TURISMO

Igarassu tem atrações por terra, céu e mar no Litoral Norte

Igarassu quer oficializar a Rota 14, na Estrada de Nova Cruz, que reúne atrações como aeródromo, pousada de charme, restaurantes e ateliês

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 05/02/2020 às 7:20
Notícia
Mona Lisa Dourado/JC
FOTO: Mona Lisa Dourado/JC
Leitura:

Por terra, pelas águas e pelo ar. Seja qual for a preferência do visitante, Igarassu dispõe de atrativos e serviços turísticos tão diversos quanto sol e mar, gastronomia, história, cultura, artesanato, aventura, ecologia, passeios de barco, de avião e até paraquedismo. A cerca de 30 km do Recife, o município é um dos que têm buscado fazer o dever de casa em busca da reestruturação do turismo no Litoral Norte de Pernambuco.

Os resultados da articulação entre poder público e iniciativa privada serão sintetizados em breve no projeto chamado de Rota 14. Instituído pela Lei Municipal 3.180/2019 no fim do ano passado, o roteiro formaliza um caminho que foi se constituindo naturalmente no entorno da PE-14. A via liga o distrito de Nova Cruz à BR-101, e por isso é mais conhecida como Estrada de Nova Cruz. 

Ali estão desde empreendimentos de grande porte, como o Aeródromo da Coroa do Avião; até a meios de hospedagem, a exemplo da Pousada Luar Eco Lodge; restaurantes, como o recém-inaugurado Porto do Vasco; e ateliês de arte e artesanato, caso do espaço de Roberto Vital, no Engenho Novo Camboa. “Como os equipamentos já existem, estamos buscando os recursos para melhorar os acessos e a iluminação, além de implantar uma ciclovia, tanto para os trabalhadores quanto para ecoturistas. O objetivo é tornar esse roteiro perene, para além de governos”, diz a secretária executiva de Turismo de Igarassu, Ana Alves. De acordo com a gestora, o lançamento oficial da Rota 14 deve ocorrer ainda neste primeiro semestre de 2020.

Mona Lisa Dourado/JC
Vista aérea do Litoral Norte captada em passeio panorâmico promovido pelo Aeroclube de Pernambuco - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Do alto, Forte Orange se vê ainda mais majestoso. Passeio dura 15 minutos e abrange quatro cidades - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Avião Cessna 172 leva três passageiros, além do piloto. Custo é de R$ 600 - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Comandante Adriano Gonçalves é um dos pilotos - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Sobrevoo ocorre a no máximo 1.000 pés ou 300 metros de altitude - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Vista aérea do Centro Histórico de Igarassu - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Voos partem e aterrissam no Aeródromo da Coroa do Avião - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
No sítio histórico de Igarassu, visitantes são recebidos em Centro de Atendimento ao Turista (CAT) - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Casa do Artesão reúne obras de diferentes técnicas dos artistas locais - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Condutora de turismo Alana Assis acompanha visitantes no Museu Histórico - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Peças do Museu Histórico conta com mais de 250 peças religiosas dos séculos 17 ao 20 - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Museu Pinacoteca do Convento de Santo Antônio abriga coleção de 24 painéis dos séculos 17 e 18 - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Arara-canindé Juli é uma das anfitrionas da Pousada Luar Ecolodge - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Pousada é único empreendimento hoteleiro de luxo de Igarassu - Mona Lisa Dourado/JC
Levi Britto/Divulgação
Balanço sobre o açude é uma das atrações - Levi Britto/Divulgação
Mona Lisa Dourado/JC
Tirolesa oferece emoção a 12 metros de altura - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Bangalôs oferecem conforto e contato com a natureza. Esqueça a televisão - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Banheiro ao ar livre é um dos detalhes curiosos - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Capelinha no alto da propriedade sedia casamentos - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
O papagaio-do-timé Paco é o mais "bagunceiro" da turma. Pousada planeja construir um parque das aves - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Bichinhos interagem com funcionários, como Rafael, e hóspedes - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Sábado à noite é dia de churrasco à beira da piscina comandado pelo chef Alex - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Piscina aquecida permite banho noturno - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Estrutura também conta com cama de massagem - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Hóspedes participam do café da manhã dos pássaros, como a ararajuba Ju, que adora melancia - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Casa de Vidro oferece um espaço reservado para grupos. Conta com 6 suítes e abriga até 15 pessoas - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Banheira ao ar livre é uma das comodidades - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Café da manhã farto é cheio de frutas, sucos e pratos regionais - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Túnel de cipó conduz ao ateliê de Roberto Vital - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Roberto Vital confecciona esculturas gigantes em tronco de jaqueira dos santos Cosme e Damião - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Temáticas do artistas se relacionam às memórias afetivas da infância vivida no Engenho Novo Camboa - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Ateliê fica a cerca de quatro quilômetros da margem esquerda da Rota 14 - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Roberto Vital trabalha em torre humana sob encomenda de cliente espanhol - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Fauna da região, como os bichos-preguiça, inspiram artista - Mona Lisa Dourado/JC
Mona Lisa Dourado/JC
Inês Gugel apresenta as delícias artesanais da sua padaria Campo Fértile - Mona Lisa Dourado/JC
Pão de batata e Delícia Igarassu estão entre os carro-chefes da Campo Fértile -

 

PELO AR: UM PANORAMA DO LITORAL NORTE

Seguindo a trilha já existente, uma das novidades é o voo panorâmico oferecido pelo Aeroclube de Pernambuco. Para quem gosta de aviação, o hangar, no Aeródromo da Coroa do Avião (Km 2,6), é como um parque de diversões. Até porque as aeronaves estacionadas no pátio mais parecem brinquedos de gente grande. O serviço, em contrapartida, é dos mais profissionais. Um comandante experiente pilota um Cessna 172, de fabricação americana, com capacidade para levar mais três passageiros. O custo total é de R$ 600 por sobrevoo. Também é possível fazer o tour individual (apenas você e o piloto), em um Cessna 152, por R$ 200. Em ambos os casos, o passeio dura 15 minutos. Parece pouco, mas é o suficiente para ter uma mostra de alguns dos principais pontos turísticos do Litoral Norte: o Forte Orange e Vila Velha, em Itamaracá, o casario colorido de Itapissuma e o Canal de Santa Cruz, o centro histórico e a Praia do Capitão, em Igarassu, além do Veneza Water Park e do Rio Timbó, em Paulista.

Da decolagem à aterrissagem, o voo é super tranquilo e emociona pela beleza da geografia da região, entrecortada por rios, mangues e filetes de terra como a ilhota da Coroa do Avião, que a aeronave circula de pertinho. A altitude máxima é de cerca de 1.000 pés, ou aproximadamente 300 metros.   

 

POR TERRA:  O TURISMO CULTURAL E RELIGIOSO 

De 20 a 22 de março, lembra ele, o passeio pode ser complementado com outras atrações que fazem parte do Aerofest. Já parte do calendário turístico de Igarassu, o festival conta com apresentação de acrobacias aéreas, shows musicais, exposição de carros antigos e praça de alimentação. O ingresso custa R$ 30 (R$ 15 a meia-entrada) mais dois quilos de alimento não perecível.
O serviço funciona diariamente, das 8h às 17h, sob agendamento prévio. “Também fazemos voos turísticos sob demanda para o Litoral Sul ou até a Paraíba”, informa o comandante Adriano Gonçalves. 

Um caboclo de lança talhado em madeira à beira da pista indica o caminho: adentrando pela margem esquerda da Rota 14, logo depois do aeródromo, para quem vem da BR-101, são mais quatro quilômetros até o ateliê de Roberto Vital. O artesão é um dos cinco mestres cujos espaços de criação fazem parte do roteiro. 

Ainda do lado de fora da sua “casa-oficina”, impressionam os dois gigantes de cinco metros de comprimento que o artista está terminando de confeccionar. São imagens dos santos Cosme e Damião, padroeiros de Igarassu, que em breve darão as boas-vindas aos visitantes na entrada da cidade.   

 

HISTÓRIA 

Assim como as obras, o ateliê-residência é uma atração à parte. Construído em massapê, ao lado de um jardim onde os seus personagens quase ganham vida, está sempre aberto, das 8h às 17h, aos visitantes interessados no artesanato e numa boa prosa.    Além dos temas religiosos, o trabalho do artista é feito das memórias afetivas da infância no Engenho Novo da Camboa, das histórias sobre cangaceiros e da rica fauna da região. Daí, surgem bichos-preguiças, macacos, araras, pescadores, índios, imagens de Lampião e presépios inteiros. Todos produzidos em madeira, geralmente de jaqueira, genipapo e coqueiro.”Muita matéria-prima às vezes encontro por aí abandonada”, conta Roberto, que também produz peças sob encomenda, hoje espalhadas pelo mundo. 

No sítio histórico de Igarassu,  a incursão pelas igrejas e casario colonial, começa no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), onde condutores de turismo estão habilitados a municiar os visitantes de informações históricas e até acompanhá-los no tour. Reformado com recursos do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), o CAT também sedia a Casa do Artesão, com obras de diferentes técnicas desenvolvidas na região, em especial as peças feitas com conchas. Na parte de trás da edificação, ainda se tem uma bonita vista de Igarassu, que em tupi-guarani significa canoa grande ou rio de grandes pássaros, segundo conta a condutora Alana Assis. 

Ao lado do espaço de recepção dos turistas, está a Casa do Imperador, construído no século 17, e, mais adiante, o Convento Recolhimento Sagrado Coração de Jesus, erguido pelos padres jesuítas para recolher crianças abandonadas, na chamada Roda dos Expostos. Já o Museu Histórico conta com mais de 250 peças de arte religiosa dos séculos 17 ao 20, com destaque para a pia batismal da antiga Igreja de Nossa Senhora da Conceição.

Reserve um tempo maior para o conjunto arquitetônico barroco do Convento e Igreja de Santo Antônio, construído pelos franciscanos e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1939. Chamam atenção a riqueza de azulejos e as duas esculturas cobertas com camadas finas de ouro. O monumento também sedia o Museu Pinacoteca, que abriga uma coleção apontada como a mais importante do período colonial brasileiro. São 24 painéis dos séculos 17 e 18. Fique atento às “pegadinhas” deixadas pelos artistas anônimos nas telas.  

O passeio continua, ainda, pela Igreja de Nossa Senhora do Livramento e Palácio Afonso Gonçalves, hoje sede da prefeitura.A secretária Ana Alves ressalta que está sendo realizado nessa área um projeto de embutimento da fiação e nova iluminação, que conta com recursos totais de R$ 1,7 milhão, somando o investimento do Ministério do Turismo e a contrapartida de R$ 85,8 mil do governo do Estado. “Será concluído até julho e lançado junto com toda a sinalização turística do sítio histórico”, diz. Dessa forma, monumentos como a Matriz dos Santos Cosme e Damião, uma das mais antigas do País em funcionamento, poderão ser apreciados e fotografados sem interferência. Marco do surgimento da Vila de Igarassu, o templo foi construído em 1535, após uma batalha dos portugueses contra os povos indígenas originários daquelas terras. 

GASTRONOMIA 

A caminhada deu fome? Se for hora do almoço, as opções passam pela tradicional fritada de aratu, no Povoado de Cuieiras, ou por um dos bares e restaurantes especializados em frutos do mar dos polos gastronômicos de Mangue Seco ou Nova Cruz. 

Mas se a ideia for só fazer um lanche e tomar um cafezinho, o melhor lugar é a Padaria Campo Fértile (Avenida Diper 17). Especializado em pães artesanais, o estabelecimento usa farinha e fermento naturais franceses. “Há pães que levam até dois dias para ficarem prontos”, conta a proprietária, Inês Gugel, que mantém a padaria com o marido há 25 anos e se prepara para abrir uma unidade no bairro do Parnamirim, no Recife, em março.  

Entre os destaques produzidos pela Campo Fértile, estão o premiado pão de batata com filé de siri e o brioche nordestino com jerimum. No quesito doces, a campeã é a torta Monjopina. Homenagem ao Engenho Monjope, que foi um dos importantes da região, leva na receita cachaça, passa de caju e mel de caju. A valorização dos ingredientes locais também baseia a Delícia de Igarassu, feita de coco, cachaça e ameixa. De lamber os dedos. 

PELAS ÁGUAS: O TURISMO NÁUTICO 

Com piscinas naturais, águas mornas e areia branquinha, Igarassu também é um ótimo destino para curtir um dia despretensioso de praia ou aproveitar para percorrer de barco as belezas da região. A ilhota da Coroa do Avião e a Praia do Capitão, mais conhecida como Mangue Seco, são os principais points. Nesta última, instalou-se no fim do ano passado o Catamaran Praia, um beach club que tem nos passeios de catamarã o carro-chefe. O roteiro dura três horas e é oferecido às terças, quintas, sábados e domingos, às 10h, e custam R$ 70 (adulto) e R$ 30 (criança até 10 anos). O mesmo tour também pode ser feito de lancha, por R$ 120 e R$ 60, respectivamente. Para quem gosta de aventura, há quadriciclos à disposição, ao custo de R$ 110 por 40 minutos, para duas pessoas. O tour guiado percorre a trilha dos mirantes e Nova Cruz.

 

HOSPEDAGEM EM MEIO À NATUREZA

Juli e Kiwi, uma arara-canindé e um papagaio-ecletus, dão as boas-vindas aos hóspedes.  Na companhia deles como anfitriões da Pousada Luar Ecolodge, estão a ararajuba Ju e o papagaio-do-timé Paco, indicando que a pegada ali é de integração com a natureza. 

Único empreendimento hoteleiro de luxo de Igarassu e parte da Rota 14, a propriedade de 70 hectares planeja abrigar um Parque das Aves, inspirado no de Foz do Iguaçu. Para isso, contratou a bióloga Ana Lima, que guia os hóspedes em várias das atividades já disponíveis na pousada, como as trilhas diurna e noturna pela mata atlântica, o plantio de árvores e a alimentação dos bichinhos pela manhã. “Em dois anos, devemos ter concluído a estrutura principal do parque, com entrada individual para o público geral e ainda mais interação com os animais, resgate, tratamento e soltura daqueles vítimas de maus-tratos, além de biblioteca e lanchonete”, adianta Ana.   

Outro item que merece destaque é o café da manhã, servido à la carte, com frutas, sucos, café, iogurtes e pratos regionais. Um deleite para passar horas à mesa. O menu, aliás, é de dar água na boca em todas as refeições.Sobressaem-se o arroz de polvo e a cioba no papel alumínio. A carta de vinhos ainda é modesta, mas cumpre bem a função. Nas noites de sábado, à beira da piscina, os hóspedes contam com a opção do churrasco, preparado numa churrasqueira de chão, que só reforça o clima intimista da pousada.    

A estrutura ainda conta com um enorme piscina aquecida e hidromassagem, que dão vontade de passar o dia na água. Mas vale a pena, sim, aproveitar também o conforto dos 18 chalés construídos em madeira em meio ao verde e sem televisão. Detalhe para o banheiro ao ar livre.  Entre as atrações, estão também uma tirolesa de 12 metros de altura por 200 de comprimento e o balanço à beira do açude, que em breve poderá ser usado para passeios de caiaque e pedalinho, em meio a patos, garças e capivaras. Um restaurante flutuante instalado ali já garante um chá da tarde ou jantar cheios de romantismo. Até o fim de fevereiro, o parque infantil e a quadra poliesportiva estarão prontos, conta o gestor do espaço, Antônio Alves.  

Também é possível alugar a Casa de Vidro, disponível para grupos. Espaço reservado, onde nasceu a pousada, ainda nos tempos em que a propriedade servia a competições de motocross, conta com seis suítes e capacidade para até 15 pessoas. A diária neste caso é de R$ 2.900, com café da manhã.

As diárias custam a partir de R$ 400 para o casal, incluindo o café da manhã. Os pacotes de Carnaval (de sexta a quarta) estão a R$ 2.850. O cenário é tão acolhedor, que passou a incorporar também um espaço para casamentos, com direito a capela e banquinhos ao ar livre, assim como área de recepção. 

Para quem está de passagem ou deseja apenas usufruir da estrutura, há a possibilidade de day use, a R$ 150 por pessoa (crianças até seis anos não pagam), com direito a almoço, trilha e tirolesa.

ATRATIVOS DA ROTA 14

Povoado de Cuieiras 

Fritada de aratu 

Aeródromo Coroa do Avião 

Aeroclube de Pernambuco 

Pousada Luar Ecolodge 

Atelier Roberto vital 

Atelier Moisés Vital 

Atelier Celina Vital

Atelier Márcio Lira 

Atelier José Abias 

Porto do Vasco 

Espaço Amigos do Mangue 

Catamaran Praia Club 

Marina Horizonte 

Marina do Gavoa 

Bar do Kal (Complexo Gavoa)

Polo Gastronômico de Mangue seco 

Praia do Capitão 

Coroa do Avião

Polo Gastrônomo de Nova Cruz 

Bar do Anderson 

Boteco do Mago 

Igreja Nossa Senhora das Dores 

Fazenda zumbi 

Ruínas

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias