VAZAMENTO

Sobe para 53 número de municípios atingidos por petróleo no Nordeste

Apenas na Bahia não houve registro do problema com o petróleo

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 28/09/2019 às 15:54
Notícia
Foto: Adema/Governo de Sergipe
Apenas na Bahia não houve registro do problema com o petróleo - FOTO: Foto: Adema/Governo de Sergipe
Leitura:

Segundo o balanço mais recente divulgado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), já são 112 localidades em oito estados afetadas pela mancha. Apenas na Bahia ainda não houve registro do problema.

Uma investigação do Ibama, que monitora a situação desde o dia 2 de setembro, com apoio do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, indica que o petróleo que está poluindo as praias é o mesmo, e a origem não é do Brasil.

De acordo com a investigação do instituto, o petróleo que está poluindo todas as praias é o mesmo. Trata-se de petróleo cru, ou seja, não se origina de nenhum derivado de óleo, como gasolina. No entanto, sua origem ainda não foi identificada. Em análise feita pela Petrobras, a empresa informou que o óleo encontrado não é produzido pelo Brasil.

Mesmo sendo de origem estrangeira, os responsáveis estão sujeitos a multas de até R$ 50 milhões, em conformidade com a Lei de Crimes Ambientais, Lei 9.605/1988.

O Ibama informou que requisitou apoio da Petrobras para atuar na limpeza de praias. Nos próximos dias, a empresa disponibilizará um contingente de cerca de 100 pessoas.

O instituto orienta as pessoas que identificarem manchas de óleo em alguma praia a entrar em contato com a prefeitura do local e com o instituto por meio da Linha Verde, no número 0800618080.

Até o momento, o petróleo foi encontrado em nove tartarugas, seis delas mortas, e em uma ave, também morta. Segundo o Ibama, não há evidências de contaminação de peixes e crustáceos, mas a avaliação da qualidade do pescado capturado nas áreas afetadas para fins de consumo humano é competência do órgão de vigilância sanitária.

Veja onde atingiu em Pernambuco

Praia de Gamboa, Porto de Galinhas e Nossa Senhora do Ó - Ipojuca

Praia Del Chife - Olinda

Praia de Carneiros e Praia de Tamandaré - Tamandaré

Praia de Boa Viagem - Boa Viagem

Praia de Candeias e Piedade - Jaboatão dos Guararapes 

Praia do Paiva e Ilha Cocaia - Cabo de Santo Agostinho 

Praia de Catuama e Pontas de Pedras - Goiana 

Praia da Conceição e Pau Amarelo - Paulista 

Praia do Forte Orange - Itamaracá 

Entenda o caso

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) informou que as manchas de óleo que apareceram no litoral do Nordeste, incluindo Pernambuco, no início de setembro são, na verdade, petróleo cru. Segundo o órgão, o óleo encontrado nas praias não é produzido pelo Brasil, mas a sua origem ainda não foi identificada. 

Foram atingidas 16 praias em Pernambuco, 41 no Rio Grande do Norte, 16 na Paraíba, 2 no Piauí, 5 no Ceará, 4 em Sergipe, 10 no Maranhão e 8 em Alagoas. Até o momento, não há registro na Bahia. Os detalhes podem ser conferidos clicando aqui. O petróleo foi encontrado em nove tartarugas, sendo seis delas acabaram mortas, duas delas em Pernambuco. Uma ave também foi atingida.

Segundo o Ibama, não há evidências de contaminação de peixes e crustáceos, mas a avaliação da qualidade do pescado capturado nas áreas afetadas para fins de consumo humano é competência do órgão de vigilância sanitária.

Confira o vídeo:

Ver essa foto no Instagram

Nas últimas semanas recebemos relatos de derrames de piche em algumas praias do Piauí, do Ceará, do Rio Grande do Norte e de Pernambuco. ? Nos últimos dias temos sido contatados por diferentes ocorrências de encalhe de tartarugas marinhas com resquícios de contato com piche. A primeira ocorrência aconteceu em Sabiaguaba no início do mês de setembro. No último final de semana fomos alertados por moradores do Serviluz que também encontraram uma tartaruga nessa condição. Ainda foram somadas à esse casos em Flecheiras, Taíba e Jericoacora. ? Ao todo já foram cinco encalhes, dos quais tivemos conhecimento, de tartarugas encontradas com piche em setembro no estado do Ceará. Tem sido desesperador encontrar esses animais nesse estado. O sentimento de impotência em relação a essas enormes manchas de piche no litoral é assustador e é preciso que alguma posição do poder público seja tomada. ? Lembrem-se que em casos de ocorrências de tartarugas marinhas (vivas ou mortas) entrem em contato conosco através do número (85)98597-3007 (Projeto Gtar) e/ou através do nosso direct. É importante também que nenhuma ação seja tomada antes da chegada da nossa equipe.

Uma publicação compartilhada por Instituto Verdeluz (@institutoverdeluz) em

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias