ESQUEMA DE CORRUPÇÃO

Equipe de Garotinho comemora a prisão de Sérgio Cabral no Rio

De acordo com publicação do Blog do Garotinho, era sabido que o ex-governador Sérgio Cabral cometia 'roubalheira'

JC Online
JC Online
Publicado em 17/11/2016 às 13:10
Foto: Antonio Cruz/ABr
De acordo com publicação do Blog do Garotinho, era sabido que o ex-governador Sérgio Cabral cometia 'roubalheira' - FOTO: Foto: Antonio Cruz/ABr
Leitura:

'A hora de Sérgio Cabral chegou' é o que diz o Blog oficial do ex-governador do Rio Anthony Garotinho, que foi preso nessa quarta-feira (16) por compra de votos no período em que a mulher dele era candidata à prefeita no município de Campos dos Goytacazes. Cabral, também ex-governador do Rio, faz parte de um grupo contrário a Garotinho. A prisão dele, nesta quinta-feira (17), é considerada pelo blog uma tentativa de colocar os dois políticos 'no mesmo bolo'.

Sérgio Cabral foi preso após dois mandados de prisão serem emitidos, pela justiça do Rio e pelo juiz Sérgio Moro, no âmbito da Lava Jato. Cabral foi preso com base nas delações de executivos da Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia, além de Fernando Cavendish, dono da Delta, que alegaram o envolvimento do político num esquema para recebimento de $ 2,7 milhões em espécie da Andrade Gutierrez, por contrato em obras no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Oposição

Garotinho, que há tempo faz oposição a Cabral e Pezão, atual governador do Rio de Janeiro, foi preso por tentar comprar milhares de votos através do programa cheque cidadão durante a eleição deste ano.

Informações do blog dão conta de que Garotinho já denunciava as ações ilegais de Cabral. "Há poucos dias, ele (garotinho) protocolou queixa-crime na Procuradoria Geral da República em Brasília denunciando com provas contundentes a roubalheira de Cabral, Pezão, Eduardo Paes, a Gangue dos Guardanapos, empresários e autoridades do Rio de Janeiro. Ao longo do dia vamos relembrar as principais denúncias feitas no blog sobre a corrupção de Cabral", diz a publicação. 

Os dois políticos foram presos preventivamente, por tempo indeterminado.

O texto ainda deixa claro que as prisões não têm ligação."Estejam certos que não foi coincidência terem escolhido o dia de ontem para prender Garotinho, na véspera da prisão de Cabral e seu grupo. É evidente que querem associar as duas prisões, confundir as pessoas para colocarem Garotinho e Cabral no mesmo bolo", finaliza.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias