SILÊNCIO

Bolsonaro cancela coletiva e mantém silêncio após saída de Lula da prisão

Até o momento, não há manifestação do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais sobre a soltura de Lula

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 08/11/2019 às 20:11
Notícia
Foto: Henry Milleo/ AFP
FOTO: Foto: Henry Milleo/ AFP
Leitura:

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), decidiu manter o silêncio desde a última quinta-feira (07) quando o STF, por 6 votos a 5, vetou a prisão após condenação em segunda instância. O silêncio se estendeu até esta sexta-feira (08), dia em que o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi liberado da prisão em Curitiba. Nas redes sociais, onde Bolsonaro é bastante ativo, não se vê nenhuma publicação falando sobre algum dos assuntos, pelo menos.

Ainda, nesta sexta-feira (08), Bolsonaro cancelou uma entrevista coletiva que daria depois da entrega de um ônibus coletivo na cidade de Goiânia, em Goiás. Os repórteres que foram levados à sala do estádio Serra Dourada tiveram a ingrata surpresa de que o presidente não falaria mais. Todos foram dispensados.

 

No evento em Goiânia, Quando soube que o alvará de soltura havia sido expedido, Bolsonaro para ler algo e comentou com o seu assessor, Célio Faria. Depois, ele falou ao ouvido do ministro da Educação, Abraham Weintraub, abaixou a cabeça e olhou para a frente. Em seguida, Célio voltou a falar com Bolsonaro, que acenou negativamente com a mão. Depois, o presidente discursou por oito minutos, mas não fez referência ao assunto.

Na manhã desta sexta (08), quando saia do Palácio da Alvorada, Bolsonaro, ao ser abordado por jornalistas, perguntou o que eles queriam falar e, ao ser questionado sobre a decisão do STF sobre a prisão em segunda instância, ele entrou no carro e seguiu para uma formatura de novos agentes da Polícia Federal, onde, também, não mencionou o tema.

Bolsonaro corrige a Globonews

Se não falou de Lula, o presidente Bolsonaro usou as redes sociais para corrigir a jornalista Natuza Nery, da Globonews, que o chamou de ‘ex-presidente’ ao vivo. “Muitos caem no jogo de ‘equívocos rotineiros’ inocentemente! Estamos mudando o Brasil”, tuitou o presidente.

Confira o Twitter

Os filhos de Bolsonaro se pronunciaram sobre a soltura de Lula

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) comentou sobre o veto da prisão em segunda instância no Twitter. Ele citou o caso da vereadora Marielle Franco, dizendo que há uma certa intensidade da justiça apenas quando o assunto é pedir prisão para os culpados do assassinato.

Confira o Twitter

Sobre a soltura de Lula, às 17h42 desta sexta-feira (08), Eduardo Bolsonaro diz que o ex-presidente está ''acabado politicamente'' e chama-o de cachaceiro.

Confira o Twitter

O vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), também filho do presidente, publicou um vídeo na quinta-feira (07), dia em que foi vetada a prisão em segunda instância pelo STF, publicou um vídeo de Lula. “O corrupto condenado admite que errou ao não regular a mídia”, diz o vereador do Rio de Janeiro.

Confira o Twitter

Sobre a soltura de Lula, Carlos Bolsonaro crê que ‘esse jogo virará’, como publicou nesta sexta-feira. “O Brasil não aceitará mais o show dos bandidos do PT, PCdoB, ‘Piçóu’ [PSOL] e etc”, afirmou Carlos.

Confira o Twitter

Flávio Bolsonaro não se pronunciou sobre os assuntos

Até esta sexta-feira (08), o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) não se pronunciou sobre o assunto do veto da prisão em segunda instância e da soltura do ex-presidente Lula. Sua última publicação foi na última quarta-feira (06).

Foto: AFP
Presidente saiu da prisão as 17h42 desta sexta - Foto: AFP
Foto: AFP
Momento em que Lula deixa a prisão em Curitiba - Foto: AFP
Foto: AFP
Ele encontrou apoiadores e sua namorada - Foto: AFP
Foto: AFP
Lula discursa para apoiadores que lhe esperavam em frente à prisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Lula abraça apoiadora - Foto: AFP
Foto: AFP
Fernando Haddad estava presente ao lado de Lula - Foto: AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Zanin Martis, advogados do ex-presidente em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Cristiano Zanin, advogado do ex-presidente Lula, na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP
Foto: Henry Milleo/ AFP
Apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na frente da sede da PF em Curitiba - Foto: Henry Milleo/ AFP

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias