COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Conheça duas formas de tratar as rugas do sono, aquelas influenciadas pela posição de dormir

Sleep Wrinkles: especialistas alertam que posição em que você dorme pode antecipar o aparecimento de rugas

Cinthya Leite
Cadastrado por
Cinthya Leite
Publicado em 22/09/2021 às 16:56 | Atualizado em 22/09/2021 às 17:00
FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Sleep Wrinkles: posição em que você dorme pode antecipar o aparecimento de rugas e linhas de expressão, devido à pressão e atrito causado pelo contato do rosto com o travesseiro. Além disso, as rugas podem ficar ainda mais profundas com alguns hábitos, como exposição solar - FOTO: FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Leitura:

As rugas são resultado do processo natural de envelhecimento da pele e ocorrem devido à ação muscular repetitiva ao longo dos anos, associada à diminuição das fibras de colágeno e elastina, que são responsáveis pela sustentação do tecido cutâneo, segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). No entanto, alguns hábitos que temos durante a vida podem favorecer e até antecipar o aparecimento desses sinais da idade, incluindo a posição em que dormimos. “Dormir com o rosto virado 100% para o travesseiro ou sempre do mesmo lado pode formar rugas estáticas devido à pressão e atrito causado pelo contato do rosto com o travesseiro. Dessa forma, acabamos envelhecendo mais assimetricamente, com demarcações mais profundas dos sulcos, das linhas e das rugas”, completa o médico. Essas rugas são conhecidas mundialmente como sleep wrinkles.

Especialistas alertam que essas demarcações profundas na pele podem piorar, dependendo dos hábitos de vida, exposição ao sol e também da sua genética. “Por exemplo, alguns indivíduos podem apresentar uma variante do gene MMP1 que leva à maior produção de enzima que, em excesso, degrada o colágeno, que é um constituinte importantíssimo da pele, o que causa rugas. Para piorar, quando esses indivíduos se expõem em excesso à luz solar, podem apresentar um aumento da produção de MMP1 até oito vezes maior", explica o geneticista Marcelo Sady, pós-doutor em Genética e diretor-geral da Multigene, empresa especializada em análise genética e exames de genotipagem.

Além disso, segundo o médico, o processo inflamatório subclínico causado por estresse, obesidade, falta de sono adequado, má alimentação e falta de atividade física pode acelerar mais ainda a formação de rugas. "Entretanto, não é uma sentença. Quando entendemos as variantes genéticas e como elas influenciam a nossa pele, podemos elaborar um cuidado mais eficaz para nos proteger do fotoenvelhecimento, que vai desde a alimentação até a escolha de ativos cosméticos na concentração que precisamos, o que pode levar a manipulação do cosmético personalizado", diz. 

Prevenção das rugas do sono

Ainda com relação às rugas do sono, é possível preveni-las com cuidados básicos, como evitar dormir de um lado especifico ou de bruços, optando sempre por dormir de barriga para cima. Trocar fronhas de algodão por fronhas de cetim ou seda também ajuda. Mas, para quem já sofre com o problema, existem algumas formas de tratar. 

Confira: 

Radiofrequência microagulhada

Esta tecnologia, que pode ser encontrada no mercado com o nome de Eletroderme, une o microagulhamento robótico, que consiste em microperfurações da pele por meio de agulhas finas banhadas a ouro, com a já conhecida radiofrequência, que promove o aquecimento das camadas da pele. “A associação faz então com que o tratamento seja mais eficiente, pois as ondas eletromagnéticas da radiofrequência são emitidas pelas agulhas de ouro (que melhoram a liberação e uniformidade do calor emanado pela radiofrequência) apenas nas camadas mais profundas da pele, aquecendo a pele de dentro para fora e assim preservando sua superfície”, explica a médica Roberta Padovan.

O diferencial da tecnologia está no fato de ser possível estimular e remodelar o colágeno ao mesmo tempo, promovendo então a melhora da aparência da pele e o tratamento das rugas. “As agulhas causam pequenas fissuras na pele que, quando combinadas ao aquecimento de cerca de 70ºC causado pela radiofrequência, estimulam a produção das fibras de colágeno e elastina. Além disso, a técnica promove a reestruturação natural das camadas da pele, estimulando a produção de ácido hialurônico, e induz a criação de novos vasos sanguíneos e o aumento da vasodilatação local, o que contribui para maior oxigenação e, consequentemente, nutrição da região tratada”, destaca Roberta. 

Laser para manchas e rejuvenescimento

Para tratar as rugas do sono, o laser de picossegundos trabalha com pulsos e pode tratar, na mesma sessão, flacidez, rugas, poros, cicatrizes de acne e manchas. “Para o tratamento dos sinais do envelhecimento, o Pico Ultra 300 emite pulsos de energia que produzem microvesículas de ar no interior da pele para promover o estímulo da neocolagênese e o alinhamento harmônico das fibras de colágeno e elastina, promovendo o rejuvenescimento da pele com redução da aparência das rugas e linhas de expressão e aumento da firmeza e da elasticidade. E, por produzir comprimentos de onda de 1064nm e 512nm, o equipamento age tanto na epiderme quanto na derme profunda, promovendo assim um tratamento global da pele”, finaliza o dermatologista Abdo Salomão.

Comentários

Últimas notícias