natação

A estrela dourada de Etiene Medeiros brilha no cenário internacional

A nadadora pernambucana Etiene Medeiros é bicampeã pan-americana e agora volta suas atenções para os Jogos Olímpico de Tóquio-2020

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 18/08/2019 às 20:07
Notícia
AFP
A nadadora pernambucana Etiene Medeiros é bicampeã pan-americana e agora volta suas atenções para os Jogos Olímpico de Tóquio-2020 - FOTO: AFP
Leitura:

Modalidade responsável por nada menos que 30 pódios nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, a natação brasileira superou a crise nos bastidores da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para bater recordes no Continental. Dos 34 competidores da seleção, 31 voltaram para casa com a conquista de medalhas. Destaque para a pernambucana Etiene Medeiros, que ratificou o status de melhor nadadora do Brasil após faturar o segundo ouro na competição. Em Lima-2019, ela venceu os 50m livres e em Toronto-2015 ela foi a campeã dos 100m costas. A expectativa agora gira em torno da preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e pelas conquistas de novos resultados históricos.

Etiene é a única brasileira que conquistou a medalha de ouro duas vezes em provas individuais do Pan. Desta vez ela foi a dona do melhor tempo na disputa mais tradicional da natação mundial, os 50m livre. Ainda levou o bronze nos 100m costas e mais três medalhas em revezamentos. Vale ressaltar que a pernambucana não brilha apenas no cenário continental. Em Mundiais, ela é três vezes campeã nos 50m costas, além de já ter conquistado duas pratas e um bronze.

Por conta de sua trajetória, a pernambucana simboliza o fortalecimento da modalidade feminina, além de ser uma referência no esporte. “Sei muito bem o que representa isso. Não só profissional, mas o lado pessoal também. Hoje eu me dou muito bem com a representatividade. As pessoas me olham como exemplo, eu acho isso muito gratificante e motivador para chegar bem nas competições. Minha missão é mostrar para as pessoas que elas são capazes e correrem atrás dos sonhos que elas querem. E ser o mais tranquilo e divertido possível na hora do esporte”, observou.

Veja entrevista com Etiene

As conquistas de Etiene Medeiros

Mundiais (piscina longa)

Prata - Kazan-2015 - 50m costas
Prata - Gwangju-2019 - 50m costas
Ouro - Budapeste-2017 - 50m costas

Mundiais (piscina curta)

Ouro - Doha 2014 - 50m costas
Ouro - Doha 2014 - 4×50m medley misto
Bronze - Doha 2014 - 4×50m livre misto
Ouro - Windsor 2016 - 50m costas
Prata - Windsor 2016 - 4×50m medley misto
Bronze - Hangzhou 2018 - 50m livre

Jogos Pan-Americanos

Ouro - Toronto 2015 - 100m costas
Prata - Toronto 2015 - 50m livre
Bronze - Toronto 2015 - 4×100 m livre
Bronze - Toronto 2015 - 4×100 m medley
Ouro - Lima 2019 - 50m livre
Prata - Lima 2019 - 4x100m livres
Prata - Lima 2019 - 4x100m livre misto
Bronze - Lima 2019 - 100m costas
Bronze - Lima 2019 - 4×100m medley

DESCANSO MERECIDO

Na análise de Etiene, as últimas semanas foram puxadas, mas também foram satisfatórias. Ela precisou encarar a pressão para se manter competitiva no Mundial de Gwangju, na Coreia do Sul, e no Pan de Lima. “Estar no Pan foi muito importante. Sei o quanto foi difícil a recuperação pós-Coreia. E volta para o Brasil e depois viaja de novo. Faz toda estimulação para competir novamente. Mas acho que a experiência conta muito. A competição em Lima foi uma experiência mental muito forte, que fez a diferença na piscina. A idade tem seu lado bom e seu lado ruim. Eu estou muito feliz. Mais uma vez medalha de ouro, o bronze nos 100m costas também foi muito bom para mim. Estar nadando na casa de 1min00seg, além dos revezamentos”, comentou Etiene, que confessou que espera mais de seus resultados.

Agora, o foco está concentrado única e exclusivamente nas férias. Serão pelo menos 15 dias de folga para corpo e mente. “Descanso mental principalmente. O planejamento volta dia 26, mas ainda estamos negociando isso. Quem tem que decidir isso é a parte técnica. Mas tiro alguns dias de descanso. A gente tem (Troféu José) Finkel também, mas agora estou focando no meu descanso”, garantiu. O planejamento já aponta para mais competições. Ainda este ano ela terá o Mundial Militar e uma etapa da Copa do Mundo, em outubro.

Depois, concentração total nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Etiene disputará a seletiva em abril de 2020 para as provas individuais e revezamentos – lembrando que os 50m costas não faz parte do programa olímpico. A prioridade da pernambucana está também na vaga para os 50m livre, prova que a colocou na final das Olimpíadas do Rio, em 2016. Ela falou a relação que tem a com a distância. “Os 50m livre sempre foi uma prova muito importante para mim. Desde quando eu era criança até onde ela me levou. A final olímpica com certeza me motivou para estar onde estou hoje. Essa conquista em Lima foi importante para chegar bem à seletiva que será em abril”, finalizou Etiene, ainda mais forte em busca de novas marcas históricas no esporte do País.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias