Zona Sul

Denúncia de invasão e roubo no edifício Holiday, em Boa Viagem

Disjuntores, fios, janelas e peças de elevadores estariam sendo furtados

Thiago Wagner Thiago Wagner
Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 24/05/2019 às 7:48
Notícia
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Passados dois meses da desocupação total do Edifício Holiday, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, moradores denunciam que o prédio está sendo alvo de invasões e roubos. Apesar de não haver mobília dentro dos apartamentos, disjuntores, fios, janelas de alumínio e peças dos elevadores estariam sendo saqueadas por suspeitos que invadem a área interditada durante a noite. Na última quarta-feira (22), os moradores afirmaram ter encontrado sangue no piso de um dos apartamentos do primeiro andar.

“Não tem nada de grande valor, mas coisas estão sendo roubadas e o prédio, danificado. A vistoria que fizemos há 20 dias foi exatamente para avaliar a situação e nos precavermos. Infelizmente, a segurança no entorno é fraca. Dificilmente tem alguma ronda motorizada ou coisa do tipo”, conta o síndico do edifício, José Rufino Neto. As invasões são recorrentes e, segundo ele, duas queixas já foram prestadas na Polícia Civil no início deste mês.

Nesta semana, o prédio teria sido invadido duas vezes. Na quarta-feira, pessoas foram vistas violando os tapumes que interditam o edifício. De acordo com o síndico, a Guarda Municipal foi acionada, mas foi informado que o efetivo não seria suficiente para entrar no Holiday. “Como eles disseram que não tinha gente suficiente para mandar, resolvi entrar com mais dois amigos para olhar. Quando cheguei no primeiro andar, vi manchas de sangue no chão e acionei o 190”, relata.

O efetivo da Polícia Militar foi até o local, mas José Rufino denuncia que nenhuma revista foi feita. “Logo que chegaram, senti os policiais sem disposição para fazer a vistoria. Eles avaliaram e disseram que o sangue podia ser de alguém que se cortou. Ainda se negaram a subir os outros andares. Um deles me olhou e disse ‘boy, tu acha mesmo que eu vou subir até o 17º andar?’. Meu dever era avisar, mas infelizmente nada foi feito. Não temos apoio por parte dos órgãos de segurança”, reclama José Rufino.

A Guarda Municipal e a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) relataram que são realizadas rondas diárias no entorno. Quando questionada sobre os procedimentos da ocorrência narrada pelo síndico, a PM confirmou ter sido acionada, mas acrescentou que nada constatou ao chegar no local. A Polícia Civil, por sua vez, informou que não há registro de roubos relacionados ao Holiday. Também não confirmou boletim de ocorrência com relação às invasões.

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
O Holiday foi interditado por decisão judicial. O prazo final para a desocupação foi quarta (20) - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
A SDS está instalando tapumes para isolar o Edifício Holiday, em Boa Viagem -
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
A SDS está instalando tapumes para isolar o Edifício Holiday, em Boa Viagem - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Apesar do fim do prazo da desocupação e dos tapumes, moradores ainda resistem para sair do prédio - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
A entrada e saída do prédio está sendo controlada por operação especial - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

DESOCUPAÇÃO

Com 17 andares e mais de 400 apartamentos, o Holiday foi totalmente desocupado no dia 23 de março deste ano. Mais de três mil pessoas deixaram o local. Desde então, moradores se reúnem com engenheiros, eletricistas e arquitetos voluntários em busca da finalização do projeto de requalificação da parte elétrica do prédio. O material depende agora da assinatura de algum engenheiro elétrico que se disponha a ajudar, para depois ser encaminhado à Celpe e à Justiça. Uma vez aceito, o projeto poderá ser posto em prática com a troca de toda a fiação. Segundo a Defesa Civil do Recife, a prefeitura só volta ao caso se a Justiça aprovar o projeto. Por enquanto, todo o processo é de responsabilidade do condomínio, assim como a segurança do edifício.

A quantia estipulada para a realização da reforma ainda está longe de ser alcançada. Segundo José Rufino, dos R$ 400 mil necessários, apenas R$ 10 mil foram arrecadados até o momento. Uma vaquinha online está ativa para doações em dinheiro. Materiais elétricos, cimento e areia também podem ser doados.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias