COLUNA MOBILIDADE

Mesmo com convênio da PM, violência no Metrô do Recife aumenta em 2021; até homicídio foi registrado

Os dados oficiais mostram que os assaltos a passageiros e os roubos de equipamentos aumentaram este ano. Já representam, em seis meses, mais do que o total de registros de 2020

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 22/09/2021 às 16:42
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Outro ponto importante é que, dos cinco sistemas sob gestão da CBTU e que estão sendo alvo dos estudos de transferência para a gestão privada, o do Recife e o de Belo Horizonte (MG) são os que mais têm capacidade de atrair investidores - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Os números são oficiais, da própria Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no Recife, e não deixam dúvidas: além dos problemas técnicos que provocam paralisações e atrasos, a violência urbana aumentou no Metrô do Recife em 2021. Mesmo com o sistema dispondo, desde o início deste ano, de um convênio com a Polícia Militar de Pernambuco que custa R$ 3,8 milhões por ano. Não foi à toa que, nesta terça-feira (21/9), até um homicídio foi praticado no interior de um dos vagões da Linha Sul do sistema, que conecta o Centro da capital à região Sul do Grande Recife.

Confira a série METRÔS - UMA CONTA QUE NÃO FECHA

Os dados oficiais mostram que os assaltos a passageiros e os roubos de equipamentos aumentaram este ano. Já representam, em seis meses, mais do que o total de registros de 2020. Enquanto no ano passado houve 47 ocorrências de roubos e furtos a passageiros registradas, em 2021 foram 51 casos até o mês de julho. Isso tudo, apesar de 50 PMs estarem circulando diariamente pelo sistema - como garante o comando da corporação. Além desse custo com o convênio da PM, a CBTU também tem feito outros investimentos: R$ 2 milhões na manutenção do sistema de câmeras de monitoramento da rede e mais R$ 11,6 milhões com o contrato de segurança terceirizada com a empresa BBC Vigilância. O sistema de monitoramento da CBTU Recife possui 1380 câmeras de alta resolução, cujas imagens são analisadas 24 horas por dia.

SEVERINO SOARES/JC IMAGEM
Homem foi assassinado a facadas num trem da Linha Sul do Metrô do Recife, na terça-feira (21/9) - SEVERINO SOARES/JC IMAGEM


Mesmo assim, a violência aumentou. Além das investidas a passageiros, crescem os roubos e furtos de equipamentos do sistema, que comprometem a eficiência e a segurança da operação. Segundo a CBTU, em 2020 foram 15 ocorrências e, em 2021, já são 23 registros. De 2016 a 2020, a CBTU Recife registrou 317 falhas no sistema, todas abertas em decorrência do roubo de cabos, com prejuízo calculado de R$ 350 mil. Foram 15,5 quilômetros de cabos roubados da via.

E, recentemente, durante este ano, a companhia diz que começou a observar outra modalidade de roubo: o furto de clipes responsáveis por prender os trilhos na via. Cada clipe furtado pesa em torno de 750 gramas e, provavelmente, são vendidos aos ferros-velhos da região.

O roubo de clipes da CBTU Recife em 2021:

• 450 clipes entre as Estações Alto de Céu e Curado (15.01.2021);
• 500 clipes entre as estações Cavaleiro e Floriano (27.01.2021): roubo denunciado por moradores locais;
• 25 clipes entre as estações Recife e Joana Bezerra (16.02.2021);
• 30 clipes entre as estações Ipiranga e Mangueira (04.03.2021);
• 1.170 clipes entre as estações Cavaleiro e Floriano (no intervalos de março a maio de 2021).

SEM REDUÇÃO DE PMs

Apesar das queixas de passageiros de que não vêem os militares circulando no sistema e do homicídio praticado na terça (21) - que envolveu dois homens que atuavam informalmente no metrô, o que deveria ser proibido -, a CBTU e a PM garantem que o convênio não sofreu qualquer redução.

“A segurança das estações é feita pelo policiamento ferroviário e por PMs. Desde o dia 05 de janeiro de 2021, teve início o convênio firmado entre a CBTU e a Polícia Militar. Dezenas de policiais do Batalhão de Choque da PM estão atuando diariamente nas linhas Centro e Sul, reforçando a segurança dos usuários e funcionários e coibindo o comércio ilegal”, afirma a CBTU.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Além das investidas a passageiros, crescem os roubos e furtos de equipamentos do sistema, que comprometem a eficiência e a segurança da operação - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM


POLÍCIA MILITAR

A PM também garantiu que o convênio segue firme e forte, inclusive com bons resultados.
Que a Operação Linha Segura é realizada com policiais do Batalhão de Choque e que tem reduzido assaltos, roubos, furtos, pulo de catraca, evasão de renda, filas, sujeira e falta de ordenamento urbano nas estações e vagões do metrô. “Para se ter uma ideia, somente neste ano mais de 532 pessoas foram encaminhadas a delegacias por crimes de porte ilegal de armas, drogas e celulares sem procedência legal. Foi essa atuação que fez o BPChoque ser premiado como a unidade que mais recuperou celulares em 2021, com 499 equipamentos apreendidos. Duas armas de fogo foram apreendidas e também mais de 5 kg de entorpecentes”, diz a PM.

REDUÇÃO

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS), entretanto, apresentou dados diferentes da CBTU e que mostram uma redução da violência no transporte público. Diz que a Operação Linha Segura, iniciada em janeiro deste ano, promoveu uma redução de 58,5% dos crimes violentos patrimoniais nos terminais de ônibus que são integrados com as estações de metrô. Entre janeiro e agosto de 2021, teriam sido registradas 119 ocorrências contra as 287 em 2020.

SEVERINO SOARES/JC IMAGEM
HOMICÍDIO Na tarde da última terça-feira, um artista de rua foi esfaqueado até a morte por um ambulante dentro do vagão do metrô. O suspeito foi preso no dia seguinte - FOTO:SEVERINO SOARES/JC IMAGEM
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Além das investidas a passageiros, crescem os roubos e furtos de equipamentos do sistema, que comprometem a eficiência e a segurança da operação - FOTO:FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

Comentários

Últimas notícias