Tricolor

Itamar Schulle quer torcida junto do Santa Cruz em 2020

Treinador pede que torcida deixe o passado e abrace novamente o clube em busca do sucesso em 2020

klisman
klisman
Publicado em 08/12/2019 às 10:33
Notícia
Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Treinador pede que torcida deixe o passado e abrace novamente o clube em busca do sucesso em 2020 - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

O torcedor do Santa Cruz está ressentido depois de campanhas frustrantes nos últimos anos. São duas quedas seguidas para a Série B e depois para a Série C, além da permanência na Terceira Divisão pelo terceiro ano consecutivo. Ainda distante de anos anteriores em que as médias de público ultrapassaram 20, 30 mil pessoas por jogo, a intenção do Mais Querido é reverter este quadro. O técnico Itamar Schulle, recém contratado, destacou a força que a torcida coral tem para o clube. E fez uma analogia para que, em mais um momento difícil vivido pelo Tricolor, o aficionado não deixe de ‘abraçar’ a instituição.

“Às vezes as coisas aqui não deram certo no passado, mas isso não é motivo para abandonar um clube que você ama. Ou quando você tem um filho doente, você abandona ele? Ou quando você tem um problema em casa, abandona e vai embora? É nos momentos em que as coisas não dão certo que tenho que ser um pai melhor, um marido melhor, um filho melhor, um amigo melhor. E penso que a torcida também tem que ser assim. Como é que vou abandonar meu time no momento difícil, em que não deu certo? O que passou está no passado. Você tem que contribuir com o que vem daqui para frente”, explicou o comandante coral.

Nas últimas três temporadas, a média de público do Santa Cruz tem estado abaixo dos 10 mil torcedores por jogo. Em 2019, por exemplo, foi de 9.812 espectadores por partida. A maior lotação aconteceu no duelo contra o Fluminense na Copa do Brasil, em que o Mais Querido venceu por 2 a 0, mas acabou eliminado nos pênaltis. Naquela oportunidade, foram 25.802 tricolores presentes no Arruda. Itamar Schulle quer contar com o apoio do aficionado através do presente. Pede que o torcedor deixe de lado o que aconteceu no passado e foque no futuro do clube.

“O que passou está no passado. Você tem que contribuir com o que vem daqui para frente. Se eu for olhar só o passado, eu vou buscar muitas coisas negativas. O passado no Criciúma (clube no qual foi técnico em 2010) não me move mais. O Vila Nova agora, também não foi possível, mas também não me move mais. Tenho que viver o agora. Estou vivendo o Santa Cruz. A torcida é fundamental sim, nos momentos difíceis é fundamental como para quem ama o clube e temos que nos unir”, acrescentou o treinador. 

APELIDO NÃO MUITO CARINHOSO

Ainda comentando sobre o assunto, Itamar Schulle disse estar sabendo do apelido que ganhou desde que seu nome foi especulado no Santa Cruz: Tio Chico, personagem do filme Família Addams. Aparentemente, o técnico não gostou da brincadeira. Mas relevou e disse que buscará o melhor pelo Tricolor.

“Se eu for pedir pela minha beleza não vai vir ninguém ao campo. (Sou) careca, cheio de ruga. Já sei que me apelidaram de Tio Chico. Fiquei meio assim, mas vamos embora. Seja com Tio Chico ou Itamar, vamos dar o melhor aqui e vamos juntos buscar os objetivos que o Santa Cruz tem”, concluiu.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias