Segurança

Em Pernambuco, policiais militares vão registrar ocorrências de crimes pelo celular

Serviço promete trazer mais agilidade no trabalho da PM nas ruas. Empresa responsável pela tecnologia já foi escolhida

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 29/12/2020 às 6:00 | Atualizado em 29/12/2020 às 22:28
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Policiais militares poderão acessar o smartphone para registrar as ocorrências nas ruas - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Para dar mais agilidade e acabar com o uso do papel, a Polícia Militar de Pernambuco passará a registrar boletins de ocorrências de crimes por meio de smartphones ou tablets. Ainda não há data para o início do formato digital, mas a empresa responsável pela tecnologia já foi definida e trabalha na construção do aplicativo.

A novidade foi confirmada pelo secretário-executivo de Defesa Social, Humberto Freire, em entrevista à coluna Ronda JC nessa segunda-feira (28). “O serviço está em desenvolvimento para que os policiais comecem a usá-lo no ano que vem. As ocorrências vão ser registradas de forma rápida pelos smartphones e vão direto para o sistema da polícia e enviadas por e-mail para as pessoas envolvidas”, disse.

O formato digital também vai garantir mais agilidade ao trabalho da PM, que não precisará em todas as ocorrências se dirigir a uma delegacia para entregar o registro da ocorrência. 

Freire também anunciou que há projetos em discussão para que os inquéritos policiais sejam todos digitalizados, ou seja, será o fim do excesso de papéis. “O projeto será integrado com o Tribunal de Justiça e Ministério Público. Isso vai garantir mais sigilo e evitar o extravio dos inquéritos”, explicou.

AUMENTO DA VIOLÊNCIA

Pernambuco deve concluir o ano de 2020 com um aumento de 9 a 10% no número de homicídios em relação a 2019. Os dados oficiais ainda serão confirmados em janeiro pela SDS. Em entrevista, o secretário Humberto Freire reconheceu o aumento da violência e atribuiu, principalmente, ao tráfico de drogas.

“Houve um aquecimento das mortes neste ano. Entre maio, junho, com o aumento dos casos na pandemia, muitos policiais adoeceram. Parte do efetivo também foi usada em ações relacionadas à pandemia. Isso influenciou. Além disso, houve muitos casos de traficantes matando traficantes, acertos de contas vinculados ao tráfico. Cerca de 70% dos homicídios no Estado tem relação com o tráfico de drogas”, pontuou.

Por causa do avanço das organizações criminosas em Pernambuco, a SDS criou uma força-tarefa para definir ações mais efetivas de combate a esses grupos - como antecipou a coluna Ronda JC em outubro. A primeira reunião do grupo de trabalho que inclui Polícia Federal e Agência Brasileira de Inteligência, no entanto, ainda não ocorreu.

CONCURSOS

Freire disse que o governo do Estado reconhece que há necessidade de contratação de mais policiais militares, civis e peritos. Ele afirma que no próximo ano vão ser iniciados os cursos de formação, mas não informou uma previsão de data.

Comentários

Últimas notícias