ELEIÇÕES 2020

Adversário do PSB, Miguel Coelho diz que a política no Recife precisa ser ''oxigenada''

Prefeito de Petrolina e filho de Fernando Bezerra, Miguel Coelho defende a candidatura de Raul Henry a prefeito do Recife contra o PSB

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 30/01/2020 às 16:54
Notícia
Foto: Reprodução/Facebook
Prefeito de Petrolina e filho de Fernando Bezerra, Miguel Coelho defende a candidatura de Raul Henry a prefeito do Recife contra o PSB - FOTO: Foto: Reprodução/Facebook
Leitura:

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), é enfático ao afirmar que há, sim, a possibilidade de o MDB deixar a aliança com o PSB e ter o deputado federal Raul Henry como candidato a prefeito do Recife. "O senador Jarbas (Vasconcelos) e Raul Henry possuem uma aliança com o PSB no governo estadual, mas isso não pode ser generalizado, a eleição municipal é diferente, cada cidade tem sua história", comentou o prefeito nesta quinta-feira (30).

O MDB faz parte da Frente Popular e tem Jarbas e Raul como principais aliados do PSB. No entanto, o senador Fernando Bezerra Coelho tenta levar o partido para a oposição e ter Raul Henry como candidato enfrentando os socialistas nas urnas.

>> Aliança em risco? O xadrez político do PT, MDB e PSB em Pernambuco

>> Jarbas sinaliza seguir com Frente Popular, mas diz que apoiaria Raul Henry no Recife

Também nesta quinta-feira, o secretário de Segurança urbana do Recife, Murilo Cavalcanti (MDB), defendeu que o MDB siga na Frente Popular, mas não descartou a possibilidade de Raul se candidatar. "Tenho a posição clara, que já defendi outras vezes, de que o partido é aliado da Frente Popular e não há motivo para sair. Mas se Raul resolver ser candidato, a gente vai, todo mundo junto, ninguém vai estar brigado, nem dividido", disse o secretário.

A declaração agrada os Coelho, que enxergam uma chance de romper com o PSB, partido que já abrigou Fernando Bezerra e o próprio Miguel Coelho. "A declaração de Murilo mostra que o partido sabe da necessidade de se fortalecer e de ter candidato", comentou.

Cabe lembrar que a última vez que o MDB elegeu o prefeito do Recife foi em 1992 com o hoje senador Jarbas Vasconcelos. Seguiram-se Roberto Magalhães, João Paulo (dois mandatos), João da Costa e Geraldo Julio (dois mandatos). Nessa tecla, Miguel afirma que a política na capital pernambucana precisa ser oxigenada. O discurso também é repetido por outros membros da oposição que criticam o revezamento de PT e PSB no poder.

GOLPE NO WHATSAPP

O prefeito de Petrolina também afirma ter sido vítima de um golpe no aplicativo Whatsapp. Segundo Miguel, outra pessoa, não identificada, estaria utilizando sua foto para solicitar pagamentos e recursos financeiros. Miguel fez o alerta aos seguidores na sua conta do Instagram. "Pessoal, caso vocês recebam uma mensagem de um número ou de qualquer outro se passando por mim e pedindo qualquer tipo de ajuda/pagamento, peço que bloqueiem e não façam nenhuma transferência", escreveu.

>> PF diz que Fernando Bezerra Coelho é dono de concessionária que recebeu propina

Ao JC, o prefeito disse que não procurou a polícia. "Nunca pedi dinheiro a ninguém e se pedisse não seria pelo Whatsapp. Isso já aconteceu uma vez com meu irmão (Fernando Filho), mas eu vi que o número já mudou de foto e está offline. Acho que após eu divulgar desistiram", afirmou.

A imagem que o suspeito escolheu para colocar no perfil havia sido postada no Instagram do prefeito há 4 dias. "Infelizmente, alguma pessoa está agindo de má-fé e usando a minha imagem indevidamente para tentar aplicar golpes", completou Coelho.

Falta de união com a oposição

A falta de união do bloco de oposição no Recife é algo que inquieta o prefeito de Petrolina. Ele defendeu na última semana que a vontade própria de querer ser prefeito deve ser deixada de lado para "pensar mais no Recife". "Não é o momento de discutir nomes, é o momento de se juntar em torno de projetos e propostas, quais são os problemas que assolam os recifenses aqui na região metropolitana, que são problemas corriqueiros. Só depois que você identifica o problema, você precisa encontrar um CPF que resolva eles", ressaltou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias