FOLIA PARA O DOM DA PAZ

Música e poesia lembram 110 anos de nascimento de Dom Helder

Entusiasta das artes, o arcebispo emérito de Olinda e Recife foi homenageado na Igreja das Fronteiras, nesta quinta-feira (7)

JC Online
JC Online
Publicado em 08/02/2019 às 6:01
NE10
FOTO: NE10
Leitura:

Em 16 de julho de 1999, na Igreja das Fronteiras, na Boa Vista, Centro do Recife, Chico Buarque espalhou a marcha alegre de A Banda para dom Helder Camara ouvir. Quase 20 anos depois, durante a celebração dos 110 anos de nascimento do religioso, no mesmo local, o artista contou, em um vídeo, suas lembranças do Dom da Paz, que era um entusiasta das artes. Nascido em um domingo de Carnaval, Dom Helder foi lembrado, na noite desta quinta-feira (7), em um evento que também reuniu apresentações musicais, poesia e um bloco lírico. O objetivo da programação, que lotou a igreja, foi recordar os encontros culturais que o arcebispo emérito de Olinda e Recife realizava no Palácio dos Manguinhos, nas Graças, Zona Norte, na década de 60.

“No palácio, ele promovia o que chamava de ‘noitadas’. Lá, se discutia literatura, música, escultura. Artes de uma maneira geral. Em uma de suas frases, ele diz que os artistas são cocriadores de Deus, que mostram a beleza do mundo. Dom Helder sempre achou que a arte podia ser um instrumento de evangelização”, explica Bete Barbosa, conselheira do Instituto Dom Helder Câmara (IDHeC).

-
-
-

Na noitada, que incluiu apresentações dos cantores Silvério Pessoa e Cylene Araújo, foram ouvidas versões de músicas como Pau de Arara, Roda Viva, e Madeira que Cupim não Rói. “Sinto que participar das homenagens a ele é um privilégio como artista e como cidadã”, afirmou Cylene. Para Silvério, “foi um momento de consagração e de senti-lo cada vez mais perto”.

A professora aposentada Fernandina Machado de Oliveira, 70 anos, presidente do Bloco Lírico Artesãos de Pernambuco, que encerrou a noite ao lado da banda Evocações, emocionou-se ao descrever a sensação de participar do evento. “Tive a oportunidade de estar com ele e sinto uma felicidade muito grande ao homenagear Dom Helder. Sempre acompanhei a luta dele”.

Projeto Memória Viva

A exibição do vídeo de Chico Buarque marcou o lançamento do projeto Memória Viva, do IDHeC, que pretende armazenar diversos depoimentos sobre Dom Helder em um canal no YouTube. Quem quiser colaborar, pode enviar as gravações para o e-mail memoriaviva@gmail.com. O material deve estar disponível na plataforma em duas semanas.

Celebração eucarística

As comemorações dos 110 anos de nascimento de Dom Helder serão encerradas no domingo (10), às 11h, com uma celebração eucarística na Igreja das Fronteiras.

Últimas notícias