grupo seguiu em passeata da Praça do Derby até o Bairro do Recife, mas uma barricada impediu o acesso do grupo à sede da PCR - FOTO: Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

O Movimento Ocupe Estelita voltou às ruas da capital, na noite desta quinta-feira (1º), para exigir a anulação de todos os protocolos do projeto Novo Recife. Pela manhã, a reivindicação foi oficializada, por meio de documento entregue na prefeitura. Caso a resposta seja negativa, o movimento promete se manter mobilizado em busca de resultados concretos. 

A manifestação seguiu até aproximadamente as 20h30, quando o grupo chegou à sede da prefeitura. O prédio, situado no Bairro do Recife, foi isolado pela polícia. Perto do final do ato, um policial militar disparou um tiro de bala de borracha contra uma manifestante, deixando-a ferida sem gravidade no ombro.

“Uma vez que a Justiça Federal detectou fraude no processo de aquisição do terreno – fato que o movimento denuncia há três anos – não tem porque dar continuidade a esse processo”, defende o estudante de jornalismo Pethrus Cavalcanti, 23, membro de comissão de comunicação do movimento. “Não basta adiar a reunião do CDU, é preciso anular os protocolos”. 

O estudante de história Luciano Abreu, 32, disse participar do ato “para que o Estelita se torne, de fato, um espaço público”.

O grupo se concentrou na Praça do Derby, área central, e saiu em passeata pouco depois das 18h, fechando duas das principais vias da cidade, a Avenida Agamenon Magalhães e depois a Avenida Conde da Boa Vista, área central, gerando grandes congestionamentos e conflitos. 

Últimas notícias